Eu estava sozinho em casa e resolvi encontrar os meus amigos no shopping e quando me viram chegando foi uma maior farra.

Ficamos o tempo inteiro na praça de alimentação e chegaram umas garotas e ficaram nos azarando.

Eu já estava quase ficando com uma, quando eu vi de longe o André subindo na escada rolante, dei uma desculpa dizendo que tinha visto a minha mãe e que ia pegar mais dinheiro.

EU PARA TODOS= Me esperem aqui, que já volto.Saí correndo para não perdê-lo de vista. E quando eu estava bem próximo do professor ele entrou no banheiro. Dei um tempinho de alguns segundos e entrei, ele estava mijando e me posicionei ao seu lado e fiquei fingindo mijar também. Olhei para o seu pinto e constatei de que realmente era lindo como eu havia pensado e era.

O professor se assustou com a minha presença, mais não podia guardar o seu pinto porque ele ainda mijava.

EU= Ele é muito melhor do que eu imaginei sabia? Além de lindo ele é roludinho, do jeito que eu gosto.

PROFESSOR= O que você está fazendo aqui?

EU= O shopping é publico sabia?

PROFESSOR= Você é meu aluno.

EU= De novo com esta história! Estamos fora do colégio e aqui você não é o professor e nem eu o seu aluno.

EU= Só sou, um carinha que está maluco para ir para cama com você.Olhei novamente para o seu pinto que agora já estava duro.

EU= E pelo visto, ele também quer isso. (SORRI)

O André foi guardando o seu pau duro na calça e me dizendo que estava com um amigo e que não podia conversar comigo ali e que ele tinha muito medo de alguém nos ver juntos.

EU= Amigo ou namorado?

ANDRÉ= Amigo. Eu estou solteiro.

EU=(SORRÍ COM A RESPOSTA DELE) Que dia que eu posso ir à sua casa?

ANDRÉ= Você não vai desistir não é?

EU= Não!

ANDRÉ= No sábado. Mais é só para conversar e esclarecer tudo.

EU= Só no sábado!!! Vamos, conversar amanhã.

ANDRÉ= Estou hospedando dois amigos em minha casa e eles só irão embora na quinta-feira.

EU= Então na sexta-feira. Estarei em sua casa. Combinado?

ANDRÉ= Está certo, então. Mais tenha cuidado, ninguém pode te ver.

O André saiu do banheiro e eu atrás, ele se encontrou com o amigo que estava por perto a sua espera. Os dois cochicharam alguma coisa e olharam para mim e o amigo até me deu um tchauzinho mais o André chamou a sua atenção.Voltei para a praça de alimentação e quando cheguei à mulherada tinha ido embora.

EU= Cadê as meninas?

EDU= Elas já foram.

EU= Que pena! Queria tanto dar uns beijos na loirinha, ela é bem gostosinha. E você? Pegou alguma? (FALANDO PARA O EDU)

EDU= Nem eu e nem ninguém aqui. Pagamos até refrigerantes para elas, achando que ia rolar. Elas beberam e foram embora.

Cheguei em casa já tinha anoitecido. A casa parecia estar em festa de tanta gente que estava lá, o som ligado e todos bebendo e rindo muito.

O João me viu e me abraçou pelo seu jeito ele estava meio bêbado.

JOÃO= (EUFÓRICO E QUASE GRITANDO) Eu consegui o emprego. E continuou me abraçando, mais desta vez ele falou baixinho no meu ouvido.

JOÃO= Mais tarde, nós dois vamos comemorar no meu quarto. O meu pinto vai comer muito o seu cuzinho hoje.

Realmente ele estava bêbado, para falar daquele jeito comigo no meio daquela gente toda, ninguém escutou é claro porque ele falou bem baixinho no meu ouvido. Mais mesmo assim fiquei preocupado e olhando para os lados para me certificar que não havia ninguém por perto.

Cumprimentei todos que estavam na sala, comi alguns salgadinhos e tomei refrigerante. Fui tomar banho e entrei para o meu quarto.As horas passavam e nada de acabar a comemoração, peguei no sono mais logo acordei achando que tinha acabado a festinha, o som da música já não tocava no aparelho mais infelizmente os meus pais estavam com o João e mais um casal de amigos, conversando e bebendo.Passei por todos e fui direto para a cozinha e o João veio atrás.

JOÃO= Espere só mais um pouquinho ta? Eles já estão indo embora e nós dois poderemos comemorar no meu quarto.

O João deu uma esfregadinha com o seu pinto na minha bunda.

JOÃO= Eu garanto que você não vai se arrepender. Meia hora depois o casal tinha ido embora e os meus pais já trancados no quarto. Esperei um pouco mais e finalmente fui para os braços do meu macho.

Quando cheguei, ele já me esperava completamente nu, de pau duro, cheio de tesão pra dar. Tirei minhas roupas e parti pra cima do meu macho, que estava sentado no sofá acariciando o seu pau.

JOÃO= Vem aqui e faz carinho no pau do seu homem. (APONTANDO O PINTO PARA MIM COM A SUA MÃO) Ele está carente de boca e cuzinho.

Fiquei de frente para ele e tirei toda a minha roupa, ajoelhei entre as suas pernas peguei no seu pinto e apertei e chupei só a cabeçinha. Fui engolindo até acima da metade e depois dei uma lambida de cima para baixo não me esquecendo de acariciar e dar umas puxadinhas no seu saco.

Ele alisava a minha cabeça e a segurou para meter melhor o seu pinto na minha boca.

EU= Adoro chupar o seu pau. (FALEI COM OS OLHOS FECHADOS E DELICIANDO CADA PEDACINHO DELE)Meu macho estava cheio de tesão, gemia baixinho.

O João segurou na minha cabeça e puxou, tirando a minha boca do seu pau.

JOÃO= Fica de quatro no sofá.

Atendi imediatamente.

Ele veio por trás, abriu minha bunda e passou a lambê-la e meteu a língua no meu cú.

JOÃO= Que cuzinho mais gostoso. Esse cú é melhor do que a boceta da minha ex-mulher.

Eu rebolava na boca do meu homem, sentindo a sua língua quente explorando o seu cuzinho.Empinei a minha bunda e mandei ele enfiar a sua piroca e o João começou a dar uma pinceladas com o seu pau na minha entradinha.Ajeitei sua pica na porta do meu rabinho.

EU= Agora mete! Mete gostoso no seu menino. Fui me contorcendo e rebolando, enquanto o João atolava o seu pau inteiro. Comecei a mexer e a remexer a minha bunda, o seu pai entrava e saia.

JOÃO= Que cuzinho guloso o meu viadinho tem.

EU= Ele tem fome de pinto, mete nele vai!

Nós dois gemíamos juntos de tesão e prazer.O João quis ficar de pé, tirou o pinto do meu cuzinho, me puxou pela cintura, e me deixou de quatro na beirada do sofá e empinei mais a minha bunda.

EU= Me fode com vontade!

Ele socou com força tudo de uma vez e eu dei um gritinho afeminado.

EU= Mete gostoso! Mete no meu cuzinho! Me segurando pela cintura ele me socava cada vez mais forte e mais fundo. E eu gemia de tesão e rebolava no seu caralho feito uma puta de zona. Mais uma vez o João tirou o pau do meu cú e me pôs de frango assado, segurou as minhas pernas e meteu e ficou num vai e vem que me deixou louco. Vendo que eu revirava os meus olhos em cada metida, ele aumentou os movimentos e gritou, foi um grito meio abafado, quase um urro.

JOÃO= Ahhhhhhh!! Tô gozando!

EU= Isso!!! Goza meu tesão!! Goza meu homem!! Goza no cuzinho do seu Yuri.

EU= Eu adoro a sua porra no meu cú.

Depois que ele terminou de gozar tirou o seu pau do meu cú e para a minha surpresa e felicidade o seu pinto ainda continuava duro.

EU= Nossa!!! O seu pinto ainda continua duro. (JÁ SEGURANDO O SEU PINTO)

Ofereci o meu pescoço para ser beijado e sugado enquanto eu massageava o seu pinto duro e melado de porra. Empurrei para que o João sentasse na poltrona assim, comecei a beijá-lo sentado em seu colo e esfregando a minha bunda no seu caralho melado.

Ajoelhei no chão e cheirava o seu pinto e passei a língua para sentir o seu sabor. Queria de novo o seu pau na minha boca e chupava com gosto, deslizando a minha língua na cabeçinha, subindo e descendo até o saco do meu macho. Fui sugando até colocar todo em minha boca.

JOÃO= Chupa mais. Lambe! Chupa meu viadinho, chupa! O seu pau estava todo melado e eu fiquei brincando com a cabeçinha, provocando o meu homem. Ele gemia e suplicava para eu botar o seu pinto na boca e eu engulo tudo e volto a chupar com mais vontade, com mais desejo, num ritmo constante e não demora muito para eu sentir os jatos quentes de sua porra.

JOÃO= Engoli tudo meu putinho, engoli a porra do seu homem, do seu macho.

JOÃO= Você é um viadinho obediente. Agora lambe o meu pau.Terminei de lamber e ainda lambi os meus lábios.

EU= Adoro o seu leite. Adoro engolir cada gota dele.

O João me puxou para o seu colo e me beijou.J

OÃO= Vamos para a minha cama. Eu quero descansar um pouco e fuder o seu cuzinho mais uma vez.

EU= Por hoje chega! Tenho que ir dormir. Dei um beijo de boa noite e fui saindo acabei de descer as escadas a já estava quase na porta para eu entrar pela cozinha, o João veio por trás e me agarrou.

JOÃO= Não entra não! Deixa eu te comer só mais uma vez. Dá esse cuzinho de novo para mim antes de você dormir. (SUSSURRAVA BAIXINHO NO MEU OUVIDO)

A bebida tinha deixado ele bem audacioso. O João estava pelado e me agarrando na porta de casa e isso me deixou muito excitado.Fui arrastando ele pelo pinto até o fundo da garagem, lá era o lugar mais seguro e sem nenhuma luz. Teríamos que fazer tudo em silêncio e nada de gemidos.

Eu= Eu vou dar para você sim, mais tem que me prometer que vamos ficar em silêncio. Você tem que se controlar.

JOÃO= Eu prometo tudo que quiser. Eu seu muito bem que eu estou meio bêbado e não vou fazer barulho. É que eu estou com um tesão do caralho e preciso fuder o seu cú mais uma vez.

Ele já foi arriando a minha bermuda junto com a cueca e me dando um beijo de tirar o fôlego. As suas mãos passaram a alisar a minha bunda e num golpe rápido ele me virou fazendo o seu pau encaixar entre as minhas nádegas.

JOÃO= (SUSSURRANDO NO MEU OUVIDO) Eu não vivo mais sem você. Eu não consigo mais ficar um dia sem fuder o seu cuzinho. Adorei ouvir aquilo e me excitou mais ainda. Para um garoto de 16 anos, já tenho 40 anos, ouvir de um homem de 30 anos que ele não vive mais sem mim. Foi à melhor sensação do mundo.

Apoiei as mãos na parede e abri bem as minhas pernas e empinei o máximo que pude a minha bunda. Não sei se era o tesão ou a bebida ou os dois juntos, ele me fudia com violência e socava o seu pinto no meu cú com tanta força que parecia que ele ia entrar todinho dentro de mim.Fiquei alucinado com ele me fudendo feito um macho dominando a sua fêmea. Me fudeu por mais ou menos 5 minutos, tirou o pau do meu cú e gozou na portinha... Depois foi empurrando o leitinho pra dentro do meu cuzinho com o pau.

Eu saí do escurinho da garagem com as minhas pernas trêmulas e fui dormir com o meu cuzinho cheio de sua porra.

Deitei de bruços e sentia o meu cú latejar. Era uma dorzinha muito gostosa, Dorzinha de quem tinha dado muito o cuzinho.

FIM.

(COMTINUAÇÃO)

Autor: Peter
E-mail - peterpanrj16@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.