Há cinco anos nas férias de junho minha mãe me matriculou numa colônia para escoteiros jovens, tinha 13 anos, sou moreno, tenho os olhos castanhos, e adoro esse lance de acampar, ainda mais se a companhia for carinhas curiosos, feito eu. Meu nome é Guilherme e agora tenho 18 anos.

Minha equipe era "Marrom com Laranja" er amos 6 integrantes. No centro onde eu estava so tinha meninos, as meninas estavam em outro centro. Cada equipe tinha seu próprio alojamento (um tipo de cabana para dormir).

Eu me dava super bem com minha equipe, conversávamos sobre muitas coisas, de joguinho de vídeo game até revista de mulher pelada.

Gosto desse lance de trocar experiências e tals. Todos tinham quase a mesma idade entre 12 e 14, mas na minha equipe tinha um carinha mais velho que os outros, o Pablo, ele tinha 16, ele era filho de uma das organizadoras da colônia, por isso ele era o único mais velho.

O fato dele ser mais velho que os outros não me incomodava não, pelo contrario, eu adorei.

Adorava quando chegava a noite. A colônia se recolhe e cada equipe vai pro seus alojamentos. Depois passa cara checando se estão todo mundo no alojamento.

Era ai que chegava a melhor hora. Pablo sugeria para que ficássemos de cueca pois é mais confortável e tals. Pablo tinha revistas play boy escondidas na mochila e mostrava algumas páginas para nós, rápido rápido a equipe inteira ficava de pau duro.

O pau do Pablo era alucinante, ele colocava o pau pra fora da cueca e mostrava pra nos, ele ficava se punhetando, o pau dele baba de tesão, era muito bom ver aquilo.

De repente ele goza e libera vários jatos de porra pra todo lado, de olhos fechados e mordendo os labios. Morria de tesão peloo Plabo, sempre quis gozar igual ele.

Depois que já estavam todos dormindo, Pablo me acordou e falou no meu ouvido para esperar por ele no banheiro, queria me ensinar algumas coisas sem os outros caras da equipe saberem.

Fui pro banheiro já com o pau duro, tentando imaginar o que ele me ensinaria dessa vez. Pablo entrou em seguida sem cueca e de pau duro, trancou a porta e me pediu pra tirar a cueca tbm.

Olhou nos meus olhos, sorriu e me fez alguns elogios, em seguida me pergunto se eu não tinha coragem de come-lo. Assustei na hora, pensei um pouco mas aceitei.

Ele virou de costas pra mim, arreganhou a bunda me mostrando aquele belo cu com poucos pelos do lado. Meus olhos brilhavam, Pablo olha pra mim pelo espelho e disse -mete bronca!

Encostei minha cabecinha na portinha do cu dele, fiz força pra frente tentando penetra-lo, mas meu pau escorregava.

Pablo passou um pouca de gel de cabelo pra ajudar a lubrificar, mesmo assim meu pau não entrava. Pablo era um pouco mais alto que eu talves seja por isso.

Depois de muito tempo tentando penetra-lo, Pablo se vira pra mim e disse em voz baixa -vc teve o seu tempo, agora é a minha vez de comer vc!

Eu levei um susto maior ainda qndo ele me disse isso, mas eu estva tranquilo, pensei que ele tbm não iria conseguir me penetrar.

Acenei que sim com a cabeça, ele me virou, passou o gel bem geladinho no meu cu, primeiro ele enfiou um dedo até no fundo do meu cu, foi de mais, eu gemia baixo, depois ele enfiou outro dedo, dessa vez doeu um pouco, mas eu aguentei.

Ele fazia movimento de vai e vem com os dedos dentro do meu cu . Tava muito bom aquela sensação atrás de mim...

Pablo passa mais gel de cabelo em mim, de repente ele ajeita a cabecinha do pau na entradinha do meu cu e foi penetrando bem devagar, eu pensei que o pau dele não entraria, mas começo a entrar, tava doendo, eu pedi pra ele parar, ele tapou minha boca e cochichou no meu ouvido -se ficar quieto não vai doer.

Fiquei quieto, nem respirei. O pau dele foi entrando muito devagar, ele forçava meu ombro para baixo, sentia meu cu se abrindo, a dor era quase insuportável, fechei meus olhos e suportei a dor em silencio. A essa altura escorria lagrimas pelos meus olhos.

O pau dele entrou ate eu sentir as bolas dele encostarem em mim. Enfim eu respirei aliviado. Pablo deu alguns beijos na minha nuca, me abraçou com seu pau ainda dentro de mim e começou a puxar o pau de volta.

Foi incrível meu pau tava super duro, babando tanta porra. Pablo me pediu pra relaxar e disse q ia enfiar outra vez. Ele foi enfiando lentamente, desta vês doeu menos.

Pablo gemia o tempo todo no meu ouvido. Começou um vai e vem atrás de mim, me batia muito forte contra a pia do banheiro, eu não aguentava mais meu cu tava ardendo.

Ele fazia um vai e vem tão rápido que meu cu tava ficando quente. Pedi pra ele parar mas ele continuava e gemia cada vez mais alto dizendo "Que delicia! Que delia!" o tempo todo.

Mesmo sentindo dor eu tava gostando, meus olhos estavam espremidos, meu pau saia muita porra transparente até pingava no chão.

Pablo me deu um empurrão mais brusco, se afastou punhetando e gozou muita porra nas minhas costas. Ele em seguida esfregou seu pau sobre a porra nas minhas costas.

Me abraçou por trás e começo a bater punheta pra mim enquanto mordia minha oreia de leve. Eu não sei o que ele pretendia mas tava muito bom. Minha respiração ficou mais forte, meu corpo começou a tremer, quase desmaie quando gozei.

Sujei o chão e a mão do Pablo de porra. Estava envergonhado, ficamos nos olhando por um tempo, ele sorriu pra mim, me deu um beijinho no rosto e me pediu segredo sobre o acontecido.

Eu fiquei quieto em silencio, não tinha palavras, eu estava muito nervoso. Nos lavamos e fomos dormir.

Nesta noite, foi a primeira vez que eu dei na minha vida, nunca senti tanto tesão igual.

Depois que a temporada de férias acabou eu nunca mais vi o Pablo e eu nunca contei isso pra ninguém.

Tenho MSN quem quiser conversas me adicionem..!

Autor: Guilherme
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto enviado pelo internauta.