O que vou contar aqui é verídico, nunca contei a ninguém em contos, mas ao ler os dos amigos me senti encorajado a contar os meus, espero que acreditem pois é a pura verdade.

Tenho um amigo que nos damos muito bem, só que eu de tanto estar em sua companhia, acabei por me apaixonar por ele e acredito que ele também se apaixonou por mim, pena que a gente não consegue se abrir um com o outro.

Assim, no ano de 2010, estávamos num lugar apropriado ao que ia acontecer, era noite, passava da 1 da madruga, a gente tava conversando e eu sou um cara que gosta muito de passar a mão nele, lhe aplicar massagens, beijar seu cabelo, e nessa noite eu senti que poderia ser mais rápido. Vale ressaltar que nunca houve nada entre a gente, somente uma amizade e uma cumplicidade muito gostosa.

Bem, como tava dizendo, enquanto eu massageava seu pescoço, cabelos, ombros, mamilos, barriga peludinha, uma delícia, podia perceber que seus peitinhos ficavam durinhos, senti que ele tava gostando, eu claro, tava indo às nuvens.

De repente ele fala, vou dormir, se deitou na cama e eu fiquei ali, boquiaberto, pensando, e agora, que faço? Parecia que tava indo tão bem. Então, como eu tava na chuva e tinha que me molhar, resolvi tomar uma atitude de gay passivo que quer muito ao menos boquetar aquele homem gostoso, peludinho, branco, cheiroso, meu amigo, decidi sentar na cama e colocar sua cabeça no meu colo, lhe dei um travesseiro para aquela cabeça pensante.

Como eu vi que ele tava dormindo, não demorei muito e diga-se de passagem, com muito medo dele acordar no nada, comecei a criar coragem e iniciei um ritual, usando minhas mãos, lhe apliquei massagem nos peitinhos e a resposta pra saber se ele podia ta gostando ou sentindo algum tipo de reação, começaram a ficar durinhos, aí então me atrevi e meti a mamá-los, confesso que foi a primeira vez que fiz isso na vida, senti um gosto de sal, mas tava delicioso, pra chegar ao seu pau tava meio complicado, pois ele tava dormindo, eu acho, e tava meio complicado, mas penso eu que quando se tá no maior tesão as chances de pegar o homem que ta na sua frente aparecem, aí então, como ele tava de ladinho, com jeito eu consegui me deitar também, ficamos na posição de quem is fazer um 69, assim, meio torto, pude pegar por cima da sua calça jeans, sua pica deliciosa, e pra abrir o zíper e tirar pra fora aquele pau tão desejado, amado, suculento, foi um triz, arrisquei todas as fichas, e confesso que também nunca havia mamado um homem, ele foi a meu primeiro em tudo, ainda bem que foi quem quem eu amo, mas como tava dizendo, quando iniciei o boquete, percebi que de sua boca saía um não com insistência, mas eu não me dei por vencido, continuei o boquete de meus sonhos.

Tempos depois eu parei e resolvi que era hora de cessar, pois ele poderia acordar e acordou e viu que tava de pau de fora e me perguntou, o que ta acontecendo aqui?

Olha, não sabia o que dizer, se falava a verdade, mas aí eu estaria me entregando, falei algumas coisas, ele se levantou e saímos pra cada um ir pra sua casa, na hora de nos despedirmos, eu fiz uma brincadeira sobre seu pau, ele me olhou com cara séria e mandou, não gosto desse tipo de coisa, ali eu percebi que ele nunca esteve dormindo, e que como ele acabou gostando, não queria deixar no ar que eu percebi suas reais vontades.

Fomos cada um pra um lado, no outro dia pensei, não vai mais falar comigo, mas aconteceu o contrário, parecia que nada tinha acontecido.

A seguir cenas dos próximos capítulos. Volto em outro conto.

Obrigado pela atenção de você, comentem, dê uma nota, mesmo se não gostarem.

Autor: Lutador Avante
E-mail - lutadoravante@hotmail.com
MSN - lutadoravante@hotmail.com
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta