Foi assim minha primeira noite em um acampamento com a minha patrulha de escoteiros.

Foi a primeira vez que realmente fiz sexo. Antes só tinha feito brincadeiras com outros garotos.

Tinha muito tesão e vontade, mas sempre faltou coragem de ir mais além... Acordei cedo e fui me lavar e o dia transcorreu normalmente como em qualquer acampamento. Muitas atividades e diversão.

O curioso e um pouco preocupante é que o pessoal da minha patrulha sempre olhava para mim com um olhar de: "...espere a noite...".

Quando podiam um ou outro sempre me dava uma enconchada ou passava a mão na minha bunda...

A noite chegou e após o jantar começamos a ir para a barraca. Procurei ser o último a entrar nela na esperança de que todos dormissem logo, mas essa esperança se mesclava com uma excitação e um tesão muito grande...

Em fim acabei entrando na barraca e comecei a trocar de roupa. Mal tirei a calça do uniforme fui derrubado no chão e Pedro que tinha um pau grande e me comeu na noite anterior me fezeu chupar seu pau que era bem grande.

Enquanto chupava Pedro, Lucas que também tinha um pau grande começou a me penetrar com força. Novamente tinha a experiência de ser comido ao mesmo tempo em que chupava um pau.

Pedro gozou na minha boca. Uma quantidade enorme de porra e Lucas continuava a me comer. Meu cú já doía bastante.

No lugar de Pedro apareceu o pau de Eduardo para eu chupar e lá fui eu chupando meu segundo pau da noite.

Renato que também tinha um pau grande tirou Lucas de cima de mim e começou a me fuder. Meu cú já doía muito e reclamei que estava com muita dor.

Renato me virou de barriga para cima e Sergio deitou-se por cima de mim enfiando seu pau na minha boca e chupando o meu ao mesmo tempo.

Confesso que o tesão foi tão grande que esqueci a dor e adorei a sensação de estar chupando um pau, sendo chupado e comido ao mesmo tempo. Renato gozou e senti sua porra escorrer pelo meu cú. Eu e Sergio gozamos quase juntos, um na boca do outro. Pedro que estava se punhetando num canto da barraca se aproximou e gozou na minha cara e na minha boca.

Relaxamos todos e cada um foi dormir no seu canto. Fiquei um pouco preocupado, mas ao mesmo tempo ansioso em saber o que ainda viria pela frente, pois o acampamento iria durar cinco dias e só estávamos no segundo...

Autor: Luiz Moura
E-mail - Não Publicado
MSN - Não Publicado
FONTE - Conto enviado pelo internauta.