Tudo começou com uma brincadeira, eu enfiava a minha mão no bolso de sua calça e pegava algo e tentava adivinhar o que tinha lá e é lógico que isso só acontecia quando não tinha ninguém por perto.

Das primeiras vezes tinha mesmo alguma coisa e os objetos eram sempre bem difíceis de adivinhar e é claro que eu demorava um bom tempo apalpando e sempre eu errava, mais uma coisa era certa, o seu pinto estava sempre muito duro e eu adorava sentir aquilo.

Mais um dia ele me mandou adivinhar e quando coloquei a minha mão, não tinha nada, o seu bolso estava rasgado, tinha era um buraco que dava direto para o seu pinto e ele estava sem cueca.

JOÃO= Achou alguma coisa?

EU= Achei sim.

E o seu caralho foi crescendo na minha mão e pela primeira vez, pude sentir como era um pinto, a sua pele bem macia apesar de estar bem duro e era bem retinho e grosso.Mais antes deu falar o que era, escutamos a porta da sala abrir e a minha mãe me chamando para ajudá-la com as compras do supermercado.

O João saiu correndo para a área de serviço e eu fui ao encontro da minha mãe que imediatamente me mandou ir à garagem pegar as compras que estavam no carro.Neste dia não aconteceu mais nenhuma brincadeira e eu até estranhei, porque o João sempre me fazia adivinhar pelo menos umas três vezes ao dia.

O dia passou e a noite chegou e nada dele me procurar para as nossas brincadeiras, cheguei a pensar que tudo aquilo iria acabar e já em minha cama fiquei lembrando aquele momento que nunca iria esquecer. Agora que eu já tinha segurado o seu pinto, queira mais, queria ir mais além do que só segurar.

O João é um amigo de infância dos meus pais e que há 1 ano mora conosco. Ele foi casado e era dono de duas lojas de materiais esportivos que acabou falindo e separando de sua mulher. Ficou mesmo na miséria e os meus pais o convidaram para morar aqui em casa até ele se reerguer novamente.

No dia seguinte tomamos o café da manhã juntos, meu pai, mãe eu e o João e como era domingo ficaria mais difícil de ficarmos sozinhos.À tarde, depois do almoço eu e os meus pais estávamos vendo TV e comecei a escutar barulho de água. Era o João na garagem lavando o carro.

EU= (FALANDO COM OS MEUS PAIS) Este filme está muito chato vou ajudar o João a lavar o carro.

Fui saindo da sala e indo para a garagem e quando ele me viu chegando deu um lindo sorriso.

JOÃO= Veio me ajudar ou só olhar.

EU= Vim ajudar, mais depois podemos brincar de adivinhação. (FALEI BAIXINHO)

JOÃO= Mais hoje eu estou de short e não tem bolso (SORRIU E FALOU BEM PERTO DO MEU OUVIDO)

Olhei para o seu pinto e disse em seguida:

EU= É verdade. Não estava mais me reconhecendo por ter falado e olhado descaradamente para o caralho dele.Depois de lavar e secar o carro nós começamos a polir e ele sempre dava um jeito de se esfregar em mim, passando o seu pinto duro em minha bunda mais tudo bem rápido.

Teve uma hora que ele segurou na minha cintura e ficou sarrando em mim, me encochando.

JOÃO= Não estou agüentando mais sabia?Eu não respondi e continuei em silêncio.

JOÃO= Porque você não vai ao quartinho de ferramentas e procura uma flanela nova para terminar de polir o carro?Sabia muito bem o que ele queria de verdade e eu queria a mesma coisa que ele.Dei a volta pelo carro e fui até a varanda e passei pela janela para ver se os meus pais estavam lá.

Voltei e fui direto para o quartinho e fingir procurar a tal flanela na estante e o João chegou já me perguntando se eu tinha achado.Com o meu coração disparado e com voz trêmula disse que não, ele chegou me abraçando por trás já roçando o seu pinto duro em mim.

JOÃO= Eu sempre quis fazer isso com você. Sempre fui tarado na sua bunda. E todas as vezes que bati uma punheta foi pensando em você.

Como a porta estava fechada e a luz apagada, estava completamente escuro o quartinho.Ele abaixou o meu short e eu senti o seu pinto duro e quente na minha bunda e me beijava na nuca. O meu corpo arrepiava todo e instintivamente empinei a minha bunda para receber a piroca do João.

JOÃO = Você tem certeza que quer mesmo fazer isso? Eu posso parar se quiser?

EU= Eu quero.

JOÃO= Que bom!!! Porque eu não estou agüentando mais de tanta vontade de você.

JOÃO= Que corpo gostoso você tem. Que pele macia. Que delicia!!! Que bunda gostosa e tesuda.

Eu gemia baixinho e queria cada vez mais aquele homem dentro de mim.

JOÃO= Já estou quase gozando, o que faço?

EU= Goza então ué?

JOÃO= Mais eu posso gozar em você?

EU= pode.

Abri mais as minhas pernas e empinei o máximo a minha bunda, a sensação de ter um homem por trás de mim prestes a gozar me excitava ainda mais.Ele podia fazer o que quisesse comigo.

Comecei a sentir um líquido quente descendo pelas minhas pernas e fiquei louco com aquilo. O João estava gozando em mim e eu precisava caprichar em minha performa-se apesar de não ter nenhuma experiência.

Eu rebolava e pressionada a minha bunda contra o seu pinto. Estiquei a minha mão para trás e botei o seu pinto bem na entradinha do meu cuzinho.

EU= Enfia ele em mim vai! Me come agora!!Apesar de já ter gozado o seu pau continuava bem duro e era eu que o deixava assim.

JOÃO= Eu quero te comer sim, mais aqui não dá! Temos que sair daqui, os seus pais jamais poderá saber disso.

EU= Eu sei. Vai ser o nosso segredo.

JOÃO= Que loucura que estamos fazendo, você é só um menino.

Virei e fiquei de frente para ele e segurei firme no seu pinto.

EU= Posso até ser um menino para você, mais eu já tenho 16 anos, hoje já tenho 40, e eu sou capaz de te dar muito prazer, basta você querer.

JOÃO= Eu quero. Eu tenho muito medo das conseqüências, mais eu quero.E eu com a sua piroca em minha mão, veio mais porra e eu o masturbei ate sair a ultima gotinha.

O João foi subindo o seu short que estava arriado ate os joelhos e mandou eu me limpar.

EU= Pode sair que vou me limpar e já saio.

JOÃO= Não demore. (E FOI SAÍNDO E ENCOSTANDO A PORTA)Peguei um pano qualquer e me limpei e saí com o pano todo melecado de porra joguei no lixo e peguei uma vasilha que estava por perto e a enchi de água.

JOÃO= O que você vai fazer?

Cheguei bem pertinho dele e bem sem vergonha eu o respondi.

EU= O chão ficou sujo de porra, a sua porra e vou limpar.Ele deu um sorriso de macho satisfeito e segurou o seu pinto por cima do short.

JOÃO= Saiu tanto assim foi?(SATISFAÇÃO)

EU= Muito! Pena que foi no chão, um desperdício viu!

JOÃO= Não se preocupe! De onde saiu tem muito mais. (MACHO ORGULHOSO)Dei uma apertadinha no seu pinto e saí, entrando no quartinho para limpar.

Quando voltei, ele estava dentro do carro passando o aspirador eu entrei e sentei ao seu lado.

JOÃO= É melhor você entrar.

EU= Por quê?

JOÃO= Porque sim.

EU= Isso não é uma resposta.

O João abriu as pernas e olhou para seu pinto me fazendo olhar também.

JOÃO= Olha como você está me deixando. Já estou de pau duro de novo.

Eu= Posso ver?

JOÃO= Não! Agora não!Já fui segurando na sua cocha e subindo a mão ate o seu pinto duro.

EU= Me deixa ver ele vai! Só um pouquinho. Eu nunca vi um de perto, a não ser o meu.

JOÃO= Mais você só vai querer ver? (JÁ SEDENDO AS MINHAS TENTATIVAS)

EU= Não!!! Na verdade eu quero mesmo é botar ele todinho em minha boca e experimentar o leitinho que sai dele.

Ele me olhou dentro dos meus olhos e saiu do carro fechando a porta e me deixando lá.Mas voltou e enfiou a sua cabeça pela janela.

JOÃO= Eu vou subir para o meu quarto e tomar um banho, disfarça e sobe que eu estarei te esperando.Sorri para ele e confirmei com a cabeça.

O João mora no andar de cima da nossa casa é uma espécie de terraço mal acabado, lá tem uma piscina de fibra e um quarto com banheiro bem simples e uma pequena cozinha.Saí do carro e entrei pela sala, a TV estava ligada e os meus pais dormindo no sofá, fui até a cozinha peguei um copo com água e saí pelos fundos.Subi as escadas para o quarto do João, feito um relâmpago.

JOÃO= Feche a porta e tranque com as chaves. Assim o fiz. E quando o vi, o meu coração acelerou a 100 por segundos. Ele estava pelado sentado em uma poltrona e com as pernas bem abertas e alisando o seu caralho totalmente duro.O meu corpo paralisou.

JOÃO = Vem aqui! Vem ver ele de pertinho, vem!(ELE FAZIA UMA CARA DE MACHO TARADO QUE EU ADOREI)

Fui me aproximando e ajoelhei ficando de cara com o seu pinto e a primeira coisa que fiz foi passar a minha língua da base até a cabeça rosada do seu caralho para sentir o seu gosto.(PENSEI COMIGO: ESTE É O PRIMEIRO PINTO DE MUITOS OUTROS)Fui com a minha boquinha no pau do João e coloquei a cabeça na boca e comecei a chupar!!!

JOÃO= Segura ele e passa à lingüinha!!

Assim eu fiz!! E ele gemia e me excitava mais e mais só de escutar os seus gemidos.

JOÃO= Coloca tudo na boca e vai tirando bem de vagar!!

Eu não falava e só obedecia as ordens daquele macho.

JOÃO= Agora faz bem rápido pra cima e pra baixo!! Issssoooooooo!!! IIsssoooooooooooooo!!! HUmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm!! Hummmmmmmmmm!!!

JOÃO= Chupa com vontade meu menino. HUmmmmmmmmmmmmmmmmmm!! Hummmmmmmmmmmm!! Chupa que eu já vou te dar leitinho na boquinha.O João segurou na minha cabeça e socava o seu pinto na minha boca, teve uma hora que eu o senti bater na minha garganta.O seu pinto começou a latejar e ele me dizia entre os dentes que já ia gozar. E eu chupava mais rápido ao ponto dos meus lábios ficarem doendo e mesmo assim acelerei o máximo que pude.E logo o João começou a soltar o seu leite na minha boca e eu logo tirei a boca e fiquei vendo a sua porra saindo de dentro do pau!!!

Saia àqueles jatos fortes e eu admirando a porra saindo pela primeira vez!!! O João esporrou um monte e sujou todo o meu rosto.Depois de gozado passei a lamber, precisava saber que gosto tinha.

JOÃO= Você gostou de fazer sair leite de mim???

EU= Eu adorei!!Eu quero fazer mais!!! Eu quero esse pinto todo dia.Ele sorriu e confirmou com a cabeça e eu ainda com o seu pinto esporrado em minha mão.

JOÃO = Vá lá para baixo enquanto eu tomo um banho.

EU= Mais primeiro eu tenho que me limpar.Levantei e foi no seu banheiro e ele foi atrás. Eu lavava o meu rosto e o João se preparava para o banho.

EU= Você gostou? Ele veio e me segurou por trás pela minha cintura.

JOÃO= Eu adorei meu menino. Sabia que foi a primeira vez que alguém me chupou?

EU= Nem a sua mulher?

JOÃO= Nem ela. Eu sempre tiver vontade mais ela sempre se recusava e dizia que era nojento, que só vadia fazia essas coisas. E eu nunca transei com outra, ela foi a primeira e única.

EU= Vai ser um prazer ter o seu pinto em minha boca e no meu cuzinho. Não vejo a hora de ter esse pinto me fudendo.

JOÃO= Eu quero muito fazer isso com você!

EU= Vamos fazer tudo juntos, você vai fuder um cú pela primeira vez e eu vou ser fudido pela primeira vez.

JOÃO= Agora você vai descer e ficar com os seus pais.Desci e fui direto para o meu quarto, deitei em minha cama, estava completamente feliz.

O meu corpo tinha o seu cheiro, cheiro de um macho e acabei adormecendo.

FIM (CONTINUAÇÃO)

Autor: Peter
E-mail - peterpanrj16@hotmail.com
MSN - Não Divulgado
Conto enviado pelo internauta.