Numa noite de sábado, sai pra tomar uma cervejinha.

Tomei 1,2,3, 4... por fim no bar em que eu estava nao tinha ninguém interessante entao resolvi dar uma volta pelas ruas do centro da cidade.

Quero registrar aqui uma particularidade (curto muito um pau cheirando a mijo e tenho ou tinha a curiosidade de chupar um pau com sebo).

Bom, com o tesao a flor da pele na minha mente eu queria um belo caralho fedido e isso me impulsionava a busca-lo, até que passando por uma rua vi de longe um cara num telefone publico da rodoviaria, com um aspecto sujo, uma camiseta branca encardida.

Fui bem devagar até que ele saio do orelhao, entao eu o comprimentei, ele sorrio e deu com a mao, resolvi ser mais direto e passei a lingua nos meus labios, deixando claro o que eu queria.

Ele falou que estava com fome etc e tal, então eu disse que lhe daria uma grana, porem que queia chupar o pau dele, ele sorrio de novo deu uma pegada na pica.

Pediu pra entrar no carro, eu disse que não e direcionei-o pra um lugar tranquilo, estacionei o carro e fui para o lugar tambem.

Chegando lá ele abaixou um pouco a bermuda, eu me ajoelhei na fente dele e com toda delicadeza peguei naquele mastro sebento e com um forte odor, ele estava imovel e eu me oferecendo como uma cadela, num rompante ele me fez engolir seu pau, senti nojo, tesão e vontade de vomitar, mas sentir aquelas maos asperas flexionando minha cabeça contra aquela regiao mal cheirosa e peluda me deixaou maluco.

Mamei e gemi até o ponto de pedir pra ele me comer, e ele só respondeu, - vira ai.

Eu quis mostrar ha ele que ele era o macho da situaçao, então o beijei de leve o rosto o pescoço e desci pelo peito, barriga e abocanhei de novo aquele caralho regido e fedido, com uns 17 cm, grosso, com sebo ao redor, e um cheiro que me fazia perder o sentido.

Subi novamente e fui me virando, lhe entreguei um preservativo e ele como um animal foi forçando a entrada, pedi pra ele ir de vagar pra nao me machucar, ele entendeu o recado e meteu cuspe no meu rabo dessa vez deslizou gostoso, deu algumas bombadas e gozou, tirou o preservativo e perguntou se eu queria limpar seu cacete, eu muito obediente o deixei limpinho.

Subi sua bermuda e percebi nele um certo espanto pela minha servidao, entao me puxou pra perto do seu peito e me abaçou, Mais uma vez eu o beijei delicadamente.

Dei-lhe a grana que havia prometido e sai sem olhar pra tras.

Obs: Esse conto é real, e talves deixe a desejar para alguns, mas quis escreve-lo para dizer que se tiver caras que curtam ser mamado com uma cacete fedido ou que curtam mamar entre e contato comigo.


Autor: Kaio
E-mail - kaiofelipp_felipp@hotmail.com
Skype - kaiofelipp_felipp@hotmail.com
Conto enviado pelo internauta.