Sou de Vitória - ES, e o que vou relatar foi uma de minhas aventuras em Saunas aqui em minha cidade.

Sou casado, devido a isso tenho pouquíssimas oportunidades de liberar este meu lado fêmea, pois descobri em mim este lado bem aflorado embora não deixe transparecer no dia a dia.

Tenho 1,89 m, sou branco, tenho o corpo com poucos pelos, bunda grande e lisa(ver fotos), seios carnudos e pontudos, e muito tesão no meu cuzinho.

Aconteceu há alguns anos atrás, e o que passo a contar é totalmente verídico.

Cheguei na sauna no Centro de Vitória, em uma de minhas raras oportunidades, e fui ao vestiário tirar minha roupa e me enrolar na toalha, chegando lá já fiquei encabulado, pois quando baixei minha bermuda e liberei minha bundona lisa, dois caras que estavam se preparando para ir também grudaram os olhos em minha bunda e ficavam esfregando o pinto, o que me deixou com vergonha e excitado, e automaticamente me enrolei na toalha e subi correndo.

Maliciosamente dobrei a toalha ao meio e amarrei na cintura, ficando como uma mini-saia e salientando ainda mais minha bundona gostosa, dito e feito, quando cheguei na área do bar, que fica entre a sauna seca e a vapor e também próximo aos quartos de relaxamento, todos fixaram os olhos em minha bunda e em meus seios descobertos, que chamam atenção pois são grandes e lisos.

Fui calmamente até a sauna a vapor, doido para experimentar algumas picas, logicamente estava sempre com camisinha em mãos.

Assim que entrei, não dava para enxergar nada, tirei minha toalha estendi ao lado de alguém e sentei, e logo percebi que entraram uns 4 carinhas que estavam no bar me secando, inclusive os 2 do vestiário, admito que fiquei nervoso de tanto tesão e um certo medo, porém continuei na minha.

Com tanta gente todo mundo se espremeu e ficamos todos muito próximos, e pude confirmar que um negro ao meu lado tinha uma pica enorme, o que me encheu de tesão, e do outro lado estava um cara branco alisando o pau e olhando para meu púbis todo raspadinho.

No vapor da sauna só dava para ver vultos e estes dois eu via bem, não demorou e estava com uma mão passando em minha perna, fiquei inerte, e derrepente eram duas mãos e percebendo que ficava parado, começaram a passa-las em meu corpo todo, na medida do possível, digo pernas, pubis, barriga, seios, costas indo até começar a minha bunda.

Foi quando o negro pegou minha mão e levou até sua picona enorme, isso já valeu o risco de estar ali, quando peguei aquela vara eu me sentia a fêmea mais feliz do mundo, não resisti e deitei no colo do negão e comecei a chupa-lo com vontade, e nesta posição expus peu bundão de lado para o vizinho que não perdeu tempo e sentia sua mão apertando e rapidamente senti um dedo me explorando com maestria, e eu estava tão excitado que empurrava minha bunda contra a mão dele, isso sem deixar a pica sair de minha boca.

Peguei minha camisinha que estava embaixo de minha toalha e sem olhar para tras estiquei a mão e alguém pegou, logo depois senti uma lingua em meu cuzinho e uma boca chupando meu peito e alisando minhas costas, estava no céu.

Foi quando senti uma pica encostar em meu cuzinho, neste momento me abri todo e tirei a pica da boca e disse:

- Mete devagar para eu acostumar, quero levar muita pica.

E foi assim, foi entrando, e parava um pouquinho, depois entrava mais um pouco e derrepente estava atolado até sentir o saco do meu garanhão atrás de mim.

- Mete gostoso, pode meter agora. Sussurrei baixinho.

Estava muito gostoso, nunca tinha dado para mais de um cara antes e derrepente um na bunda outro na boca e várias mãos a essa altura em meu corpo todo, acho que todos daquela sauna estavam me acariciando, me sentia a mais gostosa do mundo.

Fiquei de quatro, sem largar minha picona negra, que estava apaixonado e queria ela dentro de mim. Sentia as estocadas sem dó e urrava de prazer, senti jatos de porra em minhas costas, que certamente era de quem estava acariciando e vendo a cena de luxuria. Até que o que me enrabava começou a urrar e falava gemendo:

- Que cuzinho mais gostoso, sua putinha, seu viadinho...

Gozou tirou a camisinha e jogou toda a porra em minhas costas que foi espalhada por algumas mãos.

Com as pernas tremendo levantei e fui em direção ao negão que chegando perto vi que conhecia da academia que frequentava, fiquei em estado de choque, mas ele me disse:

- Não se preocupe, ninguém nunca vai saber, me da essa sua bundona gostosa que estou morrendo de tesão.

Perdi a vergonha de vez, virei de costas para o negão, mostrando e provocando com minha bunda e com o meu cuzinho já alargado pela surra de pica anterior, sentei sem camisinha mesmo, pois conhecia meu macho e queria ver aquela pica que devia ter uns 23 cm, atolada em mim. Ele se inclinou para trás, apoiei no teto baixo da sauna e comecei a cavalgar devagarinho, pois parecia que estava sendo rasgado por aquela pica afro deliciosa.

Ao mesmo tempo que cavalgava e o negão apetava minha bunda ditando o ritmo, um carinha me chupava meu pintinho(perto da pica que estava levando era um pintinho) enquanto outro enrabava o veadinho que me chupava.

Meu cuzinho parecia que ia pegar fogo, tirei a pica dele e me ajeitei agora de frente para o negão, que me pegou e me deitou na posição de frango assado, e começou a estocar, que delicia, o negão não cansava e logo tinha outra pica em minha boca, que com o tezão que estava não chupava, sugava, lambia, queria seu leite.

Não demorou e o negão falou ao meu ouvido:

- Vou Gozaaaaaaaaaaaar...

E senti pela primeira vez leite em meu cuzinho, mas era muita porra, o negão não parava de meter e sentia porra escorrendo pela minha bunda, e ao mesmo tempo a pica que estava na boca começou a me dar leitinho, que bebi o que consegui o resto ficou em meu rosto e pescoço.

Nunca me senti tão fêmea e desejado, porém pedi licença a todos pois estava com as pernas bambas, e saí do jeito que vim ao mundo, para o chuveiro que ficava fora da sauna e desta forma, todo mundo que estava no bar, me viu, e só então me dei conta que estava com porra na cara, peito, costas, bunda e a porra do negão não parava de escorrer pelas pernas. Quase morri de vergonha, todos olhavam e riam contentes, acho que quase todos ali esporraram em mim.

Tomei um banho e quando fui pagar a conta, o negão me pegou pelo braço e me levou para o quarto reservado de descanso, fechou a porta, agora sem ninguém olhando, me deitou na maca e me deu um banho de lingua, chupou muito meus peitos barriga, meu pinto, e levantou bem minhas pernas e lambeu meu cuzinho que havia sido arrombado por ele.

Encheu de saliva e sentou a pica novamente, comeu muito, frango assado, de quatro, cavalgando, até que me encheu de porra de novo, mas desta vez, depois que gozou e me deixou quase desmaiado, caiu de boca em meu pintinho e chupou até eu gozar em sua boca, foi bom demais.

Depois deste dia com um medo bobo, troquei de academia, e nunca mais tive contato com este negro maravilhoso, infelizmente. Saí para mais um banho e fui ao vestiário ainda sentindo porra no cuzinho, quando estava me vestindo os irmãos donos da sauna, me disseram que se eu voltasse não precisaria mais pagar, porém queriam que chegasse antes do começo da sauna ou ficasse depois do fechamento para uma festinha com os dois. Detalhe: queriam que viesse todo raspadinho como estava, pois iam me vestir de menina para eles.

Este eu vou contar depois para vocês.

Quem for do Espirito Santo e quiser me escrever, havendo afinidade. podemos marcar de nos encontrarmos.

Autor: Celo2469
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto Retirado da Internet