Pegamos um trânsito péssimo e muito lento e só conseguimos chegar em casa por volta das 20 horas.

Fomos tomar banho enquanto mamãe pedia uma pizza por telefone.

Sai do banho todo animadinho e morrendo de saudades do meu homem. Assim que começamos a comer a pizza, minha mãe achou um bilhete do João dizendo que ele havia viajado e só retornaria na segunda-feira ou terça-feira.

Terminei a pizza e fui direto para o meu quarto.

EU= (PENSANDO) Eu não acredito que eu vou ficar mais um dia sem trepar. (FIQUEI MUITO PUTO DA VIDA) A minha vontade era de sair pela rua e trepar com o primeiro homem que aparecesse.

Fui me acalmando e acabei dormindo. Acordei de pau duro e desesperado por uma transa. Fui para o colégio e dei de cara com o professor André mais não pude falar nada e nem me insinuar, ele estava rodeado de outros professores.

Na hora do recreio estávamos jogando uma peladinha e me deu vontade de dar uma mijada.

EU= Vou ao banheiro e já volto. Eu preciso mijar. (FALEI COM OS MEUS AMIGOS)

EDU= Eu vou com você, também preciso dar uma mijada. A minha vontade de trepar era tanta que eu dava umas olhadinhas no pinto do Edu enquanto ele mijava.

EU= (PENSANDO) O pinto dele é gostosinho e bem grandinho. Eu chuparia tranquilinho.

Voltamos para a quadra e jogamos até acabar o recreio e o meu pau não amolecia e já estava doendo de tanto ficar duro. Eu precisava fazer alguma coisa.As últimas aulas era com o professor André o meu SONHO DE CONSUMO. Eu já estava subindo nas paredes de tanto tesão e com a delicia do professor na sala foi pior, o meu pinto não amolecia de jeito nenhum e continuou duro como uma pedra.

O meu pau me incomodava e eu ficava arrumando sempre que podia e o professor me viu mexendo no meu pinto algumas vezes e até ganhei alguns sorrisos dele. Os sorrisos eram bem disfarçados, mais eram sorrisos de quem estava gostando do que estava vendo.Teve numa das vezes que ele olhava e eu não me agüentei, segurei e alisei o meu pinto e olhei bem no olho dele.

O sinal tocou e todos saíram menos eu que fiquei de propósito por último, caminhei até a sua mesa segurando no meu pinto. Ele me olhou de cima a baixo e eu fiz questão de deixar o meu volume bem à mostra ao qual ele não parava de olhar.

PROFESSOR= Deseja alguma coisa, Yuri?

EU= Desejo sim, professor. (DIMINUÍ O TON DA MINHA VOZ COMO SE EU ESTIVESSE CONTANDO UM SEGREDO)

Quando é que o senhor vai me convidar para conhecer o seu apartamento.

PROFESSOR= Já te disse várias vezes para você parar com isso, menino. Sabia que eu poderia te denunciar na diretoria? Ou falar com os seus pais?

EU= Sabia sim! Mais você não vai fazer isso, por que você quer a mesma coisa que eu também quero só que você não tem coragem. Olhei bem nos seus olhos.

EU= Eu já disse também que ninguém precisa saber. Pense bem nisso que te falei. (E FUI SAINDO)

Já na saída do colégio, disfarcei para que os meus amigos não me vissem, e entrei em outra rua que dava para a rodoviária.

O PM estava lá fazendo a ronda, passei por ele e fiz um sinal para que entendesse o que eu estava querendo. Entrei no banheiro e o PM veio atrás. Abri a porta do ultimo Box e sentei no vaso e ele já entrou trancando a porta e se posicionando na minha frente.

Desci a calça dele e fui lambendo o seu pinto, queria curtir cada chupada que eu dava nele, mais o PM segurou na minha cabeça e socou o seu pau na minha boca com força me fazendo engasgar.

Tirei a piroca dele da minha boca e abocanhei o seu saco e fazia carinho com a minha mão no seu pau.

O PM puxou o seu pinto, tirando da minha mão e enfiou de novo em minha boca e socou me fazendo engasgar mais uma vez.

Levantei e fiquei de costas para ele e abaixei a minha calça junto com a cueca. E o PM abriu bem a minha bunda com as suas mãos, mirou o seu caralho no meu cú e enfiou tudo de uma só vez e deu no máximo umas três ou quatro bombadas e gozou. Guardou o seu pinto na calça e foi abrindo a porta.

EU= Já acabou?(OLHANDO PARA A SUA CARA)

PM= (COM CARA DE IDIOTA) É por que eu estava com muito tesão, por isso foi tão rápido. Dá próxima vez eu demoro mais.Saí dali prometendo para mim mesmo de que nunca mais transaria com ele.

Ele podia até ter um belo caralho, mais era muito ruim de trepada. E acabei ficando com mais vontade de ser fudido do que estava antes. Fiquei a maior parte do tempo trancado em meu quarto, estava puto, com raiva e frustrado.PUTO porque o João viajou e eu ia passar mais uma noite sem trepar. RAIVA porque o professor mesmo me querendo era covarde. FRUSTRADO porque o idiota do PM não sabia nem comer um cú direito. Só saí do meu quarto para tomar banho e jantar.

EU PARA A MINHA MÃE= Eu tenho que pegar os filmes no quarto do João, tinha que ter entregado hoje na locadora e me esqueci.

MÃE= Você vai pagar com multa sabia? Você precisa ter mais responsabilidade menino.

EU= Eu sou responsável sim. Eu só me esqueci.

EU= Eu vou ao quarto dele pegar e deixar aqui na sala. E amanhã depois da escola eu vou à locadora e entrego os filmes.

O quarto estava um bagunça e tinha roupas jogadas no chão e em cima da cama uma cueca e era exatamente a cueca que eu tinha posto nele depois da noite que passamos juntos. Peguei e cheirei, na hora fiquei excitado e o meu pau ficou duro. Enfiei a cueca dele dentro do meu short e fiquei esfregando no meu pinto, depois enrolei a sua cueca em volta do meu pau e bati uma punheta sujando ela todinha com a minha porra. Lavei a cueca do meu macho na pia do banheiro e a deixei secando num varal improvisado, peguei os filmes e saí.Passei pela sala e deixei os filmes perto da poltrona e fui dormir.

Na manhã seguinte o Edu passou aqui em casa para agente ir ao colégio juntos. Ele estava todo alegre e eufórico dizendo que comeu uma mulher mais velha e me contava detalhes da sua foda. Eu fingia estar adorando, porque para ele e para os outros nossos amigos eu comia a mulherada e acabei ficando com fama de pegador. Ouvia-o contando a mesma história umas 5 vezes e por infelicidade eu estava por perto sempre que ele contava para algum amigo nosso.

No colégio fiquei procurando pelo professor e nada de vê-lo, passei praticamente o recreio inteiro andando por todo o colégio e nada dele. No término das aulas, na saída o Edu veio ao meu encontro e fomos juntos embora.

EU= Eu queria perguntar uma coisa para o professor André, mais eu não o vi hoje.

EDU= Eu também não. Pode me perguntar que eu sou muito bom em geografia e te explico.

EU= Deixa pra lá! É só uma dúvida mais depois eu pergunto pra ele.

EDU= Você é que sabe.

EDU= Vamos sair hoje a tarde com a galera? Nós vamos nos encontrar no shopping.

EU= Hoje não vai dar. Assim que entrei em casa fui direto almoçar, estava faminto. O João estava sentado na mesa vestindo uma camiseta que modelava o seu peitoral e deixava a mostra os seus braços fortes e musculosos e um short bem largo.

Ele me recebeu com um lindo sorriso e me disse um, boa tarde que só de ouvir a sua voz eu quase gozei.Larguei a minha mochila no chão e sentei no colo e nos beijamos.

EU= Estou com saudades de ser o seu viadinho. To louquinho para sentir a sua pica na minha boquinha.Voltei a beijá-lo.

JOÃO= Estou louco de tesão por você, meu viadinho. Me tirou do seu colo, me botando de frente para ele.

JOÃO= (BOTOU O SEU PINTO PARA FORA) Olha como esta meu cacete. Estava com a cabeça bem meladinha e não deu um segundo para ele puxar minha cabeça em direção ao seu pau.

JOÃO= Chupa. Sente o gosto do meu pau que está pronto para jorrar em sua boquinha. Isso! Isso! Hummmmm!! Engole  ele todinho, deixa bater no fundo da tua garganta meu viadinho Hummmmmmmmm!!! Hummmmm!!! Agora tira tudo da boca e lambe o saco do seu macho. Hummmmmmmmmmmmmmm!!! Hummmmm!! Chupa o meu caralho, a minha piroca toda até a cabeça. Sente ela latejando de desejo por esta boquinha.

EU= Delicia de homem que é você!

O joão não mais gemia, ele urrava feito um animal.

JOÃO= Quero gozar na sua boca. Voce vai beber do meu leite. Como eu adoro a sua boca no meu caralho.

EU= Goza na minha boca, quero beber seu leite todo. Eu sou o seu viadinho e você o meu homem, meu macho gostoso.

JOÃO= Chupa, engole ele todo que eu vou gozar. Você vai tomar leitinho quente meu viadinho safado.Leitinho do seu homem, do seu macho. Agora aperta meus ovos para sai muito leite viadinho vai! Isso!! Aperta!!! Hummmmmmmmmmmmmmmm!! Hummmmmmmmmmmm!!

Fui dando umas apertadinhas no seu saco e ele urrando de prazer e comecei a sentir os jatos de porra bem na minha garganta. Jatos fortes e demorados como leite quase pastoso. Deixei ainda uma parte escorrer na minha na minha cara de tanta era a porra que saia do seu pau. Que ele logo passou o dedo e enfiou na minha boca.

JOÃO= Agora, vou me trocar eu tenho que sair. Daqui a pouco tenho uma entrevista com a pisicóloga na firma que o seu pai trabalha e eu não posso me atrazar.

EU= Que bom! Estou torcendo para você conseguir o emprego.

Nos recompomos e eu fui lavar o meu rosto na pia da cozinha,o João me agarrou por tras e disse que estava com muita saudade de mim e que a noite ele terminaria o que tínhamos começado.

JOÃO= Vou querer fuder muito nesse cuzinho,hoje à noite viu!

EU= Não vejo a hora de ter o seu pau todinho dentro do meu cú.

Ainda nos beijamos um pouco mais e o João foi trocar de roupa para a entrevista com a pisicóloga.

FIM. (CONTINUAÇÃO)

Autor: Peter
E-mail - peterpanrj16@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.