Ás 14h eu já estava na frente da porta do Professor André, toquei a campainha e nada. Bati na porta e nada, esperei alguns segundos e toquei a campainha novamente, ele abriu a porta.

ANDRÉ= Eu estava tomando banho, por isso me demorei.

EU= Não tem problemas!

ANDRÉ= Você me deve uma satisfação, eu te esperei até tarde da noite.

EU= Não deu para eu vir, e nem de te avisar. Não queria que você ficasse chateado comigo.

ANDRÉ= Eu não fiquei chateado, fiquei é muito puto e com raiva mais já passou.

Quando dei por mim, já estava em seus braços e nos beijando intensamente, a minha mão segurava no seu pinto e a dele na minha bunda.

EU= Agente precisa conversar. Eu preciso te contar o que aconteceu.

ANDRÉ= Agora não!! Agora eu só quero o seu corpo.

Mordi seu lábio, beijando-o em seguida. Suas mãos subiram direto para a minha nuca, me fazendo arrepiar todo. Nossos beijos ficaram mais intensos e minha boca logo foi parar em seu pescoço, mordendo e chupando, fazendo o dar alguns gemidos baixos. Voltei a beijar sua boca, enquanto minha mão alisava o seu pinto duro. Ele desceu suas mãos para minha calça, abrindo e abaixando a mesma, e logo suas mãos estavam dentro da minha cueca, massageando a minha bunda, fazendo-me dar um gemido baixo em sua boca.

Terminei de tirar minha calça sem parar de beijá-lo, agarrando sua cintura, fazendo-o encostar-se na mesa da cozinha.

Minha boca automaticamente foi parar no seu pinto; eu chupava e dava mordidas fortes, fazendo-o gemer e se arrepiar todo. O André sentou encima da mesa e coloquei suas pernas em cima dos meus ombros.

Eu o chupava ferozmente e ele gemia alto e empurrava minha cabeça contra o seu pau. Que gosto maravilhoso meu professor tinha! Suguei, dando leves mordidas e em seguida senti seu corpo tremendo por inteiro.

O André estava fora de si, gritava alto, urrava de tesão e empurrava minha cabeça para eu engolir todo o seu pinto. Ele me puxou e me beijou intensamente.

O André me Puxou e rapidamente, me jogando em cima da mesa, abriu as minhas pernas e meteu tudo de uma vez. Dei um grito alto. Eu gemia e mordia forte o seu lábio. Ele metia rapidamente, e até um pouco violentamente. Eu adorava. Gemia pedindo mais. A cada estocada me excitava mais, ele tirou todo o seu pau e enfiou novamente e bem devagar, me fazendo sentir cada centímetro do meu pinto. Entre gemidos, eu pedia para ir rápido.

EU= Meter rápido e forte. Vai!!! Mete!!! Mete!! Hummmmmmmm!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!! Uiiiiiiiiiiiiii!!

O André me xingava e gemia dizendo o meu nome me arrancou da mesa e deitou no chão e eu subi em cima dele, O seu pau entrou de uma vez e eu cavalgava deliciosamente, eu pulava e gemia alto.

O André entre gemidos e grunhidos gozou e eu ainda dava reboladinhas.

EU= Nossa!!!!! Que fogo que você estava hem! (RISINHO)

Ele não disse nada só me beijou. Passei a beijar seu pescoço. Sentia cada pelo do seu corpo se arrepiando e a respiração dele ficando mais descontrolada. Desci minha boca para o seu peitoral chupando e acariciando-os.

André gemia alto e puxava forte os meus cabelos. Isso me enlouquecia. Fico descontrolado quando puxam meu cabelo enquanto eu dou prazer a um homem.

Desci os beijos para a barriga. Meus lábios chegaram à região da virilha dele e ficaram ali por um tempo, ignorando os seus pedidos para chupá-lo logo. Como eu já disse anteriormente: eu gostava de provocar. E com ele não seria diferente. O André enlouqueceu completamente quando eu afastei bem suas pernas e passei a língua, levemente, pela cabeçinha do seu pau. Empurrou minha cabeça e esfregava seu pinto no meu rosto. E eu só pude fazer uma coisa: chupar e muito.

André se contorcia todo e gemia alto, muito alto.

Sem diminuir o ritmo continuei chupando e comecei a punhetar enquanto chupava.

ANDRÉ= Quero gozar na sua boca. (ENTRE GEMIDOS ALTOS)

EU= Não precisa pedir, é o que eu quero também.

Voltei a chupar rápido e forte.

ANDRÉ= Isso!!!!!!!!!!!!!!! Issooooooooooooooooo!! Vai!! Vai!!! Continua que eu já vo gozar!!!!!!!!!!!!!!!!! Hummmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm!!! Gozeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!

A sua porra veio mais grossa e mais espessa e em jatos fortes.

Ela puxou meu cabelo e mordeu o lóbulo da minha orelha e disse, enquanto mordia minha orelha.

ANDRÉ= Estou viciado em você!

EU= Eu também professor, estou viciado em você!

Levantamos do chão e fomos para a sala e sentamos na poltrona. O André me puxou pelo braço e me pôs no seu colo.

ANDRÉ=Vamos tomar um banho, juntinhos?

EU= Não posso! Tenho que ir embora.

ANDRÉ= Sério?

EU= Minha mãe está me esperando em frente ao shopping e eu já estou atrasado.

ANDRÉ= Mais... Você disse que precisava falar comigo!

EU= Era para explicar o porquê deu não ter vindo dormir com você. (PAUSA) Depois eu falo sobre isso, agora tenho que ir mesmo. (JÁ FUI PEGANDO AS MINHAS ROUPAS E ME VESTINDO)

Já estava quase saindo quando o André me agarrou.

ANDRÉ= Volta amanhã tá?

EU= Prometo que vou tentar. (FIZ CARA DE SAFADO E PEGANDO NO SEU PINTO)

Saí correndo para a minha casa, nunca o Edu poderia saber disso.

EU= (PENSANDO PELO CAMINHO) Se eu fizer tudo direitinho e bem escondido, nunca que o Edu vai descobrir, afinal de contas não dá para recusar um homem gostoso dentro de mim. Ainda mais o meu professor que custou para cair na minha lábia.

Cheguei à minha casa, e quando estava terminando o meu banho o Edu chegou.

EDU= (SORRINDO COM UM PRESENTE NA MÃO)

EU= O que é isso?

EDU= É para você. Abra!

EU= (ERA UM CELULAR) Por que você está me dando um celular?

EDU= É para gente se falar, quando eu não puder vir te ver. Eu também comprei um.

Mostrei o presente que ganhei para minha mãe e fomos direto para o meu quarto.

EDU= Você me promete uma coisa? (ME ABRAÇANDO)

EU= Sim.

EDU= Me promete que eu serei o único na sua vida.

EU= Eu prometo.

A princípio eu pensei mesmo em ser fiel, mais quando aqueles homens deliciosos me procuravam eu não resistia e acabava na cama com eles. O João, O Leonardo e o meu preferido o professor André.

Ás vezes me pego pensando nos meus peões o Tião e o Francisco, quem sabe um dia eu volte na casa dos meus vozinhos e mate a saudade. Mais isso seria mais difícil, o Edu nunca ia me deixar viajar sozinho e com certeza iria comigo.

Apesar do ciúme do Edu e das minhas escapadinhas eu o amo e já pensamos em morar juntos no futuro como um casal.

Faltam 3 meses para acabar o ano letivo e ano que vem estarei morando em Portugal junto com o Edu, o meu verdadeiro amor.

(THIS IS NOT A REAL HISTORY) Mais espero que todos tenham gostado e se envolvido na trama do personagem Yuri. (The slut at heart)

FIM.

Autor: Peter
E-mail - peterpanrj16@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.