Já li vários contos e muitas vezes me perguntei se aquilo realmente era realidade. Alguns são muito bons e me propiciaram belas gozadas, já outros pareciam um conto da carochinha e logo se percebe a fantasia no ar. Pois bem, vou relatar o que acabou me acontecer e quem gosta de dar o cu, saberá bem do que falo: eu ainda consigo sentir meu cu latejando e o vazio que se sente no cu depois de um sexo bem gostoso.

Meu nome é Alexandre e vou relatar uma das minhas experiências com um vizinho muito gostoso que tenho, o Geraldo.

O meu Vizinho Geraldo, não é dos mais bonitos, mas ele é dono de uma pistola deliciosa e que eu já tive oportunidade de chupar várias vezes, porém até hoje ele nunca havia me comido. Ao contrário da maioria dos contos, ele não tem um pau descomunal. O pau dele é mais ou menos do mesmo tamanho que o meu, uns 16, 17 cm e um pouco mais grosso. Porém ele tem pegada. e que foda maravilhosa nos tivemos...

Hoje pela manhã, eu estava navegando na net, cheio de tesão e doido pra dar o rabo. Já estava na seca há um bom tempo e acordei naquele dia sem perspectiva de tirar o atraso. Estava todo excitado vendo um pornô quando escutei a voz do Geraldo na rua e fui até a janela para me certificar de que era ele mesmo. Para minha surpresa e satisfação, ele estava na porta de casa conversando com o sogro. Sim, ele é casado e tem uma filha.

Ele havia acabado de chegar do trabalho – ele trabalha em outra cidade e vêm em casa somente de seis em seis dias. Para meu deleite, ele ainda estava de uniforme (e que tesão ele estava, sabe aqueles uniformes que deixam um homem com cara com peão de obra – eu adoro).

Percebi que ele iria lavar o carro então corri e tomei um banho na esperança de algo pudesse ocorrer. Tudo estava propício, todos da minha casa estavam trabalhando, o Geraldo ainda ia lavar o carro e eu estava indo pro banho ficar cheiroso pro meu macho gostoso.

Como já havia falado, eu já chupei o pau dele algumas vezes mas até então ele nunca tinha me comido. Sempre que o chupei, foi na casa dele e correndo o risco de alguém chegar e nos pegar no flagra. Não sou nada afeminado e apenas alguns poucos amigos sabem que meu negócio é pau e não buceta. De banho tomado, fui “tomar um sol” na rua e quando ele me viu, me fiz de surpreso, como se não soubesse que ele estava lavando o carro.

Ficamos conversando sobre vários assuntos e nenhum dos dois falou sobre sacanagens... Num dado momento, falei com ele que fiquei desempregado. Ele prontamente falou: Vou te levar pra trabalhar comigo. Rimos juntos e ele terminou de lavar o carro e falou que iria entrar para tomar um banho. Fui à loucura pensando naquele homem todo pelado e gostoso tomando banho. Mas não dei bandeira alguma. Depois de um tempo, aproveitei que a deixa dele me falando que iria me levar para trabalhar com ele, e liguei perguntando se havia alguma vaga em aberto onde ele trabalha e se havia a possibilidade dele levar meu currículo.

Ele falou que a empresa estava passando por uma crise e que por hora não estavam contratando. Pensei, e agora, o que falo para puxar assunto e convida-lo para vir à minha casa? Para minha surpresa, ele falou: E a TV que você comprou e que ainda não me mostrou?

A resposta foi precisa e ligeira: Vêm cá que te mostro. E não é que ele veio mesmo! Meu pau já estava duro e não fiz questão alguma de esconder dele minha excitação. Subimos até o meu quarto e mostrei a ele minha TV. Pude perceber que ele não parava de pegar no pau.

Foi aí que o ataquei. Já fui logo pegando na pistola dele e pedindo pra chupá-lo. Ele se mostrou preocupado de chegar alguém em casa. Mas acabou relaxando quando falei que estavam todos trabalhando e que o primeiro a chegar em casa chegaria por volta das 16:00 hs.

Ele então pos sua ferramenta para fora. Eu não estava acreditando que eu estava com aquela gostosura na boca. Senti a pistola de Geraldo crescendo na minha boca e ficar completamente dura. Chupei freneticamente aquela delícia e ele me acariciava os cabelos.

Sem querer me gabar mas me gabando, acho que dei a ele a melhor chupada da minha vida.

Eu consigo engolir um pau completamente, e ele endoidou com a minha garganta profunda. Continuei chupando aquele pau por um bom tempo até que pedi para ele me comer.

Ele novamente se mostrou preocupado mas o acalmei dizendo que o portão estava trancado e que não iria chegar ninguém e mesmo que alguém chegasse, não iria conseguir abrir o portão pois deixei a chave do lado de dentro da fechadura. Ele novamente relaxou e aceitou me foder.

Cara, fui a loucura pelo que estava prestes a me acontecer. Sempre sonhei com o Geraldo me enrabando e estava preste a realizar meu sonho. Tratei logo de plastificar o pau do Geraldo e apoiei na cama e ele veio por trás. Cara, doeu muito.

A cabeça do pau dele não entrava de jeito nenhum. E ele continuou forçando passagem. Quando entrou, eu senti tanta dor que sai do pau dele. Novamente ele veio forçando entrada e doeu tanto, mas era uma coisa que eu queria tanto que aguentei firme. Eu vi estrelas de tanta dor quando ele conseguiu me penetrar. Pedi para ele esperar um pouco para eu me acostumar, mas estava doendo demais e novamente eu sai do pau dele. Novamente ele veio e me penetrou, desta vez, eu aguentei ficar com o pau dele todo dentro do cu sem sair.

Ele continuou esperando eu me acostumar com o pau dele e num certo momento, toda aquela dor deu lugar a um prazer indescritível. Fui a loucura. Ele me fodia freneticamente. Tirava o pau do meu cu e enfiava tudo novamente. Ele literalmente estava se esbanjando no meu rabo. Eu estava adorando tudo aquilo. Finalmente eu estava sendo usado e abusado pelo meu vizinho gostoso. Repentinamente senti o Geraldo acelerar o aquele vai e vem dos deuses.

E numa voz tão tranquila e suave me falou que havia gozado. Fui a loucura novamente, meu vizinho gostoso e tesudo estava gozando dentro meu rabo. Neste momento eu comecei uma punheta e gozei com o pau dele dentro do cu. Fui a loucura novamente. Ele ficou ainda um bom tempo com o pau no meu cu acariciando minha a bunda e meu cabelo. Me dando beijos na nuca e falando no meu ouvido o quanto adorou meu cu. Ele tirou o pau do meu cu, a camisinha eu joguei pro canto e chupei novamente aquela delícia de pau até deixa-lo limpinho.

O Geraldo vestiu a roupa, me deu um abraço e novamente falou no meu ouvido o quanto foi gostoso me foder, principalmente porque ele estava na seca há uns vinte dias.

Quando estava saindo de casa ele me confidenciou que adora comer um cu, mas que a mulher dele nunca deu o cu pra ele, e que nem mesmo chupa o pau dele.

Ela não sabe o que está perdendo... Ele ainda me perguntou se poderíamos repetir a dose amanhã e é claro que eu concordei.

Não vejo a hora de ter a pistola do Geraldo novamente no rabo.

Espero que tenham gostado.

Autor: Alexandre
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta