Há muito tempo queria escrever um fato que ocorreu comigo.

Quando criança, brincava com os primos de troca-troca, que nada mais era que esfregar os pauzinhos um no outro,rs. Mas dava o maior barato e não nego que o tesão em homem foi cultivado desde cedo com essas brincadeiras.

A primeira experiência que vou relatar aqui foi intensa, mas como não tinha malícia, só tempos depois fui perceber. Aconteceu entre eu e meu pai. Eu tinha uns 11 pra 12 anos, hoje tenho 31, e não me lembro bem o por que mas nós fomos tomar banhos juntos.

Ele era um homem comum de 1,70 de altura, branco, magro e um cacete que devia ter uns 20 cm (eu cheguei quase lá). Principalmente nessa época ver qualquer pessoa nua já me deixava excitado, então estar no banheiro com meu pai era motivo de certo constrangimento, daí eu fazia o possível pra disfarçar.

Não sei por que cargas d'água ele resolveu me "ensinar umas coisas" da vida. Nisso, lembro dele começar a se masturbar, e eu via seu pau imenso soltando uma baba (bastante, durante um tempo pensei que aquilo fosse a tal da porra. Ele me perguntava se eu já produzia sêmen. Como meu pau não babava daquele jeito eu disse a ele que não sabia.

Ele se mostrou curioso e pediu pra ver se eu ejaculava. Juro que não entendia nada, eu estava excitado, ao mesmo tempo cheio de pudores e até mesmo constrangido. Mas deixei meu pai agir:

Ele ficou ao meu lado, pegou no meu pipiu, que na época devia ter no máximo 12cm e começou a me punhetar. Como era ingênuo, me segurava pra não sentir tesão, ao mesmo tempo que queria fazer o mesmo com ele. Eu via p pau dele duro e babando enquanto meu pai perguntava pra mim se eu já estava sentindo algo.

Só balançava a cabeça e nada. Isso deve ter durado uns 10 minutos até que ele desistiu. O pau dele ficou meia bomba. Terminamos o banho, nos secamos, fomos nos vestir. Já no quarto ele foi me mostrar um preservativo e como usá-lo (mas não usou em mim, rs).

Meu pai era uma pessoa extremamente sistemática e formal, aquela atitude dele, penso, expôs algo que ele trazia bem escondido... Uma vontade oculta. Alguns meses depois ele sofreu um acidente e partiu pra outro plano.

Quando me tornei adolescente, sentia muito tesão em homem, se fosse mais velho então. Mas meus preconceitos e pudores não deixavam eu ter qualquer experiência, até que um dia, 14 anos desse acontecimento, o inusitado ocorre novamente, só que desta vez com um pedreiro - que deixo pra falar noutro momento.

Tirando o lado moral (um homem mais velho e pai masturbar o filho pré-adolescente) esse acontecimento hoje me excita e me deixa pensar o que teria acontecido se naquele momento eu ousasse e também tocasse nele...

Autor: Luiz
E-mail - nil.czech30@hotmail.com
MSN - nil.czech30@hotmail.com
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta