Quem acompanhou os últimos contos sabe que, além de escravo do casal gostoso, caí nas mãos do vizinho safado também.

Depois daquele lance na casa do amigo dele, alguns dias se passaram até que em uma tarde de quinta-feira, meu vizinho mandou uma mensagem dizendo que era pra eu levá-lo na faculdade, por volta das 19h.

Fomos pra lá e, no caminho, ele não deu muitas pistas do que queria fazer comigo, mas tinha certeza que a ideia era aprontar alguma lá. Quando chegamos ele falou pra eu ir junto com ele.

Me levou até um dos banheiros, me mandou entrar no reservado, tirar a roupa e dar pra ele, que guardou tudo na mochila.

Então ele entrou, me algemou sentado na privada, com as mãos presas atrás, no cano, me fez mamar um pouco a vara dele e saiu.

Fiquei lá largado, preso, pelado, sem saber o que ia acontecer.

Uns 15 minutos depois, alguém entrou no banheiro. Fiquei morrendo de medo de alguém me descobrir lá, pelado. O cara deu três batidinhas na minha porta, que eu prendia com os pés, e disse: "abre viadinho".

Deixei ele abrir. Era um amigo do meu vizinho, que ele tinha mandado lá pra me fuder. Me fez chupar e comeu meu rabo com força.

Eu tinha que me controlar pra não gemer, já que volta e meia alguém entrava no banheiro. Levei um banho de porra e ele saiu.

Um tempo depois, apareceu mais um. O esquema foi o mesmo: mamei, levei vara e banho de porra.

Ao todo foram seis carinhas, que depois eu descobri que ele tava caçando pelo grindr. Já era mais de 22h quando ele apareceu e me fez mamar até gozar.

Perguntou se eu queria ir embora e tirou a algema. Disse que sim e ele sacaneou mais um pouco. Não devolveu minhas roupas, só meu celular, e falou que eu iria ficar mais um pouco preso peladinho no banheiro.

Fiquei com medo de ficar trancado lá, mas ele saiu e ainda apagou a luz.

O tempo ia passando e mandei mensagens desesperadas pra ele. Depois de uns 40 minutos, quase 23h, ele falou que minha roupa estava lá fora do reservado, era só eu sair de lá, pegar e me vestir.

Coloquei a roupa e saí em meio a faculdade quase deserta. Quando cheguei no carro, ele e mais dois carinhas que tinham me comido estavam esperando.

Fomos pro apê de um deles, onde eu tive que obedecê-los por mais um tempo.

Voltei pra casa quase 4h da manhã, esfolado e morrendo de medo e tesão, pensando no que ele iria armar nas próximas vezes.

Curtiu? Escreve aí! Meu email está logo abaixo.

Autor: Escravo Sarado
E-mail - gatosigilobrasil@gmail.com
MSN - gatosigilobrasil@gmail.com
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta