Olá meu nome é Antônio e estou aqui pra contar, mas um fato real que ocorreu em minha vida. Eu sou um rapaz de 1,65 um pouco fortinho e tenho um pênis não muito avantajado e por isso eu sempre tive uns sérios problemas com meninas, dai por diante todo mundo quando ver um cara quito na sua já fica chamando ele de gay, bem na verdade eles sempre estão um pouco certo né... como a fama já tinha se espalhado na boca dos moleques da minha localidade de que eu era gay eu percebia todos os novinhos com um olhar malicioso pra mim, e confesso que gosto disso, em fim. Um certo dia um primo meu mim chamou pra ir jogar bola em um campinho que tinha sido construído perto de minha casa, eu moro em um vilareijozinho onde todos são colegas e coisa e tal.

Eu fui jogar com eles e logos na primeira semana eu percebi que um garoto colega de sala meu inventava de ficar mim marcando só pra mim encoixar de vez em quando eu fui mim afastando mas não dava pra disfarçar muito eu estava gostando daquilo. E mesmo não podia parar de jogar afinal no campo é onde eu conseguia ficar observando o volume nos shorts dos garotos e meu deus tinha cada moleque dotado, mas bem depois de um certo tempo as encoixadas só almentavam e já os meninos já estavam começando a perceber e eu fui falar pra ele parar com aquilo se não eu iria puxar o saco dele ate rasgar, (falando bravo) ele na maior cara de pau na frente de todo mundo abaixou o shorts e disse e nessa caralho aqui que você vai puxar, eu fiquei paralisado com o tamanho daquele mastro era enorme e estava quase duro todos os outros garotos deram uma risadinha sarcástica e começaram a gritar, eu sai do campo morrendo de vergonha.

No dia seguinte eu fui novamente pro campo e todos fizeram de conta que nada havia acontecido é o menino Leandro talvez com 1,70 magro moreno continuava lá no jogo mim marcando, no final do jogo ele perguntou se podia mim fazer companhia ate perto de casa pois ele mora uma rua atrás da minha, eu disse que sim afinal não sou de guardar magos de ninguém e depois eu tinha passado a noite sonhando com aquele pau enorme que ele tinha mim mostrado no campo, então vinhamos nós lá conversando ate que em um certo ponto em um local escuro cheio de matos ele do nada pega na minha bunda e diz e ai vai mim dar ou não?

Eu fiquei gelado e meio gaguejando mandei ele parar de besteira, de onde você tirou essa historia de que sou gay e ele não preciso que minguem mim conte nada eu sei que você é conheço um veadinho de longe, e foi logo puxando meu shorts, eu tentei fugir mas não resisti quando ele colocou aquela cabeça pulsando de dura na boquinha do meu cu.

Ele falou relaxa que não vai doer nada, e eu mandando ele parar com isso mas ai sim ele mi segurava mas forte e começou a meter bem devagarinho e começou a arder muito e eu cada vez mas tentando fugir ate que ele disse olha se você ficar quietinho eu tiro e deixo você chupar ai fica melhor de entrar nesse seu cuzinho, e eu morrendo de tanta dor disse claro tira tira...

Ele tirou e mandou eu chupar aquele pau enorme de grosso devia ter uns 5cm de largura e todo suado do futebol com um cheiro de macho irresistível que estava delicioso eu quase não consegui por ele na minha boca mas mesmo assim mamei ate que ele disse agora para e te vira que eu quero te comer, eu sabendo da dor que tinha sentido implorei pra ele não mim comer, mas quanto mas eu chorava mas ele gostava e mim pegou com força e colocou dinovo aquele caralho grosso na boquinha do meu rabo e disse relaxa putinha eu tentei mim acalmar mas aquela vara começou a mim rasgar todo estava ardendo muito e ele não parava de meter, eu estava gritando e ele deu um soco na minha cara e disse você não quer ser bonzinho né então toma tirou e meteu tudo de uma vez nossa que dor eu apaguei na mesma hora quando acordei ele estava mijando na minha cara e rindo muito falou olha fica caladinho se não eu te encho de porrada se veado e da próxima vez fica quietinho se não vai ser pior do que essa sua puta.

Ele saio e eu fiquei tentando mim levantar com o meu cu arrombado saindo sangue e porra tudo misturado depois de um tempo mim levantei e já era tarde fui pra casa todo sujo morrendo de medo de alguém mim ver o fundo do meu short estava encharcado, mas tive muita sorte acho que já era quase umas 07 da noite e a minha casa e uma das primeiras da rua ninguém mim viu, quando cheguei em casa entrei pelos fundos e fui direto pro banheiro sem que ninguém percebesse minha mãe gritou dizendo que ia sair mas o meu pai e meu irmão estava pra escola eu fiquei só em casa então aproveitei pra acabar de mim arrombar sozinho com minha própria mão, mas isso fica pra outro conto.



Autor: antoniooliveira
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto Enviado pelo Internauta.