Olá pessoal, olha eu aqui de novo (sou o carinha que gosta de pés e que em outro conto revelou gostar de bar, sabe... Pra observar os que lá vão depois do trabalho).

Bom sou um cara normal, magrinho, baixo, pernas peludas e bundinha pequena e depiladinha, sou um cara vaidoso, daqueles que usa perfume caro e no meu guarda roupa tenho até algumas peças de marca, não sou rico, dou o maior ralo trabalho e faço curso a noite.

Eu gosto de homens com jeito de homem, esses  afeminadinhos  não tem vez comigo, alias até tem, se eu tiver sob efeito de muita cerveja, ai adoro pagar de ativo e coloco o cara pra me mamar e já comi muita bundinha assim (isso acontece geralmente em boates) mas tem algo que me deixa louco de tesão e ao mesmo tempo me intriga muito, tenho fetiches com caras sujos, suados essas coisas, mas eu nunca tinha saido com um assim, mas quando via um pedreiro todo ferrado ralando no sol eu ficava de pau duro, me imaginando chupando aquele pau que provalmente estaria bem fedido, mas não passava de imaginação e desejo não realizado.

Até que um dia num bar eu conheci ou melhor um amigo meu que também é gay me apresentou um cara, tipo  uns 40 anos, e o cara tinha a maior cara de pinguço, começamos a conversar, e ele me disse que saia com viados por grana e que inclusive meu amigo ja tinha saido com ele, ele é bem bonitão, vaidade zero, mas um cara gostoso, bem forte, pois trabalha descarregando caminhões, e tudo o que ganha vai na cachaça, nesse dia não rolou nada, mas no outro final de semana nos encontramos por acaso e ai acabei sedendo e dei uns trocados pra ele, nesse dia ele estava feio, só de chegar perto já sentia o suor forte, e eu todo cheiroso, aquilo minha mente foi a mil, o tesão aflorou, fomos p um hotel, pois eu estava meio sem grana pra motel, e quando ele tirou a roupa , eu fiquei bem feliz, pois tem um corpão, ai eu comecei a tirar minha roupa, ele me pedio pra parar, e disse - eu tiro sua roupa, vc é meu agora, e me despiu todo, me virou de costas e acariciou minha bundinha, se deitou na cama e me puxou metendo minha boca no seu pau, que me deu um certo nojo, mas eu estava decidido a fazer real o que até então era imaginário, chupei delicadamente, e ele disse - vai com força meu, você é muito delicado, ai comecei a sugar com vontade, aquele cheiro de mijo naquele pau peludo me fez delirar, e a unica coisa que ele dizia é que eu era dele, num determinado momento ele me pede pra deitar que ele ia me comer, e em seguida disse, -  pode ficar tranquilo que não vou te machucar, eu ri e ele disse que já tinha sacado a minha, (não tenho jeito de viadinho não, mas na cama sou bem delicado) na verdade  eu estava meio preocupado, pois o cara tem um pau grosso, ai ele abriu minha bundinha e deu uma guspida, e com as duas mão abria minhas nadegas , eu sintia os calos daquelas mãos asperas, e aos poucos ele foi colocondo eu pedi pra ele parar, mas ele não o fez, continuando a intrudizir, eu senti meu cú rasgando e o prazer já era dor, comecei a me mexer pra sair, mas foi em vão, nesse momento ele falou bem pertinho do meu ouvido, não quero te machucar, mas vou te fazer meu por inteiro...

Essas palavras me fez amolecer  então aguentei firme aquela vara no meu rabo, foi a conta de estar tudo dentro pra ele começar a bombar, e bombava forte, me fazendo rebolar coma sua fêmea, num determinado momento me agarrou pelos cabelos e anucio o gozo, eu sinti a camizinha  se encher dentro de mim, eu estava tremulo,  e ele parecia meu cançado, deitou em cima de mim por um tempo e depois de uns minutos foi pro banho, eu continuei deitado, ai ele me perguntou se eu queria um cigarro, acendeu e me deu, sentou ao meu lado e me acariciava os cabelos - você a partir de hoje é meu tá sabendo...

Concluindo: já faz um mês que estou com ele, e vivendo o que nunca imaginei.

Bancando um cara que já dei roupas, cuecas e sempre pagos quase tudo quando saimos, e agora ele raramente está sujo, pois sempre combinamos  antes de nos encontrar, mas confesso que sinto saudade da primeira vez,  eu realizei meu fetiche mas não imaginei que iria começar a bancar um bissexual, que nem se quer me da um beijo, meu pau é como se não existisse, mas o cara faz justo ao que dou pra ele, ele me  trata muito bem, e já chgou a se estranhar com um senhor num bar, quando percebeu que eu estava dando em cima do cara, e tocavamos um nos braços do outro, ele disse pro cara em alto e bom som que só quem tocava em mim era ele, fiquei constrangido, o tal senhor deu um risadinha e saiu fora.

Bom pessoal esse conto não é nada tão erótico, mas eu quero compartilhar com vocês leitores, e oferecer para o gilberto, embora eu ache que ele nunca vai ler, pois o mundo virtual passa bem longe da vida dele.

É isso; um grande abraço a todos.

Autor: Caio
E-mail - queromeapaixonarporvoce@hotmail.com
MSN - queromeapaixonarporvoce@hotmail.com
Conto enviado pelo internauta.