Namoro há seis meses e sempre fiquei imaginando o meu cunhado pelado e me comendo gostoso, já que meu boy vivia dizendo que ele era bonito demais e tal.

Bem, eu ainda não o conhecia pessoalmente, só por foto, mas mesmo assim, fantasiava com ele.

Na semana passada tive o prazer de conhecê-lo. Fomos à casa dele, conversamos um pouco, jantamos e ele nos pediu pra dormir lá, pois iria à casa da ex namorada, tentar reatar e talvez dormiria lá. Aceitamos.

Fiquei na sala vendo TV e meu namorado estava na cozinha organizando tudo, então o Marcelo simplesmente trocou de roupa praticamente na minha frente. Fiquei louco.

Ele entrou no quarto, deixando a porta aberta, tirou a roupa e ficou só de boxer preta. Ficou de perfil, de modo que vi bem suas curvas, principalmente da sua bunda e volume grandes. Fiquei olhando de rabo de olho e percebi que ele me deu uma olhada e um sorriso safado.

Então ele saiu e fiquei a sós com meu boy. Como eu fiquei num puta tesão, tentei transar com ele, mas o boy não quis. Disse que tava sem vontade e cansado. Queria dormir.

Ele foi para o quarto e decidi ficar na sala vendo TV.

Bem, acabei cochilando no sofá e assustei com o barulho na porta. Era o Marcelo. Olhei pro relógio: 1h da manhã. Ele tinha saído às 11h.

- E aí, deu certo? perguntei.

- Nada. Ela é difícil. Tentei, mas não deu certo.

- Que pena, hein. Mas vc arruma outra, cara.

- Falar é fácil.

Principalmente vc que já tá arranjado. Mas o foda é que gosto dela, velho.

- Hum. Mas continua tentando, vai que ela volta.

- Pois é. Vamos tomar uma cerveja ou vodka?

- Bora. Vou de vodka.

Fomos a cozinha, ele pegou duas longneck e eu misturei uma vodka com sprie - era o que tinha. Horrivel - e voltamos pra sala. Daí ele disse:

- Vamos pro meu quarto, eu quero ouvir música. Assim a gente nao acorda o Danilo.

- Ok.

Entramos no quarto e meu tesão começou assim que o vi tirando a camisa. Em seguida, tirou o resto da roupa - tudo - e vestiu um samba canção. Fiquei louco. Nem disfarcei. Sequei o pau dele. Acho que ele não viu, pois tava procurando o short numa gaveta.

Fiquei mais louco quando vi q ele jogou a bermuda enrolada na cueca em cima de um pufe, dava pra ver a cueca bem exposta e tinha outra cueca em cima da cama.

Ele disse pra eu sentar na cama. Fiz. Ele ficou perto da janela e comecou a falar da menina e tal e a beber.

Eu só ouvia e não conseguia parar de olhar pro pau dele que estava bem evidente sob o samba canção.

Ele notou e disse:

- Sabe de uma coisa? Eu tô numa puta vontade de transar. Achei que iria rolar hoje, mas nao deu, né.

Apenas ri.

- Cara, não fala pro meu irmão, mas tenho vontade de comer um cara. Só pra saber de qual é. Acho que vcs gays chupam uma rola pra valer.

Apenas ri novamente e olhei pro pau dele. Estava duríssimo.

Ele, então, sem mais delongas, sem bem perto, tomou meu copo, baixou o short - uma pica linda. Retinha. Grossa e morena - e enfiou a rola dentro do meu copo. Depois falou:

- Chupa.

Nem hesitei. Caí de boca. Chupei gostoso. Suguei. Lambi. mordi de leve.

Ele gemia, puxava minha cabeça, meus cabelos.

Decidimos colocar as bebidas no chão. Então ele me puxou pra cima e me beijou. Um beijo mesmo. de lingua. Foi muito bom.

Depois mandou eu tirar a roupa. Fiz. Ele me pôs de 4 na cama, abriu minha bunda, esfregou o polegar no meu cu e apertou.

Então abaixou e falou no meu ouvido:

- Quer sentir minha língua ou minha rola?

- Quero os dois. Me come, vai.

Ele cuspiu no meu cu, encostou a língua - me arrepiei todo - e lambeu devagar. Fiquei louco. Entao ele começou a fazer rápido atè que enfiou a língua dentro do meu cuzinho. Foi muito bom.

Assim q ele percebeu que estava relaxado, foi a uma comoda, pegou uma camisinha e apertou o pau no meu cu. Começou empurrando ele. devagar, mas assim que entrou, ele socou de uma vez e tive de morder a mao, pra nao gritar.

Ele bombou bem gostoso. Me segurando pela cintura.

O pau dele pulsava. era uuma delicia. Mas ele gozou rápido.

Foram poucos minutos. Acho que ele tava muito doido.

Assim que ele gozou, relaxei na cama, sem forças. fiquei de bruços. Entao ele deitou em cima de mim, me penetrou e bombou bem forte umas cinco vezes. gemi baixinho. Entao ele sussurrou:

- Seu cu é gostoso. Apertadinho. Agora goza pra mim, vai.

Levantamos. Ele se sentou na cama e pediu pra eu gozar no peito dele.

Comecei a me punhetar. Fiquei imaginando ele me comendo e pedi:

- Coloca seus dedos em mim.

Ele rapidamente o fez. Perguntei quantos estavam dentro.

Ele:

- Três.

Então comecei a gemer baixinho e sentir os dedos me comendo. Não demorei a gozar. E que gozada. Sujei todo o peito dele.

Nos limpamos na sua suíte e agradeci pela foda. Ele disse que não faríamos de novo. Tinha sido coisa do momento e do álcool.

Concordei, mas fiquei triste por dentro.

Fui para o quarto onde meu boy dormi tranquilamente. Abracei ele e dormi me lembrando da foda.

Acordei de manhã muito excitado e fiz um sexo gostoso com ele. Comi ele bem forte, imaginando meu cunhado me comendo.

Bem, até agora meu cunhado tem mantido a palavra. Não rolou mais nada.

Vamos ver até quando vai. kkkkkk.

Autor: Cassius
E-mail - Não Divulgado
Skype - livreenfim@outlook.com
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta