Estava eu viajando e já estava uns 15 minutos atrás de 2 caminhões sem conseguir passagem, quando finalmente consigo passar, para não ter o caminhão colado pisei um pouco mais e andava pelos 100Km/h quando após uma curva vejo uma blitz com radar, o permitido ali era 80, logo, sinalizaram para parar.

Parei e logo chegou um policial de uns 1,80m, 90 kg, parudão, alemão e pediu para descer do carro com os documentos, tentei explicar mas ele não deu a mínima e disse que teria que fazer uma multa, desci e fui até um furgão onde ele pediu para entrar e sentar que explicaria a autuação.

O outro policial um moreno, tinha seus 1,70, 80 kg, bem peludo, chegou no furgão e disse que daria um pulo no destacamento que estavam chamando e saiu com o outro carro que dava suporte.

Tentei convencer o alemão, mas ele interrompeu e disse que iria dar uma mijada e já voltava, como estava falando fui atrás, o mesmo nem se importou, foi atrás do furgão, abriu o uniforme e começou a mijar, quando então pude ver a cabeça do cacete do alemão mijando, parei de falar e fiquei só obervando.

O policial não se incomodou, terminou a mijada e guardou o pau, no que fez isso me pegou de olho nele, deu um sorriso e pediu para voltar para o carro.

Não me contive e perguntei:

- Nossa policial tem um volume grande ai embaixo, tá durão?

Ele respondeu: - Não tá duro não, apenas um pouco alto. Minha mulher está grávida e nos últimos meses to sem.

- Então tá só na mão?

- Não gosto de punheta, então vou levando como dá.

Nisso percebo o cadarço do tênis dessamarado e abaixo para arrumar arrebitando minha bundinha, o Alemão fica parado atrás de mim e dá denovo aquele sorrizinho, provavelmente achando que estou provocando, desta vez foi descuido mesmo. Entramos no carro e ele senta em uma mesa e começa a escrever a multa.

Eu fico de olho no volume no meio das pernas dele que com a calça mais esticada pode ser visto melhor, ele percebe e não se contém e pergunta:

- O senhor não tira o olho do meu pau! Assim não consigo me concentrar.

- Não precisa desse senhor, pode me chamar de Joca, afinal o senhor dá mais de 2 do meu tamanho, tem um belo físico e cada vez fico mais curioso para ver esse volume.

- Então como vamos resolver isso? Ele estava falando da multa, mas eu.

- Como o senhor é gente boa, vou propor uma coisa mas não quero que se ofenda. Ele balança a cabeça concordando.

- Sabe sempre tive vontade de ver um pau como o seu avantajado, então o senhor podia deixar e dar uma ajuda.

- O que está sugerindo? Quer chupar meu pau!

Desta vez sou eu que aceno com a cabeça. Ele fica meio sem jeito e dá umas apertadas no volume.

- Bem, tenho 1 hora de almoço, acho que posso fazer um intervalo, mas veja bem sou macho, não vou fazer nada em você, o viado aqui é você.

- Fique tranquilo, fui eu que pedi para chupar, sei que o senhor é macho, só vou fazer o que deixar eu fazer.

Saímos do furgão e entramos no mato atrás do carro em uma sombra, um poco mais fechada a mata, no caminho o Alemão passou umas 2 vezes a mão na minha bundinha, sou tipo moleque, magrinho, não reclamei, cheguei em uma pedra sentei e esperei o Alemão se aproximar.

Parou na minha frente e disse:

- Joca você tem um rabinho muito bonito, sempre quiz comer um cuzinho assim pequeno como seu, mas minha mulher só deixa em comê-la de frente, sem chupeta e nem passar a mão na bunda dela ela deixa.

Dei um sorriso e fui abrindo a calça do policial, ele só deixou eu abrir o ziper e então enfiou a mão puxou a cueca de lado e mostrou o cacete, meio duro e só a parte que saiu da calça.

Preferi começar assim mesmo, já que ele era retraído.

Peguei no cacete e começei a lamber a cabeçinha, era rosada e pontuda não muito grande, começava fina e depois ia engrossando, tipo flecha.

Já nas primeiras lambidas o Alemão soltou uns gemidos, pedi se podia continuar e ele disse:

- Claro tá muito bom, nunca pensei que fosse tão bom.

Após uns minutos o cacete começou a crescer e já engolia a metade do pau, não ia mais pois o cacete do policial ia engrossando para traz da cabeça e não conseguia abrir mais a boca para entrar mais.

Ele percebendo minha dificuldade começou a socar na minha boca, tava em êxtase, tendo minha boca fudida pelo cacetão, após uns 15 minutos o Alemão começou a socar com mais força, minha boca já tava doendo, então começou a urrar: - Uhhhh! Ahhhh! Uuuaahh! Fiquei meio sem jeito ele percebeu e segurou minha cabeça com as duas mãos para que engolice sua pirroca como ele queria e mais uns minutos gozou urrando na minha boca, continuando a socar, me obrigando a engolir tudo.

Continua...

Autor: Joca
E-mail - joca-silva2013@bol.com.br
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto Enviado pelo Internauta