Oi eu me chamo john, tenho 18 anos, 187 altura, cabelo preto, olho azul, e o que vou relatar aqui aconteceu mesmo, nada é inventado, eu moro no interior de são paulo, desde que nasci, então conheço tudo por aqui.

A cerca de uns 2 anos atras chegou aqui no lado de minha casa um caminhão de mudanças, na casa abandonada ao lado da minha, com uma garagem grande e um quintal amplo, quando eu vi um jovem da minha idade descer do caminhão, juntamente com o motorista, vou descreve-lo, 193 altura, loiro, olho azul, e muito lindo, de nome marcos, eu já havia ficado com uns carinhas mas nunca houve algo mais sério, acabei me interessando por esse moço.

Quando ele havia se instalado completamente eu fui fazer-lhe uma visita, e acabamos se tornando amigos, assim percebi que ele só usava shorts, tanto no inverno quanto no verão, o meu vizinho trabalhava com uma mecanica, que ele havia instalado na garagem, o quintal estava cheio de entulho, então ele me convidou para limpar, eu fui, não pensando em nada de diferente, assim no sabado de manhã nós fomos, e começamos a limpar.

Quando fui carregar umas pilhas de péças velhas, e vi que marcos parou para tirar a camisa, meu deus que peitoral, que corpo lindo, quase desmaiei na hora, mas me contive, e segui fazendo o meu serviço, ele ali só de shorts e sem camisa, aquela escultura na minha frente, parei estaquiado com tanta beleza, nessa hora o tesão falou mais alto e tive que me conter pra não fazer besteira, mas depois eu me arrependi de não ter feito algo.

Então quando chegou tres e meia da tarde marcos estava exausto de trabalhar, ele parou para descansar um pouco, e foi quando sem querer, eu esbarrei nele e encostei em seu pau, estava endurecendo, ainda que ele não percebeu, pra mim ele era bem dotado, eu tava doido, queria aquele gostoso de qualquer maneira, então tramei uma maneira de conseguir ter ele pra mim, me despedi dele e fui para casa já pensando em como botar meu plano em ação.

Como marcos morava sozinho, eu fui especialmente à sua casa antes com uma caixa de cerveja, quando cheguei ele estava se preparando pra ir tomar banho, então ele me diz pra esperar ele sair, e eu fiz o que ele disse, me sentei e esperei ele tomar banho, fiquei olhando sua casa, não era muito grande, tinha um monte de caixas ainda por abrir, um sofá e uma estante com tv, recem colocados nas paredes, mas o resto estava pra arrumar.

Marcos saiu do banho e foi se vestir, colocou um de seus famosos shorts e sem cueca, eu estava na sala esperando ele vir, já tinha tomado uma garrafa de cerveja, então marcos chegou, quando eu o vi vindo com aquele shorts branco, sem cueca e tudo balançando meu tesão floresceu na hora, imediatamente lhe alcançei uma garrafa de cerveja, ele a tomou esvaziando-a pela metade, em seguida foi outra e outra, e eu só molhava o bico.

Marcos tomou todas as garrafas de cervejas e tava num pileque que não se aguentava em pé, até que desmaiou, quando ele desmaiou eu o ataquei, abaixei seu shorts e chupei seu pau, ele foi se animando e endureceu na hora, chupei como nunca, fui chupando até que ele gozou na minha boca, e engoli sua porra, subi seu shorts e sai, deixando ele dormindo, fui pra casa e tomei um banho, esperando o dia seguinte, quando eu o pegaria pra valer.

No dia seguinte fui a sua casa de novo, marcos estava dormindo, eram 7 da manhã, entrei em sua casa e fui para seu quarto, ele estava com o mesmo shorts e pau duro, fiquei olhando aquela cena que me excitou na hora, não aguentei e abocanhei seu pau ali mesmo, chupei como nunca, ele acordou meio assustado, mas não mandou parar, assim eu fui chupando até que ele disse que ia gozar e gozou na minha boca todo o seu gostoso leite que eu engoli tudo.

Depois que ocorreu isso, marcos agora já estava sabendo do que eu gostava, e que eu queria ser dele, ainda não tinha dado o cú pra ele, e eu queria lhe dar, ele disse que eu seria todo dele, que ele iria me comer pra valer, pra mim nunca esquecer, bem que eu tava querendo, então ele arrumou uma maneira de nós começarmos a trepar, assim que ele fosse trabalhar no outro dia, eu levaria pau, de uma maneira que me faria querer sempre mais.

Assim a semana se desenrolou normalmente, como eu o ajudei a limpar seu quintal anteriormente, ele me convidou pra trabalhar com ele na oficina, eu aceitei, pois precisava de dinheiro e queria ficar com ele, na segunda feira comecei a trabalhar na oficina e fiquei muitas vezes olhando pra ele, pensando em como seria trepar com ele, assim que entrei na oficina, eu vi pendurado um macacão para o serviço, o peguei e fui até o banheiro e o vesti.

Coloquei o macacão sem cueca por baixo e fui trabalhar, e me abaixei em baixo de um carro, enquanto o arrumava, marcos me avisou que ia sair para fazer um socorro em um carro, mas que não demorava a voltar, então ele saiu, eu fiquei meio chateado pois esperava que rolasse algo entre nós, mas resolvi esperar, alguns minutos depois que marcos saiu, um jovem caminhoneiro chegou, devia ter uns 28 ou 29anos, ele vestia só uma calça de moleton.

Ele me pediu se eu era o mecanico, eu disse que era ajudante, e que ele havia saido, e que cara lindaço, apesar de eu querer marcos, fiquei interessado por ele, eu pedi que me ajudasse, e ele se abaixou pra me mostrar o que havia estragado em seu caminhão, o cara abriu as pernas, e sua calça estava rasgada na parte da frente, o cara tava sem cueca também, e seu pau estava aparecendo, em compensação era um pau lindo, uma cabeçona rosada e grossa.

Ele reparou que eu não tirava os olhos de seu pau, e pediu se eu queria pegar ele, eu balancei a cabeça em aprovação, ele abaixou a calça e eu peguei no seu pau que devia ter uns 20 cm, chupei tudo até não aguentar mais e ele gozou na minha boca, me virou de costas e enfiou de uma só vez o seu pau no meu cú, socando cada vez mais rápido, me arrebentando por dentro, minhas pregas arregaçaram e eu sentia uma dor e prazer ao mesmo tempo.

Fodemos de tudo o quanto foi posição, ele gozou umas 4 vezes no meu cú, e depois ele foi ao banheiro se lavou, vestiu a calça e foi pro caminhão, pegou um papel e anotou seu celular e seu nome, henzo, e disse que queria me comer mais vezes, eu peguei o papel e coloquei no bolso, nos beijamos loucamente e ele queria que eu fosse com ele viajar de caminhão, eu disse que nas férias eu iria, pois trabalhava ali na oficina, ele me disse que ia esperar e viria me buscar.

Eu estava eufórico esperando chegar esse dia, depois que henzo foi embora, eu fiquei tão pensativo que não vi quando marcos retornou, e ele chegou e já me beijou na boca, me chamou de mulherzinha, de putinha, e foi me pegando com força e me agarrando, me colocou sobre um carro, me beijava feito um louco, dizia que me comeria, mas que era pra eu dar só pra ele, e pra mais ninguem, eu topei, mas pensei em henzo, queria dar pra ele também.

Assim no outro dia fomos normalmente trabalhar, até que logo marcos me agarrou e me debruçou sobre um carro e abaixou meu macacão, enfiou seu pau duro no meu cú de uma só vez, e me arrebentou por dentro, socava e socava com exatidão, com força e cada vez, mais rápido, enfiava tudo, teve uma hora que senti suas bolas batendo na minha bunda, fodemos cerca de uma hora, ele gozou no meu cú, nunca vi tanta porra na minha vida, escorria por entre as minhas pernas e nos beijamos, ele me disse que agora eu era uma completa mulher, a sua mulher, fui me lavar no banheiro, e me vesti e fui trabalhar, assim cada dia transavamos, e sempre pensava nos dois, mas estava feliz pois havia dado pros dois, o tempo foi passando e sempre acontecendo entre eu e marcos, até que havia chegado as férias, marcos só iria me deixava ir viajar se ele fosse junto, eu tive que inventar uma boa desculpa pra ele não ir.

Disse que ia à casa de uns parentes, e que meus parentes eram bem tradicionalistas, não aceitavam certas coisas, e afinal, que desculpa eu daria pela sua presença, ele meio que não gostou, mas depois acabou concordando, pois eu estava certo, ele me falou que era pra eu voltar logo, pois ia morrer de saudades nesses dois meses que eu passaria fora, ele me disse que iria se resguardar só pra mim, eu achei muito lindo, pois era a primeira vez que um homem me falava aquilo, então nós nos beijamos mais intensamente dessa vez, no outro dia ele me acompanhou até a rodoviaria, nos demos um aperto de mão e disse que não demoraria, pois iria passar ligeiro, e então nos despedimos normalmente pra ninguem perceber, ele virou de costas entrou no carro e foi embora, fui viajar com o jovem camioneiro, e fizemos tudo de novo.

Continua...


Autor: john
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto Enviado pelo Internauta.