Vou relatar o que aconteceu comigo e com meu colega da universidade, um japinha lindo.

Não tinha tara por japonês, mas depois desse dia, passei a amar cada vez mais esses nipônicos.

Vou me apresentar, meu nome é Caique (fictício) sou estudante do segundo ano de engenharia de produção de uma universidade, tenho 22 anos, cabelos curtos meio ondulados e olhos verdes, tenho um corpo normal e pouco definido por causa da academia que faço.

Sou super discreto, ninguém sabe de mim, apenas uns caras que já sai mas nada mais.

O japinha de que eu falo é o Lucas (fictício), tem 20 anos, cabelos curtos lisos e cheio, olhos castanhos escuro, tem um corpo normal, lisinho, branquinho, super gostosinho.

É tímido e discreto também. O jeito dele meio tímido e todo sem graça, cativa todos que convive com ele. Tudo começo quando viramos calouro, falamos pouco um com outro, uma que ele ficava em um grupo e eu no outro, mas sempre agente cumprimentava e também conversávamos pouco.

E só no segundo ano que começamos nos aproximar, já que fizemos uma matéria junto e ele ficou no meu grupo para um trabalho e depois disso começamos a estudar juntos na biblioteca e chamar para festas no final de semana.

Ele sempre ia e ficamos lá bebendo, jogando conversa fora, isso porque era um grupo de uns 5 rapazes e 3 mulheres, sempre reunimos quando possível.

Aos poucos nos começamos a ficar mais a vontade um com outro, e mais intimo. Um já xingava o outro, dava soquinho, colocava o braço em volta do ombro, os que garotos fazem na época da faculdade.

E eu começava a ver o quando o Lucas era bonito, principalmente quando dava o sorriso, cheiroso, e usava camisa e calça meio apertado que dava pra ver todo o formato da bundinha e cheguei a ve o volume da frente, nunca tinha visto um japinha lindo, já que na minha vida toda morava em cidade pequena e na minha cidade não tem japonês.

Só que acreditava que ele não curtia, pois não dava pinta de que gostava.

Mas essa intimidade começou a ficar mais intenso, a ponto da gente trocar olhares mas sempre desviava.

E eu ficava desconfiado dele, as vezes dormia pensando que seria bom demais se eu ficasse com o Lucas, pegar naquele corpo branquinho e lisinho e beija muito ele, já que a boquinha dele era vermelhinha e carnudinha.

Confesso que já tinha batido vários pensando nisso, rs.

Isso foi até o dia que tirei a minha dúvida, foi engraçado porque, fomos a uma festa próxima com carro de um colega e na volta veio mais amigo nosso, o banco de trás ficou super apertado.

'Nisso eu entrei primeiro pra ficar na janela e dae logo o Lucas veio depois ficando o corpo todo dele colado no meu e enfim coube 5 marmanjos no banco de trás, muito apertado.

Pude perceber que o Lucas tava quase no meu colo e pude senti o perfume dele e até o cheiro dele característico, bom demais.

Nisso com o balanço do carro ele veio pra mais perto de mim a ponto do braço dele deslizar e cair perto do meu pau.

Fiquei imóvel na hora e assustado, mas ao pensar que ele estava quase tocando no meu pau e com aquela situação toda que meu pau começou a fica duro e parece que o Lucas percebeu e mesmo assim deixou o braço.

Fiquei com baita medo se ele conta pros caras que eu estava de pau duro.

Nisso senti que ele mais roçava o braço dele no meu pau disfarçando do que o balanço do carro, vi que ele ficou quieto também e nem me olhava e vi que pelo jeito estava gostando da coisa.

Chegando no centro, descemos do carro, nisso tive que disfarça já que meu pau estava meia bomba. Eu e Lucas subimos a ladeira já que moramos perto.

Começamos a conversa e quando batemos no assunto do carro cheio eu tive coragem e disse:

Eu - Meo lá dentro do carro estava tão apertado que fiquei de pau duro (risos)

Japinha ? É eu percebi

Eu ? Como vc percebeu??

Japinha ? Eu senti, estava apertado e nem dava pra eu me mexer.

Eu ? E porque não falou nada?

O Lucas ficou um pouco quieto nessa hora mas penso bem e enfim falou:

Japinha ? Fiquei sem graça porque eu também fiquei de pau duro.

Nessa hora ele abaixou a cabeça e deu um pequeno aperto no pau.

Era o sinal verde que estava me dando e vi que era a chance de ter ele pra mim. Logo eu falei:

Eu ? Bora la em casa termina as cervejas que sobraram??

Ele respondeu que sim e fomos. Chegando lá logo fui pega uma cerveja pra ele e tirei a camiseta. Ele estava no canto da sala meio tímido.

Cheguei perto dele com meu coração quase pulando pra fora da minha boca e ofereci a cerveja, ele pegou e bebeu e logo peguei a mesma cerveja da mão dele e bebi também, nisso estávamos bem perto um do outro e fui devagarinho chegando perto a ponto da minha boca fica próxima a dele.

Fiquei focado no olho dele e quando ele me olhou, foi então que dei pequeno selinho nele, foi sensacional senti a boca dele geladinha por causa da cerveja.

Puxei ele mais perto de mim e beijei ele ainda mais. Passava minha língua dentro da boca dele e ele retribuía, ficamos uns 15min beijando assim.

Ao mesmo tempo eu passava a mão no corpinho dele, fui tirando a camisa dele, e sempre beijando a boca carnudinha, desabotoei a calça dele e deixei cai, deixando ele só de cueca.

Fui descendo chupando seu pescoço, seus peitinhos, descendo e ficando ate a barriga dele q era todo lisinho e branquinho, lambi tudinho e ele gemia baixinho.

Vi que ele estava de pau duro dentro da cueca, desci a cueca dele e vi teu pau médio todo lisinho, devia ter uns 16cm, com cabecinha rosadinha, uma delicia.

Dizem que japonês tem pau pequeno mas o dele era perfeito, muito melhor de muito pauzudo que já vi por ae.

EU não pensei duas vezes coloquei na minha boca inteira, ele delirava de prazer apoiado na parede e mexendo no meu cabelo e puxando pra mais perto do teu corpo.

Chupei muito ele a ponto de ele me conter dizendo que assim iria gozar. Ele me levantou, beijamos mais, me virou e me jogou na parede e fez o mesmo comigo.

Ele foi descendo e pude ver a bundinha dele toda branquinha e lisinha, do jeito que eu gosto.

Ele engolia meu pau todo, a ponto de engasgar já que o meu pau tem 18cm. Adorava ver aquele japinha lindo chupando meu pau, as vezes ele olhava pra mim e via o rostinho dele e me dava mais tesão ainda.

Depois disso levantei e só virei ele, e dae pude ver a bundinha branquinha e um cuzinho rosadinha, sem pêlos nada, não aguentei e fiquei roçando meu pau na bundinha dele.

Ele foi forçando a bundinha ao encontro com meu pau e como meu pau já estava todo meladinho aos poucos meu pau foi entrando.

Ele começo a gemer, não podia faze barulho então tampei a boca dele com a mão e fui enfiando mais ainda.

Quando meu pau estava todo dentro dele, comecei a um vai e vem gostoso, mas que japinha gostoso, tinha um cuzinho bem apertadinho e rosadinho, me dava um tesão danado.

Comecei a mete sem parar, mordendo aquele pescoço todo cheiroso, estava muito bom tudo aquilo, falei no ouvido dele que estava quase pra gozar, foi então que ele falou pra gozarmos juntos.

Fui metendo meu pau todinho nele e ele punhetando, estava metendo muito nele, estava adorando ele colado com a parede com a bundinha empinadinha.

Foi então que ele falou que ia gozar e começou a jorra porra tudo na parede, eu não aguentei e estoquei uma no fundo e gozei demais. Deixei meu pau todo dentro do cuzinho e cai nas costas dele, beijando a nuca já todo suado.

Ele transpirava pois a sala estava quente, ficamos assim com respiração ofegante.

Tirei meu pau e falei pra irmos tomar um banho e fomos tomar banho juntos, saímos mas conversávamos pouco, estávamos cansados e falei pra ele dormir em casa mesmo, mas ele disse que iria pra casa descansar, abri a porta pra ele e saiu.

Fui dormir não acreditando no que fiz, pensei em mil coisas, se ele iria conversa comigo, e se alguém souber, se iria olhar pra mim, se ele gostou.

Enfim, no dia seguinte nas aulas, nós conversamos normalmente, parece que nem tivesse rolado nada.

Foi até que numa hora estávamos sozinho e ele disse baixinho que foi muito bom a noite passada e nisso já imaginei que ia rolar muito mais, mais isso eu conto depois.


Autor: Caique
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.