Não foi a primeira vez que tive uma aventura num ônibus, mas desta vez foi uma loucura.

Estava no terminal da Barra Funda eperando o ônibus pra Bauru, das 18h45. Avistei um policial pro lado de fora da plataforma e comecei a encará-lo. Logo ele entrou pra dentro da rodoviária e se posicionou ao meu lado e começou a conversar com outro policial.

Eu levantei de forma com que ele visse a minha bunda que é bem de macho e chama muito a atenção de quem gosta de rabo de outro macho.

Sou casado, 1,76, 80k, forte, branco, peludão, coxudo, meu rabo é bem peludão.

Passei por ele e segui em direção às escadas, mais pro fundo do terminal. Notei que ele veio atrás de mim. Paramos perto de um treiler de café. Tomei coragem e puxei papo com ele.

Na hora percebemos q a noite ia ser boa. Trocamos ideia e descobrimos que íríamos para a mesma cidade: Bauru.

Ele estava na dependência de sobrar espaço vazio e me disse que o outro policial, com quem estava conversando, iria sentar do meu lado.

No corredor da última poltrona. O outro policial tb era bem gostosão, mas este era demais: Loiro, mais ou menos da minha altura. Um corpo delicioso... que bunda... e uma mala avantajada.

Disse a ele para darmos um jeito de trocar com o outro policial, mas disse não saber se era possível. Chegou a hora de embarcar. Entrei e fiquei aguardando. Logo o outro policial subiu, pediu licença e se sentou do meu lado.

Em seguida entro o Policial tesudo. Me cumprimentou como se fossemos amigos e ficamos batendo papo. Logo o policia que estava do meu lado se tocou e foi sentar um pouco a frente oferecendo seu lugar para o policial tesudo.

Ele se sentou do meu lado. Logo percebi q suas pernas começaram a roçar as minhas e quando o ônibus saiu na rodovia e as luzes se apagaram, comecei a acaricia suas pernas com o lado de fora da minha mão, que estava apoiada bem no meio de nós dois.

Ele retribuiu encostando um pouvo mais. Sentia o tecido da calça dele e ficava louco. Estava frio, mas sua calça estava quente. fui subindo minhas mãos e logo senti o tecido da calça, um pouco abaixo do seu pau, se movimentar com as pulsadas da rola dele. Logo meus dedos encontraram o sacão dele. e comecei a acaricar as bolas por cima da calça.

Ele pegou minha mão e levou até sua rola que era grande, não muito grossa e estava pulsando de tezão. Apertava a rola dele por cima da calça e cada vez que fazia isso sentia ela se inchar ainda mais.

Ele ficou louco. Abriu o ziper e colocou a rola pra fora. Nesta hora o chero de suor da rola dele foi até minha cara. Passei o dedo na ponta da cabeça e senti que a rola dele tava babando muito. Colhi um pouco daquele líquido e levei até meu nariz. Fiquei loco com o chero da rola dele e levei meus dedos na boca.

Vendo isso ele me pediu pra chupar. Disse pra eu ficar tranquilo que ele iria olhar pra ver se vinha alguém. Baixei minha cabeça e senti aquele chero na fonte. Era uma cheiro forte de suor, misturado com mijo. cheirei a cueca dele e depois da rola. Cai de boca. Neste momento senti suas mãos tentando entrar na minha calça procurando meu rabão peludo. Facilitei pra ele desabotoando minhas calças.

Quando ele sentiu meus pelos do rabo, ficou louco e começo a falar no meu ouvido que queria me comer. Ele estava com o dedo atolado dentro do meu cu e eu piscava pra ele só pra provocar ainda mais. Me virei, baixei minhas calças, passei saliva e ofereci meu cu pra ele.

Ele deu uma olhada pra frente e viu q todos estavam dormindo  e nós estávamos na ultima poltrona. Ele encostou sua rola no meu cu e abri o rabo pra facilitar pra ele. E foi atolando cada cm.

Enquanto ele metia eu passava a mão da usa bunda sobre a farda. Fiquei loco de tezão e ele tb. Não demorou muito, encheu meu cu de porra.

Quando paramos no Rodoserv, fui ao banheiro. Puz a porra pra fora. Era muita porra. Quando pegamos estrada novamente, iniciamos uma conversa agradável.

Tracamos telefone e metemos mais uma vez. Faz tempo q não ligo pra ele, porque não sou de ficar ligando, mas confesso que tô doido pra dar pra ele denovo.

Este conto é verídico. Aconceteceu comigo mesmo. E não foi a primeira vez.

Viajo muito a trabalho de onibus e de vez em quando rola umas sacanagens. Prefiro casados como eu, mas não rejeito solteiros discretos.

Se houver algum macho afim de fuder um rabão peludo de outro macho, é só fazer contato. De preferência de Bauru.

Se tiver algun que viaja sempre de Bauru para São Paulo, de ônibus, é só fazer contato.

Quem sabe não dá certo da gente pegar o mesmo ônibus...

Autor: Jota
E-mail - jotacaran@ig.com.br
MSN - jotacaran@ig.com.br
Conto enviado pelo internauta.