Fui encontrá-lo em São Paulo para voltarmos a sua cidade. Eu estava numa ansiedade só. Fazia uma semana que não o via. Fiquei esperando-o no terminal Barra funda. Ele não vinha e as horas não passavam. Que angústia. Chegou em cima da hora. Como sempre, lindo e com aquele sorriso maravilhoso, que lhe é peculiar. Mas algo havia mudado.

Os carinhos da ida não estavam mais presentes, os olhares e as palavras sofreram mudanças. A viagem que tinha sido cheia de carinhos na ida, foi distante na volta. Mas atribui ao cansaço de uma semana de correria e novidades em Campinas e São Paulo. Descobri mais tarde, ainda durante a viagem, o motivo. Na ida ele estava brigado com o ex e estava indo para tentar resolver tudo. Na vinda ele resolveu: VOLTARAM.

Chegamos em casa e eu louco de desejo por um beijo e por ser possuído por ele. Ele se manteve distante. Eu entendi, mas precisava dele. Precisava dos seus carinhos. Precisava experimentar tudo o que ele tinha pra me oferecer e que foi tão marcante na primeira semana. Precisava sentir o seu gozo na minha boca novamente. Como chegamos bem cedo e cansados de uma noite viajando, dormimos um pouco e começamos a procura por uma casa onde pudéssemos morar, e fomos a uma entrevista com o Prefeito da cidade, para ver alguma possibilidade de emprego pra mim.

Ele está me ajudando como poucos o fizeram em minha vida. Ouso dizer que, do modo como aconteceu nos conhecermos, ele é o único que de fato me ajudou e esta me ajudando. A noite, cansados, eu só fiz uma massagem nele e alguns carinhos e dormimos. No outro dia, correria atrás de casa e trabalho. Isso era quinta feira e naquela noite tinha um jogo de vôlei para assistirmos. Além disso, uma pessoa especial na sua vida faleceu e tivemos que ir ao velório. Nada de eu poder senti-lo, mas só acariciá-lo. Entendi perfeitamente e o respeitei.

Na sexta feira, correria novamente. Nossa casa era nossa tarefa. A noite eu o intimei a me dar do seu prazer. A primeira vez eu senti o seu sabor, mas não foi completo. Aí resolvi que ele deixaria todo o seu prazer em minha boca. Ele o fez. Mas, como da primeira vez não tive coragem de engolir. Meus escrúpulos me impediram. Final de semana, fomos ao Rancho onde havia tido uma das experiências mais maravilhosas, a de ser possuído por ele na piscina, (UAU, QUE DELÍCIA). Mas, estávamos acompanhados e eu, mais uma vez, na minha burrice, coloquei os pés pelas mãos e o magoei (COMO SOU IDIOTA).

Foi uma noite horrível de sábado para domingo. As horas não passavam e eu acordei diversas vezes e, mesmo no escuro, ficava olhando para ele. Dormimos em camas separadas e vê-lo tão perto de mim e nem ao menos senti-lo mexer-se na cama, como já estava ficando acostumado, eu podia. Que vontade de tocá-lo. Tocar os seus pés. Quando dormimos juntos, mesmo que não nos entreguemos um ao outro, vez ou outra eu podia encostar partes do meu corpo ao seu.

Como é bom de madrugada sentir os pés se tocarem, sentir os seus braços encostados ao meu, uma perna que se arvora em ficar em cima da outra. Acordar durante a noite e passar as mãos no seu corpo e sentir que ele está ali. Que não é sonho, é real. Dar um beijo, mesmo que de leve, em partes do seu corpo, como o faço, quase sempre. Nossa, são sensações maravilhosas. E eu não tinha isso naquela noite. E o pior, uma sensação de pavor por pensar que ele podia não me querer mais por perto. Sei que ele não faria isso, mas minha insegurança me faz viajar nas paranóias de toda a pessoa insegura.

Acordei as 5h30 e fui tentar colocar em palavras o que estava sentindo. Peguei uma caneta e o único papel que achei, foi um pacote de guardanapos. E escrevi o que estava me deixando angustiado, pois ele não queria nem me ouvir falar do assunto que o tinha deixado magoado comigo. Escrevi e coloquei dentro do documento do carro. Uma hora ele veria. Ele acordou no domingo, lindo e maravilhoso como de costume, e cansado ainda de ter trabalhado muito no sábado, colocou um colchão na área externa e disse que dormiria mais um pouco. Aproximei-me, pedi perdão e pude acariciar seu rosto e suas costas.

Ele estava com frio e fui buscar um lençol para cobri-lo. Nesse dia o almoço era por minha conta e tínhamos umas 10 pessoas para almoçar. Comecei a minha lida, mas não perdia nenhum movimento do seu corpo sobre aquele colchão. Fiquei velando o seu sono e tentando impedir qualquer coisa que atrapalhasse o sono do meu guerreiro lindo. Alias como é lindo. As curvas do se corpo pulsando. Seu rosto sereno e forte descansando. E o volume sob o short me fazendo convite para um prazer imenso.

Um peito lindo e peludo, um caminho de sedução maravilhoso de pêlos escuros e ali, atraindo meu olhar como imã, aquele volume que me dera tantos prazeres. Não podia me aproximar e acariciar, mas mesmo assim, ele dormindo, com todo o cuidado me debrucei sobre o seu corpo e beijei aquele volume que atraia meu olhar. Passei um domingo inteiro, tentando me penitenciar com ele. Mas meus sentimentos de culpa e de burrice me acompanhavam. Chegamos em casa e nessa noite, até para mostrar a um amigo que ele conversava na cam e que viu pela primeira vez o meu rosto, fiz uma declaração de amor explícito. Até isso foi a primeira vez que fiz. Eu comecei a acariciá-lo e o chupei deliciosamente.

Que delícia ter aquele membro duro e quente na boca. Que delícia poder chupá-lo. E vi o seu prazer. Seu amigo podia sentir inveja, porque estava dando ao meu homem, pelo menos naquele momento, todo o prazer que ele quisesse. E ele gozou muito e pela primeira vez, e eu disse isso olhando nos seus olhos, eu engoli tudo o que o seu prazer me proporcionou. Até o que tinha ficado na sua mão e corpo e o que havia restado no seu membro duro, lindo e gostoso eu fiz questão de aproveitar. Novamente repito, não tenho coragem, de fazer isso com o meu gozo, nem com o de outra pessoa.

Já tentei, não consigo. Mas com o dele é diferente. É DELE. Dormi uma noite muito feliz. Estava alimentado pelo leite do homem que amo. Agora me sentia pleno na entrega aquele, que é o mais completo dos homens. O mais especial dos homens. O mais lindo e maravilhoso ser humano que conheci. Podia dizer com todas as letras: EU O AMO. Mas ele não é meu.

Se não bastasse o namorado, o único privilegiado que tem uma ligação profunda com ele, e que ele tenta de todas as formas manter, porque, mesmo que negue, eles se completam e se gostam muito, há também, uma plêiade de “amigos”, “ex” e “pretendentes” que são mantidos, a distância é verdade, mas que estão presentes todos os dias no seu MSN e no seu celular. Tais pessoas, o admiram muito e isso é perfeitamente compreensível, ele é admirável e todos o amam. Uns amam o homem, outros amam o macho, outros amam o ser humano e alguns AMAM-NO NA SUA INTEIREZA. Mas, todos querem tê-lo. E ele, mesmo inconscientemente mantém a todos em seu poder. Não o faz por maldade, mas por gentileza e carinho.

Ele trata a todos maravilhosamente. O fato é que, seu jeito maravilhoso de ser e tratar as pessoas faz com que todos o desejem. E, como alguns já tiveram o privilégio que eu tive de tê-lo como homem e macho, não esquecem, como eu não esqueço e, claro que querem mais, como eu também quero. Ele tem o poder de manter a todos rodeando-o e amando-o.

Os tais “amigos” são na verdade, todos, reféns do seu jeito maravilhoso de ser. E, suas gentilezas e palavras de carinho, vão dando a todos a sensação e esperança de que ele é de cada um. E, enebriados pelo homem/menino ou menino/homem, os carentes de atenção e afeto se deixam seduzir e ficam presos a ele. E a vida segue como se o possuíssem.

Ele é maravilhoso. Um é o privilegiado que é seu namorado, e que o atrai e o faz deixar tudo para estar com ele. Mesmo que eles briguem e que ele se chateie com alguma coisa. E os outros os que são alimentados por ter o prazer de sua atenção em tempos diferentes. E eu que estou aqui ao seu lado, servindo-o para que ele seja feliz, vou levando minha vida, admirando-o cada dia mais.

Quero servi-lo, quero amá-lo, quero estar perto dele. Mesmo que não seja dele e ele não seja meu, quero estar com ele. Ter sua presença, saber de sua vida, ver seu sorriso, poder admirá-lo no seu dia a dia, isso me faz muito bem. Estou conhecendo sua história e vejo-o cada dia mais um ser humano que se forjou das cinzas e ressurgiu belo e lindo. Frágil as vezes, carente em outras, mas um vencedor e um batalhador. Não quer depender de ninguém e luta por liberdade. Mas precisa estar aconchegado para se sentir vivo e protegido. Mesmo negando ele está sempre se aproximando dos que podem acarinhar não só o seu corpo, mas as suas emoções também.

Sei que dificilmente ele será só meu. Mas me contento em estar perto. Em poder ajudá-lo no que posso e vez ou outra dar um ombro amigo. E vez ou outra poder fazer um carinho. Nossa como é bom acarinhar esse homem. Como é bom poder sentir o seu cheiro. Passar minhas mãos por suas pernas. Acariciar suas costas, fazer um cafuné. Poder passar minha barba nas suas costas. Não sei se ele gosta.

Só sei que eu me delicio e fico radiante de alegria de ele me dar esse privilégio. Sinto falta do seu carinho, sinto falta do seu abraço, sinto falta do seu beijo. Tento realizar todos os seus desejos. Fiz um cavanhaque porque ele quis. Gostei. Faço o que ele me pede e estarei sempre ao seu lado. Quero fazer dele o homem mais feliz que conheço. Mesmo que nunca venhamos a ter algo mais consistente. Mesmo que esteja longe de mim, como agora.

Estou em sua cama, sentindo seu cheiro e ele está nos braços do seu namorado, que resolveu fazer-lhe uma surpresa. Fico com ciúme? Muito. Fico com inveja? Claro. Eu queria ser amado por ele. Eu queria estar ao seu lado. Mas estava consciente desde o início que ele estava envolvido com alguém. Não tenho o direito de sentir ciúme e nem de ficar chateado de estar aqui sozinho. ELE ESTÁ FELIZ. Isso pra mim é o bastante. Espero um dia, encontrar alguém que possa chamar de meu, assim como ele é do seu namorado.

Dificilmente será alguém tão completo e especial como ele o é. Já encontrei outros caras, mas ou gostava de uma coisa ou gostava de outra. Nunca tinha tantas coisas que eu gostasse num homem como vejo nele. O fato é que estarei sempre ao seu lado. Hoje ele viu minha decepção ao saber que o namorado dele estava aí e perguntou-me se eu ainda quero morar com ele. CERTAMENTE QUE SIM. Isso é ponto pacífico.

A decepção é por conta de saber que ele não é meu. Ele não tem culpa disso. Vou aprender dia após dia a controlar esse sentimento e tratar o seu namorado como uma pessoa especial. Não pra mim, mas pra ele. Se o escolheu é porque é especial, já que ele o é. Com certeza, não estaria ao lado de alguém que não fosse especial. Se um dia eu conhecer o seu namorado e pudermos conviver de alguma forma, o tratarei da melhor maneira possível. Afinal é a pessoa que o homem que eu admiro escolheu. E, mais, se fizer isso estarei mantendo a possibilidade da presença desse homem ao meu lado. Como amigo, como amante, sei lá, mas ao meu lado. E eu, vou fazendo o que faço hoje: VOU CONTINUAR A SERVÍ-LO E TENTAR FAZÊ-LO FELIZ DE TODAS AS FORMAS. MESMO SEM MIM.

EU SOU DO MEU AMADO, MAS ELE NÃO É MEU.

Ele está feliz, isso é o que eu quero.

Vamos morar juntos. Vamos compartilhar nossas vidas. Vamos nos fazer felizes. Porque sei que é isso que ele deseja pra mim também. Por enquanto não vejo ninguém que eu queira tanto quanto o quero. Por isso vou ficando assim e, aproveitando os resquícios de prazer e carinho que ele me dá.

QUE DELÍCIA UM ABRAÇO SEU. QUE DELÍCIA UM SELINHO. QUE DELÍCIA TÊ-LO AO MEU LADO. Meu ciúme fica insignificante perto do prazer que tenho de estar com ele.

TE AMO MEU AMADO. BEIJÃO MEU GALÃ.

Autor: O Felizardo
E-mail - Não Divulgado
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.