Meu nome é Gustavo, sou ATIVASSO, tenho 36 anos, sou moreno claro, cabelos lisos pretos, 1,85m, 90kg, malhado e peludo.

Meu pau tem 19,5cm e bem grosso. Vou contar o que aconteceu no inicio da semana passada comigo.

Eram 23h quando terminei o treino na academia e fui ao vestiário tomar banho e me vestir. Trabalho o dia todo e quando saio do trabalho vou direto para a academia.

Quando estava calçando os sapatos um parceiro de treino (dividimos o mesmo personal) chegou perto de mim meio ansioso querendo uns conselhos sobre uma decisão importante na vida dele. Felei: "Cara, vamos sair daqui e vamos conversar num local mais neutro".

Achei ele bem ansioso. Sugeri que fossemos numa lanchonete proxima e ele sugeriu que fossemos para minha casa, que fica a 5 minutos de carro da academia e disse que tudo bem.

Nao desconfiei de nada do que estava por vir. Bruno, como vou chamá-lo aqui, é um cara divertido, educado, gente fina e muito bonito. É branco, mais ou menos 1,80m, tatuado, corpo bem firme e definido, mas sem exageros, todo lisinho e uma bunda bem redonda.

No carro perguntei o que estava havendo e ele disse que falaria quando estivéssemos num lugar calmo. Disse que sem problemas. Chegando em casa, perguntei se ele queria alguma coisa e veio a surpresa: A resposta foi "Você, cara".

Na hora fiquei meio sem reação porque achava o cara hétero e nao dava a minima bandeira. Perguntei a ele "Eu como?"

Ele respondeu: Cara, não é para sexo, to apaixonado por você! Mas se você estiver apenas afim de sexo, eu to fora.

Gelei na hora! Nunca passei por isso apesar de trepar somente com homem há 5 anos. Nunca me relacionei seriamente com outro cara. Eu disse: Cara, é uma honra eu estar sendo cortejado por você.

Você sempre me despertou interesse por ser um cara tão gente fina e bonito.

Ele perguntou: Não ficou chateado e nem com raiva de mim?

Disse a ele: Não cara, to honrado mesmo e pedi um beijo a ele e fui retribuido.

Nessa hora meu pau pulou da calça de tao bom que era o beijo. Sou muito tímido e pedi desculpa.

Ele disse: Pelo jeito tenho sinal aberto e riu.

Disse a ele: Cara, temos um problema: Sou apenas ativo na relação!

E ele: Sou apenas passivo.

Fiquei doido na hora e o abracei e o beijei como forma de desejo. Nesse momento pedi licença e coloquei uma música e peguei um vinho, brindamos e nos beijamos.

Deixei ele tomar a iniciativa para o que quisesse fazer. Tirou minha camisa e acariciou meus pelos, beijou meu braço, mamilos e assim, retibui as carícias e tirei sua bermuda e cueca. Cara... que bunda e pernas lindas eu vi.

Tomei ele no colo e levei para meu quarto. Nos beijamos mais e o coloquei de bruços na cama. Gentilmente abri suas pernas e bunda e vi aquele cuzinho liso e rosado contraindo de tesão.

Adoro chupar cu. Chupei aquele buraquinho perfeito por uns 10 minutos e ele se contorcia de prazer. Sem mais e nem menos, ele me deitou na cama e me mamou como se estivesse com muita fome.

E que boquete era aquele? Perfeito. Nos beijamos e fizemos um 69 delicioso. O pau dele não é muito grande (uns 17cm), rosado, veiudo e bonito.

Com todo carinho, coloquei Bruno de frango-assado na beirada da cama, coloquei a camisinha, lambi mais um pouco para relaxar quando meu pauzão entrasse, passei gel e fui colocando bem devagar. Sei que todos dizem que doi muito pela grossura dele.

Quando entrou tudo, deixei ele se acostumar e fui bombando bem devagar até acelerar bem. Ele gemia de dor e prazer e, como fico preocupado, perguntei se ele queria que parasse. A resposta dele:

Não, por favor, só me beija e continua. Esperava isso há 2 anos, desde que te vi pela primeira vez.

Continuei aquela meteção gostosa e elogiando o aperto do cuzinho dele e seus movimentos. Peguei ele no colo e meti em pé ficando cara-a-cara com ele e o beijando.

Ele pediu que o comesse de 4 um pouco. Foi ai que vi o verdadeiro puto que ele era. FAlava muita sacanagem, me chamava de macho gostoso caralhudo, pedia para tirar tudo e colocar de uma vez, pedia tapas na bunda.

Metia sem dó no meu puto apaixonado. Depois de uns 15 minutos de metelança, ele sinalizou que estava prestes a gozar (e sem botar a mão no pau). Tirei meu pau de dentro dele e pedi que gozasse no meu peito peludo.

Enquanto ele gozava no meu peito, fui me punhetando lentamente para sentir cada gota da sua gala na minha pele peluda. Assim que ele terminou de gozar, pedi que ficasse ajoelhado na minha frente que eu queria gozar na sua cara.

Bruno ficou louco e começou a se punhetar. Segurei naquele cabeelo claro dele com uma mão e com a outro me punhetava. Gozei tanto que a barba dele, os olhos, o rosto e a boca ficaram todos brancos de tanta porra e ele gozou novamente.

Puxei ele para cima, e nem reparei os labios cheios de minha porra e nos beijamos ardentemente. Fomos ao banheiro e dei banho em Bruno e ele em mim.

Perguntei se ele se incomodaria em dormir comigo aquela noite e ele disse que não havia problema pois era sexta feira. Dormimos agarrados a noite toda e pela manhã ele me levou cafe na cama pelado. Claro que nao tomei o café... Rsrsrsrs

Depois da transa, Bruno perguntou se aceitaria namora-lo seriamente. Disse para deixarmos rolando e que tenho muita vontade de tê-lo como namorado.

Descobri durante a semana que Bruno é excelente na cama, cozinha, em cuidar e que não fica sem sexo nenhum dia sequer. Ele dormiu dois dias desta semana aqui em casa e mesmo sem dormir aqui nos outros dias, fizemos sexo todos os dias.

Me pediu que escrevesse esse conto aqui para partilhar nossa história.

Está aqui me chupando enquanto escrevo esse finalzinho da história.

Espero que gostem.


Autor: Gustavo
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto Enviado pelo Internauta.