Me chamo Pedro, tenho 24 anos, na época tinha 15. Eu era um garoto muito safado para minha idade. Em frente a minha casa, trabalhava um homem em uma loja. Certo dia, ele apareceu aqui em casa para consertar uma impressora a pedido de minha mãe. Minha mãe teve que sair de casa as pressas para o trabalho me deixando sozinho em casa com o homem, que se chamava Roberto.

Eu ficava olhando ele trabalhar, na verdade admirand o sua beleza, já que ele era um homem lindo de 27 anos, peitoral formado, barba mal feita e uns olhos muito sedutores. Depois de um tempo ele pergunta porque eu o olhava tanto.

Eu: Ah, não é por nada, só estava querendo aprender como ajeitar essa impressora.

Roberto: Pois vem cá então que eu te ensino.

Cheguei perto dele, e no mesmo instante ele me agarra.

Eu: Que é isso? Tá louco??

Roberto: Louco por você! Pensa que eu não percebi que você na verdade estava era olhando para mim?

Eu: Na verdade eu estava olhando para você mesmo, imaginando como seria ter você na minha cama.

Roberto: Então vamos lá que eu te mostro.

Segui com ele para o meu quarto. Ao chegar lá ele tira toda a roupa dele, revelando um enorme pau de 24 cm.

Roberto: Chupa!

Caí de boca naquele banquete. Chupava desde a cabeça até a base, e daí seguia para suas bolas. Ele gemia como um louco enquanto eu pagava um boquete para ele. Passado alguns minu tos, ele me puxa pelos cabelos e me dá um beijo muito gostoso.

Roberto: Deita na cama e empina essa bundinha.

Deitei na cama e levantei a minha bunda o máximo que pude.

Eu: Vai com calma que eu ainda sou virgem.

Roberto: Pode deixar comigo, depois de sentir o meu pau dentro da tua bunda tu nunca mais vai querer outro.

Dito isso ele enfia o pau dele todo de uma vez. Tive que morder o travesseiro para não soltar gritos de dor misturado com um prazer de um pau enorme me penetrando. Ele começa a bombar bem forte e rápido.

Roberto: Aguenta aí que eu to gozando!

Eu: Quero gozar junto contigo.

Ele pega o meu pau e começa a pagar uma punheta para mim que aliás foi uma das melhores punhetas que fizeram em mim.

Roberto: Huuuum! Ahhhhh! To gozando! Huuuuum!

Ele então solta um jato de gala morna ao mesmo tempo que eu.

Roberto: Nossa, que cú gostoso! Quero experimentar ele outras vezes!

Eu: Vou adorar, m as agora tu vai ter que ir embora, alguém da rua pode desconfiar.

Ele foi embora e eu fui tomar um banho imediatamente pensando nele.

Fim. Continua...

Autor: Pedro
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
FONTE - Conto enviado pelo internauta.