Eu devia ter uns dez ou 12 anos nen me lembro, mas meu tamanho ja era de um menino de 15 pois sempre fui alto magelo, Hoje tenho 45 anos, e bundinha empinada, sempre nutria um desejo em homens sem saber o que estava se passando..

Certa vez estava na casa de minha tia que é tia meu pai, e um tio, meu irmão meu pai estava nesta casa, estava só eu meu tio e meu primo que devia ter uns 18 anos...

Eles pediram para que eu ficasse no quarto dormindo que estaria brincando de casinha eu era o filho eles marido e mulher, mas eu fingi que dormia e fui no quarto que eles estavao, não tinha porta era só uma cortina, onde dava para ver tudo, meu tio mandava bala em meu primo ele gemia e se contorcia todo...

Meu tio enterrava uma bela vara naquela bunda branca do meu primo, meu pau ficou duro na hora, sentia coisas estranhas em mim..

Logo ouvi meu tio cansado e gemendo por cima meu primo, voltei para cama e fiquei quietinho como se não soubesse de nada... Depois disso meu tio foi embora e fiquei com meu primo, ele meio sem graça parece que sabia que eu tinha visto me agradava de todo jeito..

Meu primo era lindo loiro com uma mecha branca bem na franja um corpo escultural..

Depois disso tudo corria normal até um dia eu estava brincando numa palhoça onde guardava palha milho, sacas arroz umas maquinas de moer milho, meu primo chegou, começou a conversar comigo..

Eu notei volume em sua calça, e toda hora ele passava a mão.. Ele deito nas palhas e disse acho vou bater uma punheta, eu nem sabia o que era punheta, ele tirou seu pau para fora, era enorme, e grosso, cabeçudo todo rosado, eu me assutei com tamanho fiquei olhando olhos estalado, ele o que foi, nunca viu, eu nada respondia..

Ele manejava aquele nervo com habilidade, ele perguntou se não queria pegar, eu fiquei vermelho mas morrendo vontade, logo ele insistiu eu segurei aquela vara quente e pulsante, eu segurava me tava uns tremiliques ela babava um liquido, ele me ensinou a punhetar, logo pediu para eu abaixar meu shorts queria ver meu bum bum, eu inocente mostrei a ele, ele passava a mão me dava umas cocegas, pediu para eu virar e ficar de quatro, e abrir minha bunda eu fiz com vontade ele rossava seu pau em minha bunda meu rego, logo gozou ecorrei todo meu rego...

Ele disse não conta pra ninguem amanha vamos continuar... Confimei que não contaria, a cena de pegar seu pau e ver ele soltar porra fiou em minha mente...

Fiquei noite td pintinho duro.. Depois cont.....


Autor: Igor
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto Enviado pelo Internauta.