Então, há uns dois anos atrás, tinha um namorado. Massa o menino, super discreto, super na dela, vinha aqui em casa, frequentava de boa. Apesar de família saber, acho mais legal assim. Voltando, o cara devia ter 1,90, pouco mais alto que eu. Sabe aqueles magros definidos?

Então, bem desse modelo. Ele estava em casa, iamos sair, pedi pra ele sentar e esperar no sofá que tenho no quarto.

Antes de sair, ele pediu pra que fizesse os tramites para que rolasse de ele me comer aquela noite. Como na maioria das vezes eu era ativo com ele, sempre que ele queria ser ativo, tinha de avisar, por questões de higiene. Sei que fui ao banheiro. Quando terminei o banho, e entrei no quarto, tranquei a porta e fui me vestir. Nada de muito anormal, sequei os ovos, a região ali de trás... e joguei a toalha na cama.

Como disse no outro conto sou sou moreno, tenho 1.87, corpo normal, uso o cabelo na máquina, bonito. Na hora que fiquei pelado na frente desse homem, o negocio quase furou a calça jeans. Depois de treparmos de várias formas, encontrei uma que deixava ele doido. Ser o passivinho dele.

Sentei no seu colo, e começamos a nos beijar, ele tirou a camisa. Fui com a língua brincando ali entre peito, umbigo, e fui descendo. Quando abri a calça, o menino tava bem animado. O cara não era lá o mais dotado não. Tinha seus 16cm que me satisfizeram da melhor maneira possível.

Comecei a chupar aquela rola dura, por cima da cueca. Que já estava toda babada. O cara tirou a rola pela lateral e enfiou na minha boca. Putz, que chupada deliciosa. Chupava e via a cara dele todo se contorcendo. Foi bem gostoso. Dai resolvi subir. Começamos a nos beijar, e foi só o tempo de sentar, como não usávamos camisinha pois namorávamos há um tempo, e também os exames estavam em dia. Sei que fui sentando, só com aquele pouquinho de saliva, que em poucos minutos a pica tava toda dentro. E porra, que dentro.

Não faço ideia de onde aquele cara tirou força, sei que ele do nada, nem deu tempo de eu rebolar, ficou em pé. Abracei ele com as pernas. Parecia cena de filme pornô. Sentia o pau dele entrando muito lá no fundo. Foi das metidas mais tesudas que já recebi. E quem disse que o menino gozava?

Ficou bombando uns 5 minutos, em pé, comigo no colo. Sentou na cama, e dai era minha hora né? Sentei, e cavalguei gostoso naquela pica. Ele disse que queria gozar. Deixei ele me comer até chegar no limite. No final, pedi que ele gozasse na minha cara. Nada mais submisso que isso, mais passivo.

Enfim, gozei enquanto a porra do cara jorrava na minha, e depois aquele pau lambuzando tudo. Tomamos um banho, e saímos, falamos com as pessoas que estavam em casa como se nada tivesse ocorrido.

Autor: Pedro
E-mail - pedu.gabis@gmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.