Essa história aconteceu quando eu tinha 15 anos. Foi minha primeira experiência e meu primeiro amor. Ele era meu tio de consideração, pois era o terceiro marido da minha tia. Ele tinha 28 anos, dez menos que ela, mulato, 1,85m de altura, corpo sarado, mas não musculoso.

Tudo começou não lembro o dia mais sei que era fevereiro.

Eu estava jogando game na sala e ele chegou procurando meu avô. Falei que ele não estava e que demoraria, só chegaria depois das 17 horas, ainda não era nem 14 horas. Ele falou que iria esperar. Eu falei tudo bem e continuei jogando. Ele ficou olhando eu jogar e pediu para eu ensina-lo, pois não sabia. Então ele sentou no chão ao meu lado e lhe passei o controle. Ele não sabia mexer. Estava fazendo força, bruto mesmo. Falei que ele ia quebrar e ele pediu para eu mostrar como era então.

Ele colocou a mão encima da minha para ver como eu mexia e falei para ele que tinha que ser com calma de leve para não quebrar. Ele falou que não conseguia porque ele era muito bruto, coisa de homem. E que eu conseguia porque era criança ainda e era delicado. E que meu jeito era legal e ele curtia muito esse meu jeito de ser. Pediu que eu deveria continuar assim e não fica bruto como ele e meu irmão.

Ele disse que eu era diferente e que tomasse cuidado porque as pessoas não iam entender meu jeito e iam me magoar muito. Mas que eu podia confiar nele e, se abrir com ele, que ele me entedia e seria meu amigo sempre. Para eu não ter medo nem vergonha dele. Ele falou ainda que eu podia confiar nele, que ele ia me tratar sempre do jeito que eu merecia e que ele curtia muito meu jeito.

Então ele me abraçou e me beijou na testa e falou que iria me proteger e ficou abraçado comigo me apertando forte e dizendo para eu sentir como ele era forte e que podia me proteger. Ele se encostou no sofá abriu as pernas e mandou eu sentar no meio das pernas dele e ficou me abraçando pelas costas e pediu para eu ensinar ele jogar e pôs a mão encima da minha para aprender a mexer no jock.

Ficamos um tempão jogando e ele ficou falando que nos era como um só que não haveria segredos entre nos e que ele iria me proteger de tudo, me fazer feliz e me ensinar a ser feliz, ficou falando bem perto da minha orelha, dando beijos no meu pescoço e me apertava cada vez mais junto do seu corpo.

Ai eu falei que estava com calor e que não dava pra jogar apertado assim. Ele tirou minha camiseta e falou para ficar mais a vontade, e ficou me abanando com a camiseta. Então ele falou que também estava com calor tirou a camisa dele e falou que ia tirar a calça também porque era jeans e estava suando e ficou só de cueca e mandou que eu sentasse de novo que ele estava quase aprendendo como usava o jock. Ficamos jogando e ele disse para eu tirar o short, que como era de náilon estava fazendo com que ele suasse muito. Ai eu falei que estava sem cueca e ele disse que não tinha nada a haver que ele era meu tio e que não tinha problema, que eu ficasse confortável e confiasse nele.

Fiquei pelado, mais com vergonha. Jogamos mais um pouco e ele começou a fechar a perna me apertando. Reclamei que estava me apertando e não conseguia jogar. Ele fechou as pernas e mandou que eu sentasse no colo dele. Ele falou para eu ficar jogando que ele só olhar mais que eu podia fica no colo dele.

Ele ficou balançando como se estivesse brincando de cavalinho, se esfregando e me apertando. Eu perguntei se não estava pesado e ele falou que nada que eu era uma pena para ele, que nem sentia meu peso por que ele era homem feito e estava acostumado com peso.

Ele perguntou se eu não tinha percebido que ele estava de pau duro. Eu falei que sim mais estava com vergonha de falar. Ele falou que com homem é assim mesmo para eu não ligar para isso não.

Ele falou para eu ficar bem juntinho que passava e voltava ao normal e que para não machucar ele ia ficar sem cueca também e mandou que eu levantasse e sentasse no chão. Ele se levantou ficou em pé na minha frente, tirou a cueca e perguntou se eu já tinha visto homem daquele jeito. Eu falei que não. Ele perguntou se nunca tinha visto homem de pau duro. E eu falei que só no banheiro da escola.

Ele falou que com ele não tinha problema nenhum porque ele era meu tio e a partir de agora ia cuida de mim e me ensinar um monte de coisa que ia ser segredo só nosso. Ele ficou em pé na minha frente e eu sentado no chão e chegou bem perto de mim e falou para eu não ter medo nem vergonha que isso era normal só que não se fala para ninguém e ficou bem perto fazendo carinho no meu cabelo e o pau dele bem perto da minha cara.

Ai ele falou olha como esta quente e esfregou o pau na minha testa. Segurou minha cabeça e encostou o pau na minha boca e falou viu como está quente e mandou eu abri a boca para sentir melhor a quentura. Obedeci e ele colocou a cabeça do pau na minha boca ele puxou meu cabelo com força, gemeu e pediu para eu abrir mais a boca e colocou mais o pau na minha boca e eu tossi engasgando. Ele falou que ia ficar parado um pouco para quentura diminuir e mandou que eu fechasse a boca sem morder, só fechar os lábios.

Ai ele segurou minha cabeça com força e ficou fazendo vai e vem na minha boca devagar. Ai ele tentou coloca todo e eu tossi de novo e ele segurou com mais força e fez mais rápido e gozou e na hora que gozou colocou todo dentro da minha boca e eu comecei a me debater e ele mandou eu ficar um pouquinho quieto e, engolisse tudo para não me sufocar, que ia passar logo.

Ele ficou um pouco quieto, tirou da minha boca, sentou no sofá e perguntou se eu tinha engolido tudo se não tivesse que tinha que engolir tudo o leite que ele me deu que faria bem para mim por que ele fez com muito amor. Balancei a cabeça dizendo que sim e ele me mandou lavar a boca no banheiro.

Quando voltei do banheiro ele falou que só tinha esfriado um pouquinho e que ia me mostrar como fazia para voltar ao normal e mandou que eu ficasse em pé na frente dele e ficasse olhando para o pau dele. Ai ele começou a bater punheta e me olhava e mandava eu olha só para o pau dele. Ai ele viu que o meu também estava duro e mandou esconde-lo no meio da perna que não era para eu fica mostrando o pau para ele. Eu obedeci e fiquei com meu pau no meio da perna com a cabecinha dele virada para atrás.

Ele me chamou para mais perto dele e com uma mão batia punheta e a outra ele apertava meus peitos e passava na minha frente dizendo “quero ver esses peitinhos crescerem para eu mamar”. “Se você fosse mulherzinha ia ser linda e ia ter uma bucetinha gostosa” .”Que agora eu era só dele que ele era meu protetor que ia me ensinar tudo para nos sermos felizes”. “Que ele ia casar comigo, que ia me dar muitos presentes e me encher de carinho”. Pediu para eu prometer que eu ia ser só dele e que eu também ia cuidar dele, ia fazer ele feliz, que eu ia obedecer ele e fazer tudo q ele mandasse. Respondi que sim e ele mandou eu repetir o que ele tinha falado e eu repeti e ele gozou apertando minha bunda e dizendo que queria me possuir. Ai ele uivou feito lobo. Me largou e foi paro o banheiro.

Quando voltou perguntou por que eu ainda tava pelado e mandou eu me vestir. Ele se vestiu, fez carinho na minha cabeça e mandou eu não esquecer o que eu tinha prometido para ele e mandou eu limpar o chão e não deixa nenhum vestígio.

Ai ele me abraçou e falou que agora eu era dele e ele ia cuidar de mim. Que ele estava me amando e nos íamos ficar juntos como namorado e se eu fosse legal com ele, ele iria me tratar com namorada dele e me daria muitos presentes e ia me fazer feliz e que depois ele ia me levar para morar com ele. Só que tinha que ser tudo em segredo, ninguém poderia saber.

Ele falou tinha que ir embora antes do meu avô chegar e se que eu ficasse quietinho que ele vinha me ver e me trazer um presente pra mim, que depois ele ia ver que game eu não tinha e me trazer. E foi embora.

Eu limpei o chão e o sofá que estava melado do gozo dele e fui para meu quarto ficar quieto pensando no que aconteceu.


Autor: Kayke Iron
E-mail - Não Divulgado
Skype - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.