Todos têm sonhos né?! O meu se tornou realidade faz um ano.

Hoje tenho 18 anos e desde sempre convivi com o prazer que sinto com homens e com o medo que tenho que minha tradicional família descobrisse isso, se isso acontecesse estaria morto. Moro em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais, onde minha família exerce um papel moral como fundadora desta cidade. Meu nome é Pedro e o que estarei contando foi o que aconteceu comigo, ou que ainda acontece.

Sempre tive minha cabeça dividida em o que eu gostava e o que eu tinha que mostrar que gostava, ao contrario de muitos gays eu só tenho amigos heteros e me preocupo bastante em não demonstrar qualquer sentimento, seja ele sexual ou afetuoso, por qualquer outro homem, pois isso destruiria qualquer sonho em minha vida.

Até hoje me pego pensando em ter filhos, ter um casamento tradicional e ver minha mulher entrar com um lindo vestido branco, mas temo tudo isso, pois acredito que não conseguiria cumprir com meu papel de marido. De uns tempos para cá tudo se tornou mais difícil e eu precisava de alguém com quem pudesse compartilhar tudo isso e que me entendesse, até então ninguém tinha sabedoria sobre o que se passava em minha vida intima e muito menos na minha cabeça. Foi no dia 1 de junho de 2011 que tudo começou.

Como todo garoto de 17 anos tinha todas as redes sociais que eram famosas, e nelas sempre tive muitos "amigos" por s empre estar dando festas e comemorações sem importância, apenas para estar perto de meus amigos. Em um dia comum para minha rotina estava vasculhando uma destas redes quando entre os convites de amizades me deparei com alguém que nunca havia visto na cidade, não é do meu costume aceitar pessoas que nunca vi em minha vida, mas este eu adicionei.

Na foto havia um garoto de 16 anos, apenas alguns meses mais novo que eu, branco e com os cabelos castanhos claros, pelas fotos notei que também era bastante conhecido e que tinha um corpo ainda infantil, porém com a puberdade ainda florescendo. Eu ao contrario sempre fui mais desenvolvidos que a grande maioria dos meus amigos da minha idade, sempre tendo que fazer a barba e cuidando dos demais pelos corporais que não me deixavam em paz.

Acabei me esquecendo deste rapaz que havia adicionado por curiosidade, até que um dia ele começou a conversar comigo pelo bate-papo.

(ELE)__Opa, blz?

(EU)__Tudo bem e vc?

(ELE)__Também . :]

(EU)__Voce é daqui mesmo?

(ELE)__Sim.

(EU)__Estranho nunca tinha lhe visto antes.

(ELE)__É moro em uma parte mais afastada da cidade.

(EU)__Hum legal.

(ELE)__Já tinha te visto antes, alias todos já te viram né. Kk'

(EU)__É a maioria das pessoas haha'

Enquanto conversava com ele, um rapaz com quem já havia ficado, de uma cidade diferente da minha, me chamou no chat e me disse que havia visto que eu tinha adicionado este rapaz. E me disse também que ele era gay, não assumido, mas que um amigo dele havia lhe dito que já tinha ficado com ele, e que ele era "ótimo na cama", fiquei curioso, então decidi apostar minhas fichas nele.

Conversamos durante praticamente uma noite inteira. O nome dele era Philip e pouco a pouco fui descobrindo em sua conversa que ele não aparentava ser gay. Mas eu confiava neste rapaz que havia me dito que ele era, então não dei muita importância.

No dia seguinte resolvi esquentar um pouco mais as coisas com Philip, pedi o MSN dele com a desculpa de que não gostava de teclar pelo chat, pois ele frequentemente apresentava erros. Enquanto tínhamos uma conversa saudável pelo msn, comecei a vasculhar seus amigos buscando qualquer pessoa que me mostrava o que ele realmente era. Me deparei com mais de 1000 amigos nos quais alguns me eram familiares por apresentarem uma "fama gay". Com estes indícios não coloquei o plano em minha cabeça em ação.

(EU)__Mas e ai? Pelo visto você não namora, senão já teria ficado sabendo sobre sua namorada.

(ELE)__ É, realmente não namoro. Não sou muito fã dessas coisas de compromisso.

(EU)__ Então somos dois meu colega. Relacionamento é coisa de pessoas sem mais preocupações na vida.

(ELE)__Haha, nem é assim. Eu pretendo namorar quando encontrar a pessoa certa.

(EU)__Hum, então boa sorte nessa procura.

(ELE)__Que você não namora eu já sabia, haha. Mas que não pretende exercer essa função é uma novidade. Muita gente da cidade gostaria de estar com você.

(EU)__Haha' pelo menos em algo tenho que ter privilégios né.

(ELE)__Pois é.

Fiquei um tempo sem dizer nada, mas queria ir mais enfrente. Então em um golpe de insanidade joguei em pratos limpos, com uma grande chance de erra-los.

(EU)__E ai cara, estava olhando seus amigos aqui. Tu é gay ou algo do tipo?

Ele demorou bastante tempo para responder.

(ELE)__EU NÃO.

(EU)__Hum, pode falar cara, só de boa.

(ELE)__Como assim "de boa" vc curte?

(EU)__Não sei nunca experimentei - menti - E você?

(ELE)__Ué cara, eu já sai com uns cara ai. Mas também com mulher.

(EU)__Hum.

Eu nunca havia ficado com ninguém que fosse da minha cidade, porém também já estava cansado de ficar trancado em casa me contentando apenas com filmes. Apesar de que foram eles que me salvaram muitas vezes.

(EU)__Vai fazer oque hoje a noite?

(ELE)__Nada, pq?

(EU)__Afim de nos encontrarmos?

(ELE)__Ué, sim. Se topar tenho a chave da casa da minha avó, pode mos ir para lá.

(EU)__Tudo bem.

Ele me passou o endereço, eu estava meio repreensivo por estar pensando se fiz coisa errada. Mas já que estava feito, fui lá. Eram 21:30 quando cheguei na porta da casa da vó de Philip.

Ele era um pouco maior que eu e tinha um perfume incrível. Ele não era tao magro quanto parecia nas fotos.

Entramos e ele me levou a um quanto que tinha duas camas de solteiro. Eu sentei em uma e ele em outra. Como nunca havíamos nos visto ou conversado antes ficamos calados, apenas olhando um para o outro. De inicio foi uma situação meio constrangedora, até eu levantei e fui para o lado dele, passei a mão na perna dela e vi que ele esta nervoso, eu também estava.

Comecei a me inclinar para beijar ele quando ele correspondeu e nós nos beijamos. Nesse momento senti algo incrível, como nos filmes parecia que havia borboletas no meu estômago e que um sino tocava em minha cabeça. Senti aquele perfume mais de perto, um cheiro amadeirado e envelheci do que me deixava cada vez mais excitado, nos deitamos e continuamos a nos beijar.

Ele tirou minha camisa e trocamos de lugar na cama, ela agora estava encima de mim. Aproveitei a oportunidade e também retirei a camisa dele. Pude ver aquele corpo branco e magro, porem não muito magro. Comecei a passar as mãos em seu corpo e foi nas costas que percebi seus músculos em desenvolvimento. Não encontrei pelo algum em seu corpo.

Beijamo-nos loucamente sem nos importarmos com o que estava acontecendo no mundo, provavelmente se chegasse alguém naquele momento não perceberíamos. Voltei a ficar sobre ele e devagar fui percorrendo o corpo dele com minha boca, senti o abdômen dele pouco treinado, mas em desenvolvimento e poucos pelos perto do umbigo, como um caminho para o que eu mais esperava.

Abri seu short e o deixei de cueca, pude sentir pela sua respiração que ele estava excitado e gostando de tudo que estava acontecendo. Comecei a beijar o volume que já estava formado em sua c ueca boxer branca e com os mesmos beijos percorri o caminha de volta à aquela boca maravilhosa.

Ele trocou de lugar comigo, e da mesma forma que desvendei o corpo dele ele desvendou o meu. Senti meus músculos do abdômen contraindo a cada movimento de sua boca. Ele mordiscava meu pênis de uma forma que eu nunca havia sentido, ao poucos ele foi tirando minha cueca também boxer, porém preta, até eu estar totalmente nú. Senti sua boca quente novamente, porem desta vez em meu pênis.

Sentia a sua língua acariciando meu prepúcio. Sentia naquele momento um prazer que nunca tivera sentindo. Pude perceber que estava do lado de alguém que sabia o que estava fazendo.

Depois de sentir sua boca em meu pênis, ele foi subindo sua boca até nos beijarmos novamente, para mim aquela esta sendo a melhor noite da minha vida.

Troquei de lugar com ele e mordi carinhosamente seus lábios, passei minha mãos por suas costas até sentir sua bunda, lisa, redonda, perfeita. Fiz com que ele vir asse, e beijando sua nuca disse para ele o quando ele era melhor do que havia imaginado.

Fui mordiscando suas costas até sua bunda, sem pelos algum. Passei minha língua em seu ânus, e logo ele se abriu como se pedisse para penetra-lo. Ao poucos fui me deitando sobre ele, e como num quebra-cabeças, meu pênis se encaixou em seu ânus. Nesse momento ambos sentimos um prazer enorme.

Era como se nada mais impostasse. Aquele momento era mágico.

Comecei a penetrá-lo, e juntos fizemos posições inimagináveis, e que alguns julgariam impossíveis. Sentia aquele homem por dentro, e ele se agarrava ao lençol a cada vez que penetrava nele. Virei-o para minha frente, e nos beijamos enquanto eu o penetrava. Segurei seus braços e senti seus músculos se contraírem.

Depois de cinco horas de um sexo amoroso, estávamos exaustos, mas não queríamos sair um de perto do outro, então eu me deitei e ele colocou a cabeça em meu peito. Eu acariciava os cabelos lisos dele enquanto lembrava de tudo que estava acontecendo, e incrédulo de como um homem daqueles poderia morar na mesma cidade pequena que eu, e nunca ter o visto antes.

Ficamos abraçados até o momento que a mãe dele ligou para ele perguntando onde ele estava. Fomos tomar banho juntos, no banheiro não conseguíamos parar de nos beijar. Eu ensaboei as costas dele e ele fez o mesmo comigo, depois nos enxugamos, trocamos de roupa e ficamos sentados um na frente do outro, como se conversássemos apenas pelo olhar.

Infelizmente tivemos que nos separar. Mas no mesmo dia voltamos a conversar pela internet, e voltamos a marcar de nos encontrar...

Isso que aconteceu, foi meu sonho realizado.

Autor: Pedro
E-mail - bicam@live.com
MSN - bicam@live.com
FONTE - Conto enviado pelo internauta.