Conforme o conto anterior após vários papos com o deus negro nós seguimos para um motel.

Quando chegamos lá tomamos um banho e começamos a conversar sobre diversos assuntos.

O que me chamou a atenção nele, foi que ele foi tranquilo e não foi direto ao assunto.

Após papo vai e papo vem começamos a nos beijar e aí começou a esquentar o clima.

Ele fez em mim um cunete que me levou até as estrelas, e logo em seguida voltou a me beijar, no momento que ele estava fazendo o cunete em mim eu estava fazendo um boquete nele. Gente que pica era aquela.

Muito grande mesmo. Como tenho um chaveiro com uma pequena trena tratei de medir e na verdade tinham 26cm de pica. Quando vi aquilo fiquei amedrontado, mas ele disse que se eu não quisesse não faríamos, mas no fundo eu queria aqueles 26cm atolados no interior do meu cu.

Perguntei se ele tinha camisinha e gel e ele disse que sim, que sempre anda prevenido, pois não se sabe quando os acontecimentos surgem.

Depois de termos feito um 69 ele me colocou de frango assado e colocou um, dois e três dedos no meu cú, massagenado ele para receber aquela tora de pica.

Ele colocou tudo e eu senti uma dor seguida de um prazer inenarrável.

Parou  um momento para que o meu cu se ajustase a tora de pica. Após este momento começaram as estocadas que me levaram as estrelas. Após um tempo estocando ele disse que iria gozar e tirou a tora de pica do meu cú e gozou na minha barriga.

Ficamos um tempo deitado recompondo nossas energias e fomos tomar um banho, daí ele me comeu novamente no banho.

Saímos do banho e nos arrumamos e saímos do motel.

Sendo assim desde então sempre que da nos encontramos para curtirmos um pouco.

Nos demais encontros ele também deu seu cozinho apertado para mim, e reclamou da grossura de minha pica que é muito grossa.

Estamos nessa eté hoje e sempre que da nos vemos após as aulas.

Autor: Moreno Provocante
E-mail - morenorj@hotmail.com
MSN - Não Divulgados
Conto enviado pelo internauta.