Boa qualquer hora, sou negro natural da Guiné, chamo-me Paulo, tenho 55 anos, bissexual viúvo, pai de 5 filhos, 1m83, 71kg, cabelo cortado a máquina pente 4, poucos pelos pelo corpo, ando sempre barbeado, 19cm X 5,5 reto e circuncidado. Sou exclusivamente ativo.

Moro em Portugal há 26 anos, sempre tive tara por homens brancos, loirinhos e lisinhos. Já tive imensos namorados, lindos, cada um mais gostoso que o outro. O que vou falar é de um loirinho, branquinho, lisinho, 1m76, 65 kg, pau com 11cm X 3, olhos azuis, cabelos loiros e curto. Vou chama-lo de Sérgio.

Como muitas pessoas do leste chegavam ilegalmente a Portugal nos anos 90, ele foi um deles, dizia-se casado com mulher e ter uma filha, tudo mentira, um passivo com um rabo muito gostoso, redondo e arrebitado, sem marcas.

Sérgio foi namorado de um brasuca amigo meu, que comentou ser o namorado frio e sem reação na cama, sabia apenas deitar e ser penetrado, beijava mau, não queria trabalhar e gastar muito o dinheiro dele...

Então disse-lhe “dá-me esse gajo que o ensino a fuder, ser um passivo perfeito, como ele é lindo”, meu amigo riu e disse “é todo teu, já despachei”, não deu outra, peguei e comi muito, meu amigo estava certo com relação ao sexo com Sérgio.

Como tenho tara por homens passivo iguais a Sérgio, fui comendo o máximo que podia, um dia descobri que ele andava envolvido com comerciantes de droga, na primeira oportunidade, dei uma boa foda, me satisfiz naquele rabo lindo e gostoso, depois acabei com tudo...

Ele ainda procurou-me algumas vezes a dizer que amava-me e queria ficar comigo, disse-lhe que acabou pois eu sou negro, mas não sou escravo para trabalhar e sustenta-lo.

Nunca mais o vi.

Há 9 anos conheci um brasileiro, lindo, trabalhador, passivo discreto, Fisioterapeuta, fiel e sincero, casa própria, e acima de tudo, incentiva-me e impulsiona-me para cima e para frente.

Sérgio, é passado, agora sou casado pelo civil com meu Rafinha.


Autor: Paulo
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.