Continuação do Conto: Com Ele Dormindo Parte IV

Oi, meu nome é Diego, tenho 27 anos. Moro em São Paulo, porém a história se passou há dois anos quando morava no Nordeste, numa cidade do interior de PE.

Era já por volta da meia-noite quando uma amiga minha, Maria, morena, super gostosa, que eu já comia sempre, (pois sou maninho machinho e curto comer buceta), apareceu na minha casa e bateu no portão a fim de que eu ficasse com ela e a levasse para casa.

Acho que ela havia acabado de dar a bucetinha gostosa para algum cara. Não comi ela e fiquei irritado, pois teria que levá-la para casa. Já era tarde e ela morava um pouco distante.

Saimos a pé da minha casa e caminhamos por uma avenida que a essas horas tinha pouco movimento. Foi quando passou por nós um carro branco e um cara nos observa de dentro do carro. Não esquentei muito com isso, já que a Maria é uma morena gostosa e chama a atenção mesmo. Depois de tê-la deixado em casa, voltei pela mesma avenida observando mais uma vez o carro a passar perto de mim e o cara a me encarar de dentro do carro. Comecei a ficar um pouco assustado, pois de repente poderia ser o cara que havia ficado com a Maria antes dela ir ao meu encontro.

Eis que o indivíduo pára e me pede informações. De pronto dei-lhe as informações, que por sinal eram perto da minha casa. Ele já me oferece carona. Eu resisti, falei que precisava andar um pouco para perder peso, porém ele me convenceu dizendo que eu estava com o corpo legal. Eu tenho 1,70m, 69 kg, branco, bundinha lisinha e branquinha e 18cm de pau. Ele tem 1,80m, 75kg, branco, e o pau, bom... o pau só descobri depois que entrei no carro.

Convenci-me de que era um cara maneiro e conversamos. Ele já falou que estava a fim de transar comigo, pois já havia me visto em outras oportunidades pela cidade. Cidade pequena, enfim... Não sei o que me deu, pois a raiva da Maria e o tesão que eu estava naquela noite de calor contribuíram para eu aceitar o convite do cara e ir a um lugarzinho escuro. Deixei ele chupar meu pau, só que enquanto ele chupava meu pau, acariciava meu cuzinho com o dedo. Senti um puta de um tesão e deixei rolar.

De repente, ele me vira e me coloca de quatro nos bancos arriados do carro e tira seu pauzão para fora. Nunca vi igual, uma rola enorme, rosa e muito grossa, me impressionou. Só consegui engolir a cabeça dela. Ele usou a força, pois eu resistia em levar aquele pauzão. Eu só havia brincado uma vez com meu primo. O cara encapa o pauzão e começa a forçar meu cuzinho. Eu já estava gritando de dor quando percebo a cuspida que ele deu para lubrificar e acomodar a cabeçona no meu buraquinho. Senti uma puta de uma dor e fiquei meio atordoado quando ele tirou e começou a meter de novo.

Dessa vez senti suas bolas baterem na minha bunda Não acreditava no que acontecia comigo. Ele estava com muito tesão, pois sussurrava ao meu ouvido enlouquecido.

Foi quando soube o tamanho do seu pau. Ele me disse: "Você está aguentando meu cacete de 24cm por 14cm. Está aguentando legal, aposto que aquela vadia da sua namoradinha não te dá isso. O cara estava louco com meu cuzinho e meus gritos de dor e tesão. Ele gozou muito.

Depois disso, sai do carro e fui para casa. Ele andou a me observar pela cidade, mas não rolou mais nada e eu vim para São Paulo.

Se tiver algum brother firmeza aqui em Sampa, pauzudo, me da um toque.

Autor: Diego
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta