Olá eu sou o Lúcio (*fictício) tenho 18 anos, 1,83 altura, moreno, olho e cabelo preto. E sempre gostei de homens.

Os nomes com (*) são fictícios.

Nesse ano eu comecei a estudar em um colégio agrícola, novas regras e novos costumes do que eu tava acostumado, os professores eram legais e os funcionários também, éramos em 40 alunos ao todo, o nº máximo permitido pela lei do colégio eram 50. Tudo diferente, os rapazes tinham seus alojamentos e as meninas o delas separados por muros e cercas.

Ao chegar no colégio no primeiro dia para a nossa apresentação aos professores e aos funcionários, o diretor começou a falar que era proibido trazer materiais que não são condizentes com o colégio, (facas...) zelando pela segurança de todos, quem fosse pego com esses materiais seria advertido com a presença dos pais no colégio, e que era indispensável o uso do uniforme, até ai tudo normal, fiquei reparando nos meus colegas, eram todos bonitos e fortes, uns altos outros mais baixos, mas nada de estranho por enquanto, fomos dispensados e no outro dia tínhamos que estar ali as 6 da manhã.

No dia seguinte as aulas começariam as 7 da manhã, levantei da cama as 5:40 da manhã, arrumei as minhas roupas na mala tudo ligeiro, fui me lavar e tomar café, e saímos de casa, meu pai me deixou no portão faltando 2 minutos pras 6 horas, fui andando, e ao chegar tinha um fila dos meus colegas na porta do alojamento, estranhei, mas o inspetor Carlos* estava lá, começou a falar que eram medidas de segurança do colégio, abrir as malas e mochilas e revistar tudo, até ai normal, pois é uma segurança a mais, e antes de entrarmos ele nos revistava os bolsos, e tínhamos que abaixar as calças pra ser revistados, nunca tinha ficado de cueca na frente de outras pessoas, tinha cada tipo e de cada cor, tudo isso porque nos anos passados, alguns alunos se machucaram gravemente, levando materiais proibidos ao colégio dentro das calças e cueca, então o colégio resolveu tomar medidas pra que isso não se repetisse.

Pra mim não mudou nada com essas medidas, até me sentia mais seguro, depois de revistar o último aluno, o inspetor Carlos * nos deixou dentro do alojamento para nos instalarmos, e foi buscar os uniformes, de inverno e de verão e ao chegar ele nos repassou algumas regras do alojamento, tudo o que precisávamos era ele quem cuidava, a limpeza, a troca das roupas de cama e a limpeza das nossas roupas e dos uniformes, e toda a vez que sairíamos pra casa e voltássemos ao colégio seríamos revistados, podíamos ir pra casa nos fins de semana, e estar de volta na segunda de manhã. E fomos as aulas normalmente naquele dia.

E assim passou a 1ª semana, a nossa sorte é que o inspetor Carlos* nos deixou usar celular e ver revistas pornôs, podíamos fazer o que queríamos, nós andávamos de cueca ou pelados, mas não podíamos deixar ninguém saber, e no fim de semana fomos pra casa.

Na segunda de manhã se repetiu a mesma cena da revista aos alunos, mas o Júlio* não foi revistado e foi nesse dia que tudo começou, chegamos ao alojamento e trocávamos de roupa e colocávamos o uniforme, mas o meu colega Júlio* não colocou a calça do uniforme, o inspetor Carlos* disse para irmos todos a aula e ele falaria com o Júlio*, e os dois ficaram sozinhos lá, Carlos* explicou ao Júlio* que tinha que usar uniforme pras aulas, e quis saber porque ele não colocou a calça, mas Julio* não foi revistado na entrada do alojamento, ele disse que não estava usando cueca naquele dia e ficou com vergonha de abaixar a calça, Carlos* disse que isso era algo muito normal, e que não tinha problema algum,porque a maioria dos alunos não usavam cueca, ele saiu do alojamento e Júlio* tirou a calça e colocou a do uniforme, Carlos* ficou espiando por uma fresta na parede Júlio* trocar de calça, realmente Júlio estava sem cueca, o cacete do inspetor ficou duro ao ver aquela cena, então ele entrou no alojamento e fez Júlio* chupar seu cacete.

A professora Ana* pediu pra mim ir chamar o Júlio* porque já havia passado a hora de ele estar na aula, e eu fui, chegando ao alojamento escuto gemidos e paro atrás da porta pra ver o que é, Júlio* estava comendo a bunda do inspetor que estava de quatro em uma das camas, e depois de uns minutos eles se trocam de posição, e o inspetor come a bunda do Júlio* que geme adoidado com aquele cacete entrando em seu buraco apertado, eu estava só espiando aquilo, e passou uns 10 minutos quando chega o meu outro colega o Henrique* eu estava agachado ele passa a mão na minha bunda e começa a rir, e eu lhe disse para ver o que estava a acontecendo, e ele não emitiu qualquer som, a professora mandou ele nos procurar pois estávamos muito tempo fora da aula, ele abaixou a calça e era outro que estava sem cueca e começou a bater uma punheta bem rápido porque ele tava com medo de alguém chegar, principalmente a professora ou o diretor, mas alguém tinha que falar com o Júlio* antes que a professora fosse atrás da gente.

Henrique* me convenceu a ir, mas eu disse que ele só podia estar louco, mas não tinha outra alternativa, respirei fundo e entrei no alojamento, fui andando e vi os dois se ajeitando, estavam nus, fiz de conta que nem reparei, e disse que a professora mandou eu procurar o Júlio para ele ir a aula, antes que o diretor fosse, eles se vestiram rapidamente, Júlio* subiu a calça, ajeitou o pinto dentro pra que não ficasse balançando e colocou a camisa rapidamente, e saímos, o inspetor ficou lá no alojamento, ao chegarmos a sala a professora nos xingou pela demoram eu disse que o Júlio* estava com uma dor de barriga e estava no banheiro, ela acreditou e continuou a aula normalmente.

Depois disso eu reparei que eu era o único que estava usando cueca, os outros fizeram isso pra não serem revistados, mas não adiantou nada, porque eram obrigados a abaixar igual a calça ou os pais seria chamados ao colégio, mesmo os nossos pais sabendo dessas medidas, então com o passar dos meses alguns alunos usavam cueca, outros não e não se importavam mais em abaixar a calça na hora de entrar no colégio, Júlio* sabia que eu era gay, e o que aconteceu com ele no alojamento, ficou como sendo segredo dele Henrique* e eu.

Até que aconteceu comigo, numa noite eles me comeram e eu gostei muito e era uma noite com cada um deles, que eu dava... CONTINUA...

Autor: Lucio
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta