Me chamo Andrey e o que vou narrar pra vocês aconteceu há seis meses atrás em uma viagem de férias que fiz com um amigo meu para Porto de Galinhas em Pernambuco.

Sempre fomos muito amigos, mas a nossa união se fortaleceu ainda mais depois desse incrivel passeio pelo Nordeste. Ficamos hospedados no mesmo quarto em uma pousada maravilhosa perto da praia, saiamos para curtir a noite local e com isso bebiamos muito.

Certo dia o tesão foi tanto que rolou uma quimica maior entre nós. Eu estava tão alegre e e solto devido a bebida que não me fiz de rogado e fui tascando um beijão no meu amigo sem cerimônia ou qualquer tipo de aviso.

E para minha total surpresa, fui correspondido no ato. A coisa estava tão quente que as nossas roupas foram tiradas num piscar de olhos. Eu sempre tive tesão pelo meu amigo negrão, mas nunca imaginei que ele sentia o mesmo por mim.

A cerveja me deu tanta coragem que estava disposto á perder o cabaço do cu com um negrão de uma tora gigante. Dei uma chupada sem jeito e fui tentando por o máximo que podia aquela cabeçorra na boca.

Se engolir pela boca estava dificil, fiquei imaginando como seria aguentar 23cm no cu virgem. Fui no armário, peguei um hidratante e uma camisinha, e tentei sentar devagar.

Fiz força pra rosca se abrir, mas não entrou. Relaxei e sentei um pouco mais, a cabeça passou me arrancando um gemido de dor. Eu estava tão concentrado e louco de tesão que sentei de vez, estourando a camisinha.

Coloquei outra e passei mais hidratante no cu e sentei novamente. Dessa vez escorregou gostoso entrando tudo. A dor foi tamanha que sentir vontade de cagar.

Eu não tava acreditando que aquele pintão daquele tamanho tava atolado em mim, e isso só aumentava o meu tesão, tanto que eu comecei a rebolar no pauzão dele, mesmo sentindo muita dor e uma sensação que a qualquer momento poderia cagar na vara dele.

Meu amigo dizia que estava adorando tirar a minha virgindade, que era a primeira vez que ele arregaçava um cu de macho. Começou a bombar forte no meu rabo, deixando as minhas pregas até então intactas, todas arrombadas.

Meu cu ardia muito, parecia que estava sendo partido ao meio mas estava me dando um tesão que eu nunca tinha sentido antes, eu pedia pra ele meter mais forte, e ele metia, cada vez mais fundo, me levando ao delírio.

Ele me enrabou por uns 25 minutos naquela posição, depois pediu que eu ficasse de quatro. Ele bombou com tanta força que comecei a peidar. Nessa hora não aguentei e não pude evitar o pior, acabei cagando no pau dele.

Mesmo assim, ele continuou socando, e o cheiro de merda exalou no quarto inteiro. Gozei com a tora preta enfiada no meu rabo descabaçado sem tocar no pau, tamanho foi o prazer que sentia.

Ele gozou tanto que quase estoura a camisinha com tanta porra grossa. Meu amigo me confessou que tinha adorado comer meu cu virgem, que mesmo eu sendo cabaço, tinha aguentado sua jeba no rabo como se já fosse acostumado com isso.

Durante toda a viagem, dei o cu gostoso pra ele todos os dias, foram duas semanas de muita foda e diversão.

Agora entendo porque ninguém vive sem um pretinho básico.



Autor: Andrey
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto Enviado pelo Internauta.