Assim que anoiteceu e todos foram dormir fui direto para o quarto do João, queria dar para ele o meu cuzinho. Ele deveria estar com muita vontade, afinal eu tinha passado 15 dias fora.

O quarto dele estava com a luz apagada e a porta trancada. Bati de leve na porta e nada dele abrir, bati mais uma vez e nada. Chamei por ele bem baixinho e descobri que ele não estava em seu quarto.

Eu= (PENSANDO) Onde ele poderia ter ido. Desci as escadas e voltei para o meu quarto e custei a dormir, só ficava pensando em onde estaria o João naquela hora da noite. Aquela noite ia ser terrível eu já estava acostumado a dormir com um macho abraçado em mim e um pinto encostado no meu cuzinho.

Eu mal dormi a noite e assim que amanheceu eu já estava de pé e resolvi preparar o café da manhã. Os meus pais acordaram e a mesa já estava posta.

MAMÃE= (OLHANDO PARA MIM E FALANDO BEM DEBOCHADA) Quem é você? Cadê o meu filho? Este que está na minha frente só pode ser um clone do meu filho ou foi abduzido por um extraterrestre e te fizeram uma lavagem cerebral. (DEU UMA GARGALHADA)

EU= Para mãe!!! (RÍ TAMBÉM)

MAMÃE= O meu filho fez o café e ainda preparou a mesa!!! (ME ABRAÇOU) Que coisa mais linda. Ainda ficamos um pouco sentados a mesa e nada do João aparecer.

EU PARA O PAPAI= Vou chamar o João para descer e tomar café. (JÁ ME LEVANTANDO)

PAPAI= O João não mora mais aqui filho! Ele se mudou dois dias depois que você viajou.

MAMÃE= Ele se mudou para um apartamento perto da empresa que o seu pai e ele trabalham. O apartamento é enorme e ele está muito feliz.

PAPAI= Ainda mais que agora ele está namorando a filha do meu patrão, o João vai longe agora. (RISOS) A Susana não sai do apartamento dele, até dormi lá e o nosso chefe faz muito gosto dos dois estarem juntos.

MAMÃE= Ali vai dar casamento, e vai ser bem rápido. (RISOS)

EU FALANDO COM OS MEUS PAIS= Torço para ele ser feliz. (EU PENSANDO) Que se foda! Que coma aquela buceta todos os dias, porque o meu cuzinho ele nunca mais vai chegar perto.

À tarde eu estava vendo TV e o telefone tocou, eu fui atender e era o João.

JOÃO= Daqui a 10 minutos vou passar de carro ai e te pego para a gente conversar.

EU= Não precisa!

JOÃO= Eu quero falar com você, quero te explicar o que aconteceu.

EU= Eu já sei de tudo! Meus pais me contaram.

JOÃO= Não quero continuar essa conversa por telefone, estou indo para ai, me espere no portão. (DESLIGOU O TELEFONE)

Estava sentado no meio fio da rua em frente da minha casa, quando parou um Kia cerato prata e o João dentro dele.

JOÃO= Entra e vamos conversar.

Entrei e soquei a porta do carro para fechá-la.

JOÃO= Eu não queria que você soubesse de tudo pelos seus pais. Eu que queria ter falado e te explicado. Contado como tudo aconteceu, entende?

EU= Entendo e respeito. (FALEI COM IRONIA) O carro é seu? Lindo ele? (MUDANDO DE ASSUNTO)

JOÃO= É da minha namorada. Na verdade o carro fica mais comigo do com ela. O João botou a mão na minha coxa e alisou.

EU= Tira a mão, por favor!!!!!

JOÃO= Eu não quero que mude nada com nós dois, tudo vai continuar como antes. A diferença é que vamos nos ver bem menos, mais eu quero continuar sendo o seu homem.

Ele voltou a por a mão na minha coxa e eu tratei de tirá-la imediatamente.

JOÃO= Estou com tanta saudade de fuder no seu cuzinho sabia? Quero continuar a ser o teu homem, seu único homem.

EU= (OLHEI BEM NA SUA CARA) Você foi o meu primeiro homem, mais não vai ser o único. Você fez a sua escolha e eu vou fazer a minha, te desejo muita sorte e que você coma muito a buceta da sua namorada e quem sabe ela até da o cuzinho para você.

JOÃO= Não fale isto! Eu quero ficar com os dois. Eu a amo e morro de tesão por você meu menino. (FALANDO JÁ BEM NERVOSO)

EU= De hoje em diante eu vou ter outro pinto que não seja o teu para eu chupar e dar o meu cú.

O João parou o carro e foi se alterando comigo e se não o lugar público que estávamos ele com certeza tinha me batido.

JOÃO= Quem é o macho? Me diz o nome dele?

EU= Não te interessa.

JOÃO= (SEGUNRANDO NO MEU BRAÇO) É o Leonardo não é?

EU= Quem sabe! Se for você não tem nada com isso!

JOÃO= Filho da puta! (SOCOU O VOLANTE DO CARRO) Eu bem que desconfiava dele! Ele já chegou em você? Me conta? Vocês já tranzaram? Me conta?

Em silêncio abri a porta e saí do seu carro. O João ficou parado por alguns segundos e saiu em disparada cantando os pneus.

Perto da minha casa tem uma quadra e quando passei por lá a galera jogava futebol, fiquei olhando e me chamaram para jogar. Nada como um futebolzinho para aliviar a tensão e esquecer os problemas.

Assim que escureceu voltei para casa tomei banho, jantei vi novela com os meus pais depois vimos filme e fui dormir.Precisava me acostumar a dormir sozinho e agora mais do que nunca, não tinha mais as minhas escapadas para o quarto do João, o macho que me iniciou como viadinho.

As aulas voltaram e eu lá firme e forte. Bom! Digamos que nem muito firme e nem muito forte, mais fingindo estar muito bem. Eu estava muito carente de pinto e qualquer homem que eu via, podia ser muleque ou mesmo um homem veio que eu me imaginava trepando com eles. Bastava ter um pinto e idade para gozar.

Assim que entrei na sala de aula dei de cara com o professor André e o meu pau deu sinal de vida e o dele também, porque eu vi o professor ajeitando o seu pinto. Escrevi um bilhete e entreguei para o professor, dizendo que eu ia na casa dele hoje à tarde.Na hora do recreio ele me procurou e disse que tinha compromisso e que eu não poderia ir hoje.

EU PARA O PROFESSOR= Eu vou e fico te esperando. (ESTAVA DESIDIDO)

PROFESSOR= Está bem. Apareça lá as 17:00h.

Nesta hora eu já cheguei. Dei um sorriso e fui para a quadra me encontrar com os meus amigos e jogar uma bola.Na saída do colégio eu estava com os meus amigos e o João parou o carro na minha frente.

JOÃO= Entra no carro Yuri, vou te dar carona ate a sua casa.

EU= Eu vou com os meus amigos.

JOÃO= Entra ai garoto, não me custa te levar. (ANCIOSO)

EU= Obrigado pelo convite! Mais é que eu não vou para casa agora. Vou me encontrar com uma pessoa. (DEI UM SORRISO)

EU= (PENSANDO) Espero que ele tenha imaginado que ia me encontrar com o Leonardo ou com qualquer outro macho.

EDU= Aposto que tem mulher na parada! (RISOS)

EU= Eu só falei aquilo para dar uma desculpa de não ir com o João. Quero ir com vocês. Assim agente pode azarar a mulherada. (RISOS)Paramos todos nós na esquina de minha casa e ficamos lá por um tempo.

EDU FALANDO COM TODOS NÓS= Na quinta, meus pais vão dormir fora e só voltam na sexta à noite. Vamos todos lá para casa e também podem dormir lá.O Frederico e o Augusto disseram que não podiam ir, mais o Ricardo confirmou.

RICARDO= Eu vou levar um uísque. (RISOS)

EU= Eu vou também.

EDU= Então esta combinado. Podemos beber primeiro e depois vamos para rua pegar mulher. (RIMOS JUNTOS)

Cheguei em casa almocei e fiquei de bobeira até chegar a hora deu ir para o apartamento do André.

EU PARA A MINHA MÃE= Vou chegar tarde viu mãe!

MÃE= Aonde você vai menino?

EU= Vou fazer um trabalho de geografia na casa do Edu. Dei um beijo na minha mãe e fui ao encontro do meu professor. Cheguei no prédio e rezei para o Edu ou alguém da sua família não me ver por ali, escolhi subir pelas escadas. Pelo elevador poderia dar de cara com alguém.

Já no seu andar, procurei pelo número do seu apartamento e parei em frente a sua porta e toquei a campainha. O André abriu a porta e eu entrei.

ANDRÉ= Alguém te viu entrando no prédio?

EU= Ninguém me viu. E eu subi pelas escadas, achei mais seguro. Sem o deixar pensar em ter qualquer tipo de reação, seguro na sua cintura e roubo um beijo dele, Seria agora ou nunca, poderia eu estar me arriscando demais e ver até aonde aquilo ia dar.

Ele retribuiu me beijando loucamente, nos agarramos. Eu com a mão no seu pinto e ele com a mão na minha bunda de repente ele para e me afasta dele.

ANDRÉ= Isso não pode acontecer! Eu sou o seu professor! E você é só um menino!

EU= Eu sei que você me quer tanto quanto eu te quero.

ANDRÉ= Mais isso não é certo.

EU= Quando duas pessoas se querem e se desejam é certo sim.

O André me puxa pelo braço e me leva para o seu quarto. Deitamos na cama, ele vai tirando a minha roupa e a dele, até ficarmos somente de cueca, com os paus pulando para fora de tão duro.

Eu estava pegando fogo e louco pelo pinto do André. Eu tiro as nossas cuecas e ficamos nos sarrando pinto com pinto, nos excitando até que ele me beija. Virei ele e passei a ficar por cima, mudando de lugar com o meu professor. Fui abaixando até o seu pau e chupei com gosto, afinal eu o desejava há muito tempo e não quis perder tempo chupava e lambia.

O André me puxou para cima e voltou a me beijar. Ainda me beijando ele foi me levantando e me colocando de quatro, abriu bem as minhas pernas e a minha bunda e enfiou a língua no meu cuzinho, ele lambia e sugava.

EU= Isso chupa o meu cuzinho!!! Chupa o cuzinho do seu aluno!!! Ai, Ai, Ai. Que deliciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

EU= Me come agora vai!!!! Enfia esse pinto no meu cú!! Me fode gostoso.

O André foi enfiando bem devagar me levando a loucura.

ANDRÉ= Rebola pra mim vai!!! Rebola no meu pau. (ENTRE GEMIDOS) Nossa!!! Como você é gostoso Yuri!!

EU= Você acha que sou gostoso? (FALANDO COM VOZ BEM FEMININA)

ANDRÉ= Delicioso!!!

EU= Então me fode com vontade, fode o seu aluno vai!!!! Hummmmmmmmm!! Hummmmmmmmmmmmm!!! Ai, Ai, Ai, Hummmmmmmmmm!!! Que delicia de pinto o meu professor tem. Ai, Ai, Ai, Hummmmmmmmmmmmmmmm!!

Ficamos naquela posição por um bom tempo, até que eu quase sento em seu pinto, fazendo meu cuzinho também ficar bem mais aberto.

O André parou de me fuder e deixou o seu pinto totalmente parado dentro do meu cuzinho.

ANDRÉ= Rebola no pinto do seu professor, seu puto safado.

Eu rebolei feito uma puta faminta e começo a dar gritinhos de tesão.

EU= Que pinto gostoso!!! Goza no cuzinho do seu aluninho goza!!! Hummmmmmmmmm!!!! HUmmmmmmmmmm!! Goza gostoso vai!!!Eu rebolava e ele socava.

André= Que delicia Yuri!!!!! Vou gozar Yuri!!!!!! Ahhhhh que cú gostoso você tem Yuri!!!!! Vou gozarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!!!!!

Eu dava pequenas reboladinhas enquanto recebia toda a sua porra. A porra do meu professor.

Ele acabou de goza e disse que era a vez dele experimentar a minha porra e o André caiu de boca e me chupou num ritmo frenético. O meu corpo se contorcia e ele ficava tentando me fazer ficar parado.

Eu mordia os meus próprios lábios e a minha mão de tanto tesão que ele me proporcionava naquela chupava. Eu fui ao delírio e fiquei descontrolado, gemia, gemia mais alto. Segurei na sua cabeça e pressionava para que ele engolisse o meu pinto inteiro, Ele passou a chupar e massagear o meu saco e também dava pequenos puxões nele.

ANDRÉ= Goza na boca do seu professor, goza! O seu professor vai engolir a porra do seu aluninho todinha.

O meu pau doía de tão duro e ele não diminuía o ritmo de suas chupadas até que gozei rios de porra na sua boca. A cada jato que saia do meu pinto o meu corpo tremia e eu gemia.

O André engoliu a porra toda sem deixar nenhuma golinha para trás. Ele deita ao meu lado e ficamos ali, em forma de conchinha.

ANDRÉ= Não devíamos ter feito isso, sabia? (BEIJAVA A MINHA NUCA E ACARICIAVA O MEU ROSTO)

EU= Você se arrependeu?

ANDRÉ= Há muito tempo que eu quero fazer isso com você. Mais eu tinha medo.

EU= E ainda tem medo?

ANDRÉ= Sim. Apesar de te querer muito, eu tenho muito a perder.

EU= Como assim?

ANDRÉ= Eu sou o teu professor, precisa de mais explicações?

EU= Por acaso você acha que é o primeiro professor que se envolve com um aluno?

ANDRÉ= Sei que não.

EU= Eu sou discreto e você não precisa ter medo.

FIM.

(CONTINUAÇÃO)

Autor: Peter
E-mail - peterpanrj16@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.