Lembrando, já tenho 37 anos, e este conto aconteceu a bastante tempo atrás.

Quando comecei a provar o que as meninas gostam, já tinha meu quarto separado, já tinha experimentado sexo com meu colega Carlinhos e seu irmão André, e transei mais 2 vezes com o vigia do prédio deles o seu Arnaldo.

Sempre gostei de chamar amiguinhos do colégio na minha casa, tinha 4 colegas favoritos que freqüentavam meu quarto, bebíamos cerveja e outras bebidas mais fortes para o clima ficar legal, sempre quando estávamos sozinhos em casa.

Eu sempre chamava um de cada vez, trancava a porta do quarto e mostrava várias revistinhas de sacanagem, eu sempre tirava a roupa toda, eles ficavam sentados com o short arriado e começavam a tocar punheta e eu sempre peladinho, inventava uma desculpa e ficava em pé de costas pra mostrar minha bundinha enquanto eles continuavam batendo punheta.

Eu estava com meus 15 anos e o máximo que tive coragem de fazer nessas ocasiões foi deitar de bruços na cama e colocar maus pés em cima do pau deles.

Eu fingia que olhava uma revistinha e sentia o pau duro roçando no meu pé e algumas vezes o quentinho da porra molhando minhas pernas quando gozavam.

Tinha um colega chamado Felipe, tinha um pau lindo, comprido e fino, eu tomei coragem e fiquei deitado bem com a cara perto do seu pau e comecei a imitar uma mulherzinha gemendo de tesão, ele acabou gozando de olhos fechados e molhando minha cara com sua porra.

Todas as vezes que meus colegas apareciam em casa comentavam sobre minha irmã, que era um pouco mais nova, bem moreninha de praia e gostosinha.

Eles faziam comentários do tipo: um tesãozinho sua irmã, você já viu ela pelada?, falavam muitas sacanagens elogiando os peitinhos e bundinha dela.

Uma vez chamei um deles lá em casa quando meus pais tinham saído, ficamos na sacanagem de sempre e de repente tive uma idéia: perguntei se ele não queria ver minha irmã tomando banho.

Imediatamente ele concordou, ela tinha acabado de voltar da praia e porta do banheiro tinha umas dobradiças que eu dei um jeito de alargar, ficando uns buracos que dava pra ver tudo.

Eu disse pra ele não comentar nada com ninguém, esperamos ela entrar no banheiro e eu mostrei pra ele como fazia pra ver.

Ele se abaixou e começou a olhar pela dobradiça da porta, ficava no corredor da casa. Ele meteu a mão no pau e tirou pra fora, puxou a cabeça do pau e começou a tocar punheta, eu estava do lado dele e só olhava pro seu pau.

Ele estava de joelhos e de repente parou e disse: que coisa gostosa! Que bucetinha! Ela entrou no chuveiro, cara sua irmã é um tesão!!

Eu vi que seu pau estava duro ainda e ele segurava e balançava ele, e falei: gostou? Fica olhando que ela vai sair do chuveiro.

Ele voltou a olhar pela porta e eu criei coragem e segurei a mão dele junto tocando a punheta, ele parou e olhou pra mim, mas depois voltou a espiar pela porta, tirou sua mão e eu fiquei segurando aquele pau sozinho.

Quando mina irmã saiu do chuveiro ele voltou a segurar o pau junto comigo, então falou baixinho pra eu fazer ele gozar, e ele gozou na minha mão e voltamos pro meu quarto antes que ela abrisse a porta.

Eu comecei a roubar umas calcinhas dela e mostrava pra eles, um chegou a gozar na calcinha. O mais safadinho deles, o Felipe, uma vez pediu pra eu vestir a calcinha, nem pensei duas vezes, coloquei ela de costas pra ele e rebolei.... gozou na hora.

Comecei a provocar eles dizendo que podia mostrar como ela dormia, o Ricardo disse que queria ver, então ficamos no meu quarto até tarde esperando ela dormir, mas antes disse que eu queria ver o pau dele e segurar, ele tirou pra fora já durinho e grosso, então segurei e abaixei pra mamar gostoso, mas quando ele ia gozar me afastou e disse que estava guardando pra minha irmã.

Entramos no quarto dela devagarzinho, estava só com a claridade da janela, ela estava deitada de barriga pra cima só de calcinha, com os peitinhos de fora, o Ricardo tirou o pau pra fora e começou a tocar punheta bem perto do rosto dela, abaixou e cheirou sua bocetinha quando não agüentou e gozou, tentou segurar espremendo a cabeça do pau, mas escapou um jato que foi direto na cama ao lado dela, aí eu dei a desculpa que ia limpar e passei a mão na porra quentinha depois lambi tudinho.

E assim foi durante um bom tempo, eu já estava com fama, mesmo chamando os garotos separadamente, eles se falavam e todos queriam mais, espiavam minha irmã depois de pagarem o pedágio pra mim, cheiravam suas calcinhas e gozavam no meu quarto.

Comecei a chupar todos e a vestir as calcinhas da minha irmã pra eles e 3 deles toparam me comer, um deles é claro o mais safadinho, o Felipe.

Autor: DedeiaCross
E-mail - dedeiacdpassiva@hotmail.com
Skype - dedeiacdpassiva@hotmail.com
Conto enviado pelo internauta.