Encontramos os nossos amigos num barzinho e ficamos até de madrugada e na volta para casa, despistamos todos eles para ninguém saber que o Edu ia comigo.

Em frente á pracinha o Edu resolveu parar e dar uma mijada,e eu aproveitei para dar uma boa olhada no seu pinto.

EDU= Ta com saudades dele é? (BALANÇANDO O PINTO)

EU= Só saudades não! Eu to morrendo de tesão mesmo, to doidinho para ele entrar no meu cuzinho.

O Edu deu uma balançadinha nele para sair a ultima gota do mijo.

EDU= Pega nele vai! Não tem ninguém por perto e a rua já está deserta. Pega só um pouquinho.

Peguei e o seu pinto cresceu na minha mão. Puxei-o para um lugar mais escuro e caí de boca no seu pau. Sugava-o todinho, parecia um aspirador de pó, o seu pinto entrou gostoso se alojando na entrada da minha garganta e o meu nariz mergulhava nos seus pentelhos.

O prazer era tanto que logo comecei a sentir vontade de gozar e coloquei o meu pinto para fora e me masturbei enquanto o chupava. Aumentei os movimentos, promovendo um prazer incontrolável que terminou numa explosão de porra na minha boquinha.

Com o seu pinto esporrado ainda em boca eu gozei como um louco e não consegui controlar meus gemidos que ecoou na praçinha em plena madrugada.

Preocupados, saímos correndo em direção a minha casa, chegamos e os meus pais já estavam dormindo, dava para escutar os roncos do meu pai pela casa inteira e fomos direto para o meu quarto e trancando a porta.

Eu estava com fome de pinto e o Edu com fome do meu cuzinho. E o agarrei beijando-o a sua mão foi direto para a minha bunda ele acariciava, apertava com firmeza, demonstrando sua masculinidade.

O Edu abaixou a calção, senti o volume grande sobre a cueca. Coloquei a mão por dentro e acariciei o pauzão meio mole ainda, mas segurando e mexendo na piroca dele.

EDU= Chupa !!! Ele é todo teu meu amor. (SUA VOZ ESTAVA TRÊMULA)

Abocanhei a cabeça, lambia, sugava, me deliciava.

O Edu sentou na beirada da cama e eu coloquei os braços sobre suas pernas e fudia com a minha boca o seu pinto.

Sentia vários arrepios, tesão total. Resolvi de me deliciar, dar e receber prazer. Para ficar livre, tirei minha calça e cueca. Voltei a engolir o pauzão, sentir tudo aquilo na boca, gozei no chão me masturbando.

Virei de costas, fiquei meio agachado, pequei no pau dele e direcionei no meu cu.

Ele se esticou, molhou a mão de cuspe e passou no meu cuzinho. Molhei bem o pau dele com a boca e voltei na posição que estava. Empinei a bunda e ele colocou a cabeça. Abri e mexi a bunda e entrou. Estremeci. Um calor tomou conta do meu corpo. Minha porção mulherzinha veio à tona.

Ele pegou no meu ombro e puxou forte, entrou tudo. Não podia grita, mas dei um gemido forte e abafado. Minha bunda ficou empinada, dando sinal que estava adorando a sua piroca.

Fiquei parado naquela posição por alguns minutos, para sentir o prazer de ser possuído como uma fêmea. Comecei a contrair apertar o pau, sentir aquilo cm por cm. Ele gemia no meu ouvido, Eu não agüentei a pressão dentro e comecei a rebolar mexer para me sentir comido de verdade.

Repetia os movimentos, as contrações, e rebolava mais e mais. Cavalgava até em cima, descia, ficava parado sentado parado, mas em seguida mexia, rebolava.

O Edu me erguia e soltava meu corpo que caia espetado no seu pau. Empinei a minha bunda o máximo que pude e rebolava deliciosamente no seu pinto. Rebolava sem parar.

O Edu envolveu os seus braços fortes pelo meu pescoço e no meu ouvido ele sussurrou:

EDU= To gozandoooooooooooooooooooooooooooooo!!!Liguei a TV e deitamos, ficamos agarradinhos assistindo filmes. Na verdade um filme e meio por que acabamos dormindo na metade do segundo filme.

Acordamos com a claridade do sol entrando no meu quarto e o Edu continuava agarradinho de conchinha comigo.Levantei da cama e ele veio por trás e me abraçou carinhosamente me beijando a nuca.

EDU= Vamos voltar para a cama. (PEGANDO NA MINHA CINTURA E ESFREGANDO O PINTO NA MINHA BUNDA)

O seu pinto foi ficando durinho e cutucando no meu cuzinho, virei o meu rosto para trás e o beijei.

O Edu foi me levando de volta para a cama eu apoiei as pernas abertas nos ombros dele. Edu esfregava o pinto dele no meu e, de vez em quando, simulava que estava enfiando no meu cuzinho.

Senti o seu dedo entrar no meu cú e fui ao céu.

Edu se deitou sobre mim e começou a chupar e a morder os meus mamilos. Era muito bom sentir o peso dele em cima de mim.

Ele estava se tornando um verdadeiro machinho e eu o seu viadinho.

EU= Me come!!!!! Me fode vai!!!!! (SUSPIRAVA FORTE E PROLONGADO)

O Edu me obedeceu e foi enfiando o seu pinto, enfiava ele todo e tirava e em seguida passava a cabeçinha na portinha do meu cú. Repetiu esses movimentos muitas vezes me fazendo implorar por uma foda mais violenta.

O Edu já sabia de como eu gostava de ser fudido e sabia também como me provocar e me deixar muito louco.

Eu queria gritar para o mundo ouvir o quanto eu desejava o seu pinto me fudendo com pressão, mais me contive, estava no meu quarto e ao lado a minha mãe e o meu pai, acabando de acordar.

EDU= Ta gostoso tá? (ENTRE GEMIDOS) To te fudendo direitinho? (GEMIA)

EU= To adorandooooooooooooooooooo!!!!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!! Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!! Hummmmmmmmmmmmmmm!! Hummmmmmmmmmmmmmmmmmmm!!

Como você ficou bom nisso viu!!!!! Que pinto gostosooooooooooooooo!!! Hummmmmmmmmmmmmmm!! Issooooooooo!! Fode maisssssssssssssssssssssss!!! Hummmmmmmmmmmm!!

EDU= De quem é esse cuzinho????

EU= É seuuuuuuuu!!! Todinho seuuuuuuuuuuu!!! Hummmmmmmm!!! Uiiiiiiiiiiiiiiiii!!! Hummmmmmmmmmmmmmmmmmm!! Que delíciaaaaaaaaaaaaaaa!!! (SUSPIRAVA FORTE E A MINHA FOZ CADA VEZ MAIS TRÊMULA)

EDU= Diz o que eu sou teu. (FALANDO NO MEU OUVIDO) Diz para mim, diz. (SUSPIRAVA)

EU= Você é o meu homem. O meu machinho. (GEMIA) Hummmmmmmmmmmmm!!! Hummmmmmmmmmmmmmmmmm!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!Sentia calafrios de tanto tesão.

EU= Me fode em pé vai!!!!

O Edu tirou o seu pinto do meu cú e foi me empurrando para a parede, abriu as minhas pernas e meteu a língua no meu buraquinho. E enquanto sugava e enfiava a sua língua, ficava alisando e batendo uma deliciosa punheta em mim.Virou-me de frente para ele e deu algumas chupadas no meu pau, o deixando bem babado com a sua saliva e me virou de bunda para ele novamente e voltou a enfiar a língua e a bater punheta em mim.

A sua mão deslizava de tanto cuspe que estava no meu pau e a punheta ficou mais gostosa. Empinei a minha bunda e com as minhas mãos abri o máximo que podia.

O Edu foi subindo e passando a sua língua pelas minhas costas, subiu mais e encontrou a minha nuca e orelha.

Os seus lábios beijavam e lambiam ao mesmo tempo e o seu pinto entrando no meu cuzinho. Virei o meu rosto e abri a boca queria a sua boca na minha enquanto me fudia.

O Edu tirou o pinto do meu cuzinho e ficou passando para cima e para baixo no meu rego.

Eu= Vai, enfia esse pinto no meu cú. (IMPLORAVA)

As minhas pernas foram ficando trêmulas e bambas e eu fui me agachando no chão com o Edu engatado em mim. Me segurou firme pela cintura e começou a me puxar pra trás fazendo o seu pau entrar de novo.

EDU= Que cuzinho gostoso meu amor. Hummmmmmmm!!!

EU= Então come ele bem gostosinho!!! Hummmmmmmmmmmmmmmm!!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!! Hummmmmmmmmmmmmmmm!!

O Pinto do Edu foi deslizando, deslizando, entrando, entrando, metendo, metendo... Começou o vai e vem, o põe e tira, seu pau entrava e saia do meu cu à vontade, socava o seu pinto sem parar, metendo, metendo e metendo sem dó.

Eu empinava cada vez a minha bunda para trás e para cima e rebolava e mexia para frente e para trás.

EDU= (GEMIA) Hummmmmmmmmmmmmmmmmmm!! Hummmmmmmmmmmmm!! Hummmmmmmmmmmmm!!!

O Edu batia punheta em mim enquanto me comia e devorava meu cuzinho.

EDU= Ahhfff... To gozandooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!! Hummmmmmmmmm!!!

EU= Vo gozar também!!!!! Hummmmmmmmmmmmm!!! Hummmmmm. Ahhfff...

EU= Ai... Ai que tesãaaao!!! Uuuui! Ui... Uuuuuiiii Caralhooo! Que tesãaaoooo!!! Vaaaaaaaai, vaaaaaaaaaaai meu macho! Vaaaaaaaaaaai, VaaaaaaiI Goza, Goza, Goza , Goza gostoso, Vai goza.

O Edu segurou no meu pinto na hora que eu estava gozando e a sua mão ficou toda melada com a minha porra e o meu cú com a porra dele. Não tinha nada para limpar o chão, então peguei a minha cueca e limpei a porra.

Enquanto limpava o Edu deitou na cama como se fosse o meu marido, botou os seus braços para trás da cabeça, cruzou as pernas e ficou ali pelado, me olhando limpar o chão.

EU= Bem que você podia me ajudar aqui né?

EDU= (BALANÇOU A CABEÇA PARA OS LADOS, COMO QUEM ESTIVESSE DIZENDO NÃO)

Eu estou supervisionando o seu trabalho. (DEU UMA RISADA)

EU= Mais você tem uma parcela nisso aqui! (SORRI)

EDU= A minha parcela já foi depositada no seu cuzinho. (RIU) E foi tão bem depositada que você gostou e muito. (RIU NOVAMENTE)

EU= Psiu!!!! (BOTANDO O DEDO PERTO DA BOCA) Alguém pode te ouvir. (JÁ TINHA TERMINADO DE LIMPAR)

Voltei para cama e fiquei em cima dele.

EU= Você merece ficar ai sim viu! (BEIJEI-O) Você precisa descansar. (BEIJEI-O NOVAMENTE)

Começamos a escutar os meus pais falando lá na garagem e em seguida os dois entraram no carro e saíram.

Fui à janela para ver se realmente os dois saíram juntos de carro.

EU= Os meus pais saíram.

EDU= Que bom! Temos a casa só para nós dois.

EU= Vou preparar um café para você, me espera na cama ta? (SORRI)

EDU= Que mordomia hem!! Vou ser servido na cama?

EU= Vai sim. (ME SENTINDO UMA MULHERZINHA AGRADANDO O SEU HOMEM) E depois do café, vou te dar um banho bem gostosinho e lavar o seu pinto para ele ficar bem cheirosinho.

EDU= (SORRINDO) Seu safado!!!! Vesti a bermuda que estava usando na noite passada e fui preparar o café do Edu, voltei com uma bandeja cheia de coisas gostosas, suco de laranja, torradinhas, geléia e café preto.

O Edu comeu tudo e pediu mais suco, voltei na cozinha e preparei mais um copo de suco de laranja para ele, mais desta vez levei em um copo bem grande.

Já estávamos entrando no banho quando o telefone tocou me enrolei na toalha e fui atender ao telefone deixando o Edu tomando o banho sozinho.

EU= Alô!

MAMÃE= Oi meu filho! O seu pai precisou viajar as pressas e eu vou com ele, já estamos na estrada e só voltaremos amanhã à noite.

EU= Aconteceu alguma coisa séria, mãe!

MAMÃE= Nada sério meu filho! É só uma viajem de negócio e eu preciso estar ao lado do seu pai. Vamos nos hospedar na casa de um senhor que vai fazer negócio rendoso com o seu pai e ele é conservador. Por esse motivo estou indo junto.

MAMÃE= É que fico preocupada com ai em casa sozinho.

EU= Não se preocupe, mãe.

O Edu dormiu aqui esta noite e eu vou pedir para ele dormir hoje de novo aqui só não sei se a mãe dele vai o deixar ficar mais um dia aqui.

MAMÃE= Pode deixar isso comigo! Eu mesma ligo para a casa dele avisando.

Depois peça a ele para ligar para mãe dele confirmando.

EU= Assim que terminar de tomar banho, eu peço para ele ligar para a casa dele avisando.

MAMÃE= Deixei dinheiro na mesinha ao lado da minha cama. Fique com deus meu filho. E até amanhã á noite.

EU= Até amanhã!Desliguei o telefone e corri para o banheiro e dei a noticia para o Edu. Arranquei a bermuda e entrei no chuveiro com ele.

EU= (QUASE ESTÉRICO E MUITO EUFÓRICO) Quero dar para você em todos os cômodos da casa. (PASSANDO O SABONETE NO SEU PINTO MOLE) Só falta saber se você vai agüentar. (FIZ CARA DE PUTA)

EDU= Assim eu vo parar no hospital. (RISOS) Imagina só! (RISOS) Adolescente para no hospital e é internado por ter um ataque do coração de tanto trepar com o seu namorado. (GARGALHADAS) transar em excesso mata viu!! (GARGALHADAS)

EU= Temos hoje e amanhã, e eu nunca que ia deixar o meu machinho ter um ataque. (RISOS)

Eu tenho que cuidar muito bem do meu brinquedinho. (PEGANDO NO SEU PINTO)E ficamos rindo muito.

Terminamos o banho e ficamos enrolados nas toalhas que havíamos nos enxugados, peguei a cueca suja de porra e lavei.

Enquanto isso o Edu deu uma leve arrumada no quarto, abriu a janela para entrar um ar.

FIM.

(CONTINUAÇÃO)

Autor: Peter
E-mail - peterpanrj16@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.