Continuação do Conto: Minha História, Minha Vida - CONTINUAÇÃO 3

Eu sem jeito falei cara eu não me lembro de nada do que aconteceu comigo, eu não posso fazer isso em você, isso será um pecado horroroso. Eu falava isso, mas eu estava completamente excitado, o meu pau estava tão duro que me incomodava, o meu irmão percebendo, ele num gesto inesperado puxou a minha coberta, revelando o meu estado de excitação, pois nós tínhamos por costume de dormir de cuecas.

Ele vendo que eu estava excitado, ele foi e começou a acariciar o meu pau, eu tentei me debater e falei para ele que eu iria gritar.

Ele me falou que seria pior, porque como eu iria explicar estar de pau duro para nossos pais.

Debaixo dessa coação eu falei, tudo bem cara essa você venceu hoje, eu bato para você se você bater para mim também.

Ele sorrindo me falou eu deixo você até gozar entre as minha nádegas, desde que não tente me penetrar.

Eu vencido pela excitação eu segurei no membro dele que estava quente e duro, e comecei a masturbar ele, e ele começou a me masturbar também, e ele logo começou a me chupar e pedia para eu chupar ele também, pelo prazer que eu estava sentindo eu nem pensei duas vezes e comecei a chupá-lo, logo anunciei que eu ia gozar, então ele falou para mim, venha goze entre as minhas nádegas e você verá como é gostoso.

Ele deitou de barrigas para baixo e eu fui e encaixei o meu pau entre as nádegas dele e comecei a fazer um vai-e-vem, e ele gemia e falava que o meu pau era maior que o do Ferdinando, e que estava gostoso, que era para eu roçar o meu pau na portinha do cu dele, e eu fui fazendo como ele falava logo eu não agüentando anunciei que estava gozando o Fabio deu arcadinha para traz e eu senti o meu pau quase entrar no cu dele, ele deu uma gemida e falou, foi melhor que eu pensei, agora é a minha vez.

Eu amedrontado por causa da dor que sentira da vez que o moço fora introduzir o pau em mim eu falei, nem pense em me introduzir.

O Fabio me falou, eu sei que você está traumatizado ainda com o que fizeram com você, mas eu não vou te introduzir, a não ser que você queira, aí é outro negócio, mas para ficar melhor me deixe passar um pouco de hidratante no meio e suas nádegas, o Fábio passou o hidratante, e na hora em que chegou ao meu cu ele deu uma pressionadinha eu dei um gemido, ele aproveitando, ele introduziu o dedo em mim, eu, sentindo, eu num salto tirei para fora e falei, você prometeu que não iria me introduzir, ele deu risada e falou é que você deu uma gemidinha tão sensual que não resisti, logo eu estava deitado de barrigas para baixo e ele esfregando o pau em mim, eu estava delirando com tudo o que estava sentindo, e pensava que agora estava entendendo um pouco o que o Tico sentia, teve um momento em que o Fabio aproveitando o meu devaneio, ele estava esfregando o pau nas pregas de meu cu, eu sentindo uma comichão danada, ele segurou em minha cintura e deu uma pressionada e eu senti a cabeça do pau dele entrar em mim, eu senti a dor e dei um salto para frente , ele me segurou mai forte e novamente pressionou, e ia gritar, ele só falou entrou a cabeça agora o resto é fácil, é só você relaxar e sentir o prazer de ser possuído, você não vai mais precisar do tubo para se masturbar, terá sempre eu à sua disposição.

Eu ouvindo aquilo não sabia mais o que fazer, logo eu senti os pentelhos dele batendo em minhas nádegas, e eu sentindo o pau do meu irmão todinho dentro de mim, no começo senti ardor e um incômodo, mas depois eu fui me acostumando o incômodo passou a ser um prazer indescritível, e eu comecei a gemer, mas na posição em que eu estava somente a cabeça e mais um pouco só do pau dele é que entrava dentro de mim, logo ele me pediu pra mudar de posição era para eu ficar de quatro para ele poder enfiar mais, mas eu falei, que não se ele quisesse teria que se conformar daquele jeito. E ele logo anunciou que iria gozar e eu senti oi pau dele intumescer mais e gozar dentro de mim.

Para mim aquilo passou a ser um tormento depois, porque ele falou para mim, que era o que ele mais desejava era me possuir, desde um dia ele ver eu dentro do banheiro enfiar o tubo em meu cu e me masturbar e gozar com o tubo enfiado no cu, então ele pensou se ele precisa do tubo para gozar será melhor com o meu pau.

Só que eu falei para ele, não posso negar que não gostei de sentir o teu pau, só que você tirou a virgindade do meu cu em momento errado, pois eu queria perder a virgindade com outra pessoa, depois eu poderia dar para ele porque admirava o pau dele, só que ele tinha que pensar ele era meu irmão e isso não era certo, e que eu não era igual o Tico somente um depósito de porra, eu queria sentir prazer também.

No outro dia quando fui ao SENAI, no0 momento que encontrei o Marcos Antonio, me deu um nó na garganta e sem querer comecei a chorar, ele meio sem jeito falou, Franchi o que está acontecendo, eu falei me aconteceu coisas que não posso te contar, eu estou muito abalado, com tudo.

O Marcos Antonio me falou cara que é isso, eu sempre te contei tudo, nunca te escondi nada.

Como nós dois estávamos na hora do almoço, eu falei, cara é melhor nós irmos à algum lugar mais discreto, se não vão perceber que estou aqui igual a uma namoradinha que está sendo deixada pelo namorado.

O Marcos Antonio com um sorriso me falou, você tem cada idéia, mas tudo bem, eu moro perto daqui, eu não vou para minha casa na hora do almoço, porque não tem ninguém em casa, mas se você quer um lugar mais discreto que isso é impossível, pode ser a minha casa?

Eu com o meu coração quase saindo pela boca eu falei tudo bem, mas lembre-se que teremos de voltar para cá antes das 14 horas.

O Marcos Antonio me falou Franchi ainda nem é meio-dia esqueceu que hoje a gente sai uma aula mais cedo? Vamos lá nem são 10 minutos de caminhada, é aqui na rua de cima no próximo quarteirão, bem pelo menos lá poderemos conversar em paz.

Nós saímos da escola e eu o segui, quando estava chegando a casa dele, o aperto em meu coração novamente e eu comecei novamente a chorar, o arcos Antonio foi me abraçou, e falou, pode contar tudo para mim amigão é alguma menina que te deu o pé na bunda?

Eu ouvindo aquilo dei um sorriso e alei é pior que você pensa?

Ele sério me falou não vai me dizer que você deixou alguma menina grávida?

Eu com um sorriso murcho falei, se fosse isso seria fácil resolver.

Nesse momento chegamos a casa dele ele olhou aos lados para ver s não tinha ninguém nos vendo, e me falou, não se preocupe, eu faço essa ação de olhar aos lados é porque eu tenho uns vizinhos fofoqueiros, se de repente me ver entrando com outro menino aqui em casa, na hora em que minha mãe ou meu pai chegar, eles virão a contar ao meu pai, meus pais não ligam muito, mas não gosto de dar motivos para eles vir fazer perguntas bobas para mim.

Eu falei tudo bem.

Entramos na casa dele, então o Marcos Antonio me falou, vai cara desembucha, você tem mais de duas horas para se desabafar para nós voltarmos para escola. Eu não sabendo como falar eu falei cara acho que você vai me odiar, pelo que vou te contar.

O Marcos Antonio me falou, não tenho o porquê te odiar cara, você é tão certinho, até agora não vi você dar um bola fora, eu conto minhas aventuras para você, e você me fala que está esperando a pessoa certa, eu te admiro.

Nesse momento eu chorando falei para ele, agora não posso dizer que estou esperando a pessoa certa para acontecer, aconteceu, e foi tudo errado, com pessoa errada, eu estou me sentindo enojado por causa disso.

O Marcos Antonio sorrindo brincou, u, lá, lá, mais um cara que perdeu a virgindade, me diga cara com quem foi?

Eu disse não posso dizer realmente perdi a virgindade, mas aconteceu de um modo que não esperava, cara eu não sei como te contar, é difícil.

O Marcos Antonio mais sério, falou, como assim, você não sabe se perdeu a virgindade, mas aconteceu de modo que você não esperava, cara se aconteceu, o pau entrou então você perdeu a virgindade, agora o modo que modo é esse cara. Por acaso você comeu algum moleque? É isso?

Eu respondi quase isso cara, bem espero que você não me odeie pelo que vou te contar cara eu desde os meus 10 ou 11 anos eu percebi que sou homo, então eu venho secretamente admirando os homens, eu quando me masturbo, eu não me masturbo pensando em comer alguma menina e sim pensando em ser possuído por algum homem, eu cheguei a introduzir em mim um tubo pequeno fino imaginando transando com uma pessoa que é muito especial para mim, certo é que o pau dessa pessoa nem se compara com o tubo, o pau é bem maior, mas o importante era eu sentir sendo introduzido dentro de mim algo e pensar que era essa pessoa me comendo, depois do que me aconteceu que quase fui violentado, cara esse tubo, não me satisfazia mais, e foram passando os dias, voltando um pouco atrás como eu te contei que tem um gayzinho lá da minha rua que foi extremamente violentado antes de acontecer o que aconteceu comigo, e eu sei quem fez isso com ele e também tentaram me violentar, só que eu fiquei com medo de contar, no dia da visita ao moleque, os meus pais juntamente com os pais dele foram para a sala e eu fiquei conversando com ele e na verdade acabei discutindo com ele porque ele me contou que os meus irmãos já tinham comido ele, quando eu cheguei em casa o meu irmão mais velho já é casado, mas o Fabio que é o do meio, ele esta namorando e não acompanhou meus pais na visita, e eu quando cheguei em casa o ameacei falando que se ele não parasse de transar com o Tico, eu falaria para os meus pai...

CONTINUA...

Autor: Jaime Pereira
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta